Destaques Linha 5

Edital de concessão das linhas 5 e 17 deve ser publicado no dia 27 de março

Informação foi dada pelo governador Geraldo Alckmin durante visita à estação Santo Amaro neste domingo (21)

Novos trens na Linha 5: operação plena em maio (GESP)

O edital de concessão para a iniciativa privada das linhas 5-Lilás e 17-Ouro deverá ser publicado no próximo dia 27, disse o governador Geraldo Alckmin neste domingo durante visita em que inaugurou oficialmente a entrega de seis trens da Frota P e o sistema CBTC. A estreia das novas composições e do sistema de controle havia ocorrido no domingo anterior, como informou o blog.

Como antecipado também pelo site, o processo de concessão deve demorar, o que fará com que o próprio Metrô opere as primeiras estações entregues do novo trecho – Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin, todas em fase de conclusão. Se não houver nenhum problema mais grave, o certame deverá ser resolvido entre maio e junho e a assinatura do contrato, no início do segundo semestre. Nesse cenário, a futura concessionária terá seis meses em que observará o trabalho do Metrô antes de assumir a Linha 5 – o monotrilho só deverá ser entregue em 2019, na hipótese mais otimista.

O governador também disse que a primeira viagem experimental no novo trecho será feita em maio, quando os trilhos, alimentação elétrica e sistemas deverão ser concluídos. Também neste mês está prevista a operação diária dos novos trens da Frota P, um mês antes do estimado pelo blog. Com isso, é provável que em junho o Metrô faça testes sem passageiros no trecho antes da abertura em operação assistida em julho – em horário restrito e sem a cobrança de passagem.

Nesses primeiros meses, seis composições das 26 adquiridas, estão operando na linha, mas outras quatro estão prontas para serem acrescentadas à frota, à medida que sejam necessárias. Hoje a Linha Lilás opera nos dias úteis com sete a oito trens da Frota F e com intervalos grandes. Alckmin prometeu que os novos trens reduzirão o tempo de viagem por serem mais velozes (a Frota F tem restrições de velocidade em alguns trechos por conta do sistema de freios antigo). É possível, inclusive, notar que o novo trem e o CBTC permitem algumas aproximações mais velozes como na estação terminal Adolfo Pinheiro.

Assunto ignorado pela grande imprensa

O início de operação dos trens da Frota P e do sistema CBTC, alvo de diversas reportagens ao longo dos últimos anos devido ao seu atraso, não motivaram uma nota sequer na grande imprensa. Críticos contumazes da compra dos trens que estavam parados desde 2013 e do novo sistema de controle de trens, que impediu que eles fossem utilizados, jornais como Folha de São Paulo, Estadão e a TV Globo ignoraram o fato nos últimos dias. Uma atitude estranha já que seria papel deles atualizar seus leitores e telespectadores sobre o desdobramento de tantas reportagens anteriores sobre o assunto, inclusive a que acusava o Metrô de ter comprado trens de bitola diferente, incapazes de percorrer os mesmos trilhos da frota antiga, conforme apontado por um polêmico procurador.

O sistema CBTC permitirá reduzir o intervalo entre os trens, hoje alto na Linha 5 (GESP)

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

2 Comments

Leave a Comment