Destaques Linha 5

Metrô deve assumir operação das novas estações da Linha 5-Lilás

Novo trecho tinha previsão de ser operado pela futura concessionária, mas licitação deve ser concluída apenas no segundo semestre

Cúpula da estação Brooklin: operação deve começar nas mãos do Metrô

Entre tantas indefinições a respeito da Linha 5-Lilás, ao menos uma coisa parece certa: as três primeiras estações da nova fase, previstas para serem abertas em julho, deverão ser operadas pelo próprio Metrô. A razão é que a concessão da linha, em conjunto com o monotrilho da Linha 17, só deve ser concluída no segundo semestre. Além disso, a empresa que assumir a operação terá seis meses de ‘aprendizado’, quando acompanhará o trabalho do Metrô a fim de entender o funcionamento dos sistemas.

A mudança, no entanto, implicará num remanejo de pessoal dentro do Metrô, que não contratará novos funcionários para isso. A ideia, conforme apurou o blog, é trazer gente de outras linhas até que o concessionário assuma o serviço. Parece um grande problema, mas talvez não seja. Embora a previsão de abertura das estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin seja possível daqui a quatro meses, é certo que o início da operação será no modo assistido, quando os trens circularão apenas em horários fora do pico e com grande intervalo – possivelmente sem cobrança de tarifa.

Nessas condições, o trecho não exigirá grande contingente de funcionários, por exemplo. Além disso, o CBTC, sistema de controle de trens imprescindível para abertura do trecho, estará num estágio de desenvolvimento inicial, o que não permitirá que o serviço seja ampliado tão cedo. Em outras palavras, o governo Alckmin deve abrir as três estações para cumprir a promessa, mas a operação comercial normal só deverá ocorrer em 2018, já com a concessionária à frente do serviço.

Estreia do CBTC, agora em março

Como o blog afirmou nas últimas semanas, a promessa de entregar nove estações este ano esbarra no atraso de alguns canteiros da obra, no trâmite da concessão e também nos testes do sistema CBTC. O Metrô e a Bombardier intensificaram as simulações de operação comercial nas manhãs de domingo (veja vídeo), mas a previsão informada pelo governador de que a operação assistida começaria no Carnaval foi descartada pela empresa. Agora fala-se em março, quando uma nova versão do software do sistema de controle será testada.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Leave a Comment