Metrô Rio terá a tarifa de trem mais cara do Brasil a partir de abril

Valor da passagem será reajustado de R$ 6,90 para R$ 7,50 seguindo o índice IPCA que mede a inflação oficial. Tarifa social será reajustada para R$ 5,60
Metrô do Rio de Janeiro terá a tarifa mais cara do Brasil (Mario Roberto Duran Ortiz)
Metrô do Rio de Janeiro terá a tarifa mais cara do Brasil (Mario Roberto Duran Ortiz)

A Metrô Rio, operadora do sistema metroviário do Rio de Janeiro, deverá reajustar a tarifa das linhas metroviárias da cidade a partir do mês de abril. O aumento previsto, de R$ 0,60, fará com que o sistema tenha a passagem de trem mais cara do Brasil.

Segundo informações do site CBN, o governo local deverá proceder com o reajuste da tarifa com base no IPCA, indicador que baseia a inflação oficial do Brasil.

A tarifa, que hoje é de R$ 6,90, passará para R$ 7,50, a maior em sistemas metroferroviários do Brasil. A Supervia, operadora dos trens urbanos da baixada fluminense, diminuiu a tarifa de R$ 7,40 para R$ 7,10 em fevereiro de 2024.

O Rio de Janeiro adotou, como medida de mitigação, uma tarifa social que passará a ser de R$ 5,60 após o reajuste. Este valor é maior que o da tarifa comum do sistema metroferroviário de São Paulo.

Sistema tem 41 estações
Sistema tem 41 estações (EBC)

Dados indicam que mais de 90% dos passageiros são das classes C, D e E, ou seja, o aumento da tarifa, mesmo que seja a social, ainda recairá sobre os que mais precisam da mobilidade.

Siga o MetrôCPTM nas redes: WhatsApp | Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

O governo do estado do Rio de Janeiro diz não ter condições de realizar o subsídio da tarifa a R$ 5,00, jogando o ônus do aumento nas costas da população.

O sistema metroviário do Rio de Janeiro possui 41 estações distribuídas em três linhas. Atualmente são transportados por mês cerca de 480 mil passageiros por dia.

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
22 comments
    1. Mickey, a privatização em si não é o fator considerável na prestação de um serviço público ineficiente a população.
      Existem vários outros que não vem considerando no seu relato.

      1. São Paulo é estatal, tem mais linhas, e mhor qualidade no serviço, e não cobra o msm preço doq o Rio de Janeiro

    2. Engraçado, quando o metrô do Rio era estatal ocorriam acidentes, faltavam trens, trechos ficavam fechados e o número de passageiros transportado era muito pequeno.

      Então o problema não está no modelo (privado ou estatal) mas sim no Metrô do Rio. Para quem não sabe o metrô do Rio nasceu errado e foi conduzido pelo estado (governos da Guanabara, Rio e Federal) da pior forma possível até a concessão.

      O Metrô do Rio é um exemplo de que não adianta investir em metrô sem ter realizado estudos técnicos, projetos, orçamentos, sem ter foco (em 1975 o Rio contratou obras para 36 km de metrô ao mesmo tempo) e sem pessoas capazes na gestão do projeto.

      1. Como sempre vc Ivo com comentários sem nexo com a realidade. O metrô do rio é horrível mas não era tão ruim quanto está agora e deveria ser o contrário pela evolução da tecnologia . E podemos ver que no Brasil o modelo de transporte metro-ferroviario privado é muito menos eficiente que o estatal, visa só o lucro exorbitante e praticamente nada de investimentos/capacitação/melhorias.

        1. O Metrô do Rio foi uma aventura política, não um meio de transporte planejado para atender a segunda maior cidade do país. Quando seu projeto foi iniciado, o governo da Guanabara fez uma concorrência para o projeto e mudou as regras no meio da concorrência. Dos quatro consórcios que concorreram, os dois melhores desistiram por discordarem da mudança de regras. Dos consórcios restantes, o pior foi declarado vencedor (sendo que uma de suas empresas, a CCN, estava em processo de falência).

          O governo da Guanabara iniciou as obras dos primeiros 3 km em 1969 sem ter dinheiro para tocar as obras. Depois, pegou empréstimos no estrangeiro e colocou o banco estatal como avalista (BEG/Banerj). Mais tarde, o volume de empréstimos não pagos quebrou o Banerj em 1995. O metrô abandonou as obras em 1972. As obras foram retomadas como moeda de troca pela União: em troca da Guanabara aceitar a fusão com o Rio, a União financiaria as obras. Assim foi feito e o Rio contratou obras de 36 km de linhas ao mesmo tempo. A corrupção do regime militar era tão grande que empreiteiras faliram sem receber do metrô do Rio. Em 1979 foi inaugurado um pequeno trecho, em 1981 foi inaugurado um tal de pré-metrô (invenção da ditadura para agradar empresários que ficaram de fora do projeto original) e o Rio ficou sem recursos por desperdício e corrupção. Até hoje os 36 km contratados não foram concluídos.

          Em 1998 com o estado falido, foi feita a concessão. Sem a concessão, o metrô seria desativado.

        2. Durante a década de 1980 o metrô estatal do Rio foi fechado várias vezes por falta de manutenção. Em 1986 foram dois fechamentos de várias horas. Chegaram ao ponto de terem apenas 8 trens em condições de uso (de uma frota de 23).

          No período do metrô estatal ocorreram vários acidentes graves, deixando dezenas de feridos.

          Como hoje o metrô está pior?

  1. 3 linhas que não valem por 1, porq basicamente o sistema funciona como uma linha em Y, poucas estações e as que existem são completamente sujas e escuras, tarifa altissima…. o sistema metroferroviario do Rio deu tão errado que é até impressionante pra uma cidade desse tamanho e dessa importância…

    1. esse governador do Rio é tenebroso e foi eleito no primeiro turno com mais de 70% dos votos resultado esta ai ele nao investe no metro, a supervia destruida e se recusa a fazer projeto do metro para receber ajuda do governo federal governador miliciano fica rasgando foto fazendo birrinha tudo pra manter a base miliciana bolsonarista do Rio abanando o rabo.coitado do povo do Rio que nao engoliu este Castro.

  2. quem tá mentindo o pau nem coisa privatizada por que que vocês não vão dar uma olhada na página de transparência do metrô estatal, porque tem funcionários públicos do metrô recebendo mais do que o Presidente da República lá em Brasília 48.000 salário para um funcionário do metrô da gerência

    1. funcionário comissionado colocado pela turma do seu governador. e que não acaba com a privatização, pelo contrário.

      os executivos da CCR que eram do metrô e da CPTM recebem até mais que isso.

      tenta na próxima

    2. Vamos ver sim, e veremos q vc está mentindo, os salários mais altos são dos funcionários de alto escalão, o presidente da companhia Júlio Castiglioni, cerca de R$22.000, enquanto o presidente da República ganha cerca de R$30.000.

      Quem ganha mais q ele são os deputados, R$40.000-50.000, alguns ultrapassam R$100.000.

  3. Esse metrô do RJ além de ter uma infraestrutura capenga, caminha para ser um transporte coletivo de elite.

  4. Duas linhas ( a 4 é praticamente uma extensão da linha 1) que funcionam como uma só em Y tendo a maior tarifa do Brasil, e ainda vão renovar a concessão até 2048 para a concessionária bancar parte (e nem é o valor todo) da finalização da estação Gávea que vai fazer o sistema parecer uma loucura pois nem em Y vai ser mais

    1. Sem a concessão, o Metrô do Rio seria desativado. O estado não possui (no curto e médio prazo) condições de operar e manter o sistema.

      1. O BRT foi estatizado e teve melhora considerável no serviço, e a estatização é algo q foi considerado pelo governo de lá, inclusive o Viatrolebus fez video sobre.

        1. O BRT é de responsabilidade da prefeitura do Rio de Janeiro.

          Já o Metrô do Rio foi privatizado pelo estado do Rio de Janeiro.

          Entes diferentes e com situações financeiras diferentes. O estado do Rio está falido e não possui condições de estatizar nada.

          1. o estado de RJ vendeu o CEDAE com o mesmo pretexto de não ter condições de manter o serviço. hoje o serviço está pior e o governador já gastou o dinheiro da privatização.

            aqui em SP só não foi pelo mesmo caminho porque o estado em si é muito mais rico e organizado, independente de governo. mas o atual governador está acelerando o processo de carioquizacao de São Paulo deixado pelo governo anterior

  5. Olá sr Ivo , me permite um pitaco no seu comentário. Não sei se era parte de sua história o famigerado milagre econômico do Brasil pelos militares. Tudo em matéria de obras no Rio deu encrenca. Eles queriam mostrar para os brasileiros que o Rio seria um grande modelo para o Brasil. E na pressa de fazer essas obras é que começaram as trapalhadas, é só pesquisar:- Ponte Rio – Niterói, a usina vaga-lume , a Rodovia Rio – Santos, o aeroporto do Galeão ( esse não por erros técnicos de construção mais sim pela escolha politica desse aeroporto em detrimento de São Paulo que era o motor do pais) e esse metrô que desde o inicio se transformou em um monte de problemas e só para citar um com pouco tempo de inauguração por falta de planejamento operacional já canibalizavam composições novas para manter a frota em circulação e uma coisa que não perdoo foi o fato de levarem parte dos nossos “Fepazões” para lá atrasando a linha Esmeralda em muitos anos. Por ultimo Sr Ivo, um estado que tem uma receita monumental dos royalties do petróleo não ter uma parte para investir nas camadas mais humilde é o fim da picada.Abraços

Comments are closed.

Previous Post
Novo trem esmerilhador da ViaMobilidade (Reprodução/Redes Sociais)

Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda contam com novo trem esmerilhador

Next Post
Trem da Linha 13-Jade na estação Aeroporto Guarulhos

Linha 13-Jade da CPTM completa 6 anos perto de mudanças marcantes

Related Posts
Transporte sobre trilhos gerou economia de R$ 30 bilhões em 2022 (Jean Carlos)

Confira o balanço do sistema metroferroviário brasileiro em 2022

O transporte sobre trilhos é evidentemente uma das melhores opções de deslocamento nas grandes cidades brasileiras. Apesar do…
Leia mais