Compra de 19 novos trens para Linha 15-Prata é confirmada pelo Metrô

Companhia assinou ordem de serviço autorizando o Consórcio CEML a produzir o novo lote, que será usado nas extensões do ramal de monotrilho até Jacu Pêssego e Ipiranga
Trens Innovia 300 fabricados no Brasil (Jean Carlos)

O Metrô de São Paulo assinou nesta quinta-feira (13) a ordem de serviço autorizando o Consórcio Expresso Monotrilho Leste a fabricar mais 19 trens do modelo Innovia 300 e que serão usados na Linha 15-Prata.

As novas composições serão fabricadas na China pela joint venture entre Bombardier (Alstom) e CRRC, como este site revelou em primeira mão no ínicio do mês. Apesar disso, os modelos serão idênticos aos 27 trens que circulam atualmente no ramal de monotrilho.

No primeiro lote, a Bombardier fabricou 26 desses trens na unidade aberta na cidade de Hortolândia, no interior de São Paulo – a primeira composição, chamada de ‘cabeça de série’, foi concluída no Canadá para realizar os testes de aceitação e posteriormente foi embarcada para o Brasil.

No texto enviado pelo Metrô não há menção a origem dos trens ou a prazos, mas conforme consta no aditivo assinado com o CEML, eles deverão chegar por volta do final de 2024. É quando está prevista a entrega das estações Boa Esperança, Jacu Pêssego e Ipiranga, segundo seu planejamento.

Ainda faltarão oito unidades para que a encomenda original, de 54 trens, seja concluída, mas eles ó deverão ser fabricados quando o Metrô iniciar a implantação do trecho até Cidade Tiradentes, com mais quatro estações.

Trecho do contrato em que o Metrô autoriza a fabricação dos trens na China
Total
30
Shares
4 comments
  1. Espero que os novos trens venham com uma suspensão melhor e tenham um rodar macio nas vigas-trilhos, sem toda aquela trepidação que, apesar de ter diminuído, ainda continua incomodando!

  2. Não entendo por que a linha 17 ouro não poderia utilizar os mesmos trens que a linha 15 prata usa? Utilizando os mesmos trens facilitaria na manutenção e operação.

    1. as vigas da L17 não tem o mesmo padrão da L15, elas foram feitas com dimensões diferentes, não existe um padrão de medida pra vigas de monotrilho como existe pra bitola de trens, então os trens da L15 não conseguem rodar na L17

Comments are closed.

Previous Post

Metrô solicita licença ambiental para extensão da Linha 15 até Jacu Pêssego

Next Post

No centro da cidade, estação Guarulhos deverá movimentar mais de 50 mil passageiros por dia

Related Posts