CPTM vai contratar empresa para a supervisão de implantação do sistema ATO

Após a revogação no ano passado, companhia retomará sistema que deverá ser instalado nas linhas 7-Rubi e 12-Safira
Sistema ATO foi parcialmente instalado na Linha 12 (Jean Carlos)

A CPTM publicou nesta segunda-feira (28) a licitação para a realização de serviços técnicos especializados para a supervisão do fornecimento e instalação do sistema de operação automática de trens, o ATO.

O sistema ATO está previsto para ser implantado em três linhas da companhia. Nas linhas 7-Rubi e 12-Safira o projeto está paralisado e com parte das estruturas instaladas. Na Linha 13-Jade o sistema já está plenamente operacional. No ano passado a CPTM revogou o contrato de supervisão do sistema ATO firmado desde 2013.

Além disso, a Linha 9-Esmeralda, operada pela ViaMobilidade, também contará com o sistema que teve seu projeto idealizado pela CPTM. Contratualmente cabe à estatal realizar a finalização do sistema, bem como os testes.

A licitação visa encontrar uma empresa ou consórcio para realizar o acompanhamento e fiscalizar todas as adequações para a implantação do sistema ATO em campo, nas estações e também no CCO. O sistema deverá ser plenamente integrado com o sistema de sinalização atual.

Equipamento ATO instalado na estação Engº Manoel Feio (Jean Carlos)

O sistema ATO deverá possibilitar a perfeita integração do Sistema de Controle Centralizado e com os demais equipamentos do sistema de controle de tráfego localizados nas vias, nos trens e na interface entre pátios e estacionamentos.

Essa interação permitirá o controle dos trens bem como a regulação do intervalo entre as composições. O sistema estará programado para operar com intervalo médio entre os trens de 180 segundos (3 minutos), tempo máximo de parada nas estações de 30 segundos além de velocidade comercial superior à 40 km/h.

O prazo para a realização dos serviços é previsto em 24 meses. O orçamento do contrato está estimado em R$ 10,2 milhões e a sessão pública para o processamento da licitação está marcada para ocorrer no dia 06 de junho.

Total
6
Shares
2 comments
    1. O investimento no CBTC é bastante elevado e praticamente reformularia toda a sinalização existente. As Linhas 7 e 12 hoje operam com o ATC.
      O projeto com ATO, além de mais barato, consegue auxiliar de forma vital na regulação dos intervalos e na automatização de funções importantes.
      Neste caso não é necessário a troca do sistema ATC, apenas investimentos para integra-lo ao sistema ATO.

Comments are closed.

Previous Post

Após promessa não cumprida, Doria volta a prever entrega da Linha 17, agora para 2024

Next Post

Acciona já executa limpeza e recuperação de equipamentos nos poços da Linha 6-Laranja

Related Posts