Metrô, CPTM e SPUrbanismo firmam convênio para requalificar a região da estação Palmeiras-Barra Funda

Tendo em vista a ampliação de serviços na estação, as empresas estatais unirão esforços para desenvolver um Projeto de Intervenção Urbana que aprimore as dinâmicas na região do terminal
Estação Palmeiras-Barra Funda (Jean Carlos)

CPTM, Metrô e a SPUrbanismo firmaram na última quinta-feira (26) um convênio para a elaboração do Projeto de Intervenção Urbana (PIU) Barra Funda. A região é possui conectividade com linhas de metrô, trem, além dos ônibus urbanos e regionais que passam pelo terminal intermodal.

Dentre as principais justificativas para a realização do convênio está a intenção por parte do Metrô e CPTM em ampliar e requalificar a estrutura existente no terminal intermodal através do projeto Polo Barra Funda.

A estação também tem previsão para receber novos serviços como a Linha 11-Coral e 13-Jade. Atualmente estão em curso as obras para a revitalização do trecho até a estação Luz que permitirá a chegada dos trens até a zona oeste. 

Área da Linha 3-Vermelha (Jean Carlos)

Além disso, considera-se também a implantação do TIC, que deverá ser concedido juntamente com a Linha 7-Rubi. Atualmente o processo de concessão do tramo está parado por conta de resoluções por parte do governo federal.

Estima-se que no futuro o terminal possa receber um fluxo de até 180 mil usuários por dia. Neste sentido, vê-se como importante a requalificação urbana da região com a melhoria do aproveitamento que é dado aos territórios lindeiros.

A ideia de reorganização fundiária permitirá o uso e ocupação do solo de forma mais adequada à região. O adensamento do uso não residencial de espaços através da construção de empreendimentos associados também está previsto.

Dentre as principais características da proposta estão:

  • Ampliação da passarela Norte e Sul
  • Ampliação e requalificação dos acessos ao TI Barra Funda
  • Ampliação da conectividade funcional e visual nos espaços internos do TI Barra Funda
  • Adequação dos espaços com a chegada das Linhas 11 e 13
  • Racionalização e reorganização dos espaços internos da estação visando melhoria do fluxo e atividades
  • Requalificação do sistema viário
  • Requalificação dos sistemas de mobilidade ativa
  • Proposta de novos espaços destinados ao público no setor norte, com o adensamento de usos não residenciais
  • Processo participativo através de audiências e consultas públicas.
Potencial de ser a nova centralidade da região

Ao final dos estudos a SPUrbanismo será responsável pela elaboração e encaminhamento das melhorias através de instrumento normativo que conste todas as mudanças propostas. O documento deverá ser analisado pela prefeitura de São Paulo.

O convênio possui duração de 12 meses, podendo ser prorrogado por iguais períodos ou inferiores através de termos aditivos. Após a conclusão dos serviços o contrato será finalizado através de um termo de encerramento.

Área da Linha 7-Rubi da CPTM (Jean Carlos)

Através das propostas colocadas para a ampliação do Terminal Intermodal de Palmeiras-Barra Funda será possível adaptar o ambiente para uma nova realidade que traga, além de mais conforto aos passageiros, melhorias importantes como a implantação de serviços que podem potencializar a atividade econômica e gerar sustentabilidade financeira ao empreendimento.

Total
4
Shares
9 comments
  1. Uma dúvida de um completo leigo: ao invés de fazer uma expansão de plataforma em trilhos da CPTM, não seria mais interessante aterrar a estação do metrô e utilizar este espaço para receber o TIC?
    Para além de um remanejo menor da estrutura do complexo (acredito eu), inclusive, vejo duas vantagens nisso: com o metrô aterrado, a linha 2 teria maior possibilidade de expansão para o oeste (podendo se conectar com a futura linha 6), além de ter uma infraestrutura maior, com 2 plataformas, pra receber tanto o TIC pra Campinas quanto o possível/futuro TIC pra Sorocaba.
    Claro, imagino que o custo, tempo e o estresse no trânsito de passageiros seja um pouco maior, mas fica aqui o debate!

    1. *Correção: é linha 3 (vermelha) do metrô, perdão.
      E, uma outra possibilidade, até melhor, seria um direcionamento à zona norte. Acredito que o pessoal mais próximo do Horto Florestal seria muito beneficiado com uma linha terminando na porta do parque.

      1. No caso de uma linha que passe pela região do Horto Florestal, poderíamos ter uma linha nova que saísse da região da Cachoeirinha, passando pelo Horto Florestal e Casa Verde (como seria o traçado original da linha 3 em sua ponta “noroeste” de forma a integrar a L3 em alguma estação central (Marechal Dedoro/Santa Cecília) e seguindo na direção sudeste , também cruzando com a L1 em alguma estação central, como Liberdade ou Vergueiro e passando ali na região de Higienópolis.

        Ou ainda: integrando-se com a L1 em Tiradentes e seguindo pela região do Pari, com uma integração com a L19, com a L3 em Bresser (ou Belém) e de lá seguindo pela zona leste ou cortando a zona leste pela região da Mooca/Vila Prudente, seguindo até o sul em direção ao ABC, com possibilidade de expansão até São Bernardo do Campo ou Diadema, de modo a atender as 2 cidades do ABC atualmente desprovidas de transporte metroferroviário.

        Alternativamente, a linha poderia seguir ao sul, fazendo conexão com a L3 em Marechal Deodoro, passando por higienópolis/pacaembui, Clínicas, Pinheiros, Ibirapuera, seguindo ao sul podendo alcançar algum bairro no extremo sul (Cidade Ademar/Pedreira), sendo uma linha paralela à L1 (mas sem conexão com esta) de modo a atender regiões da zona sul desprovidas de metrô.

  2. Infelizmente, do ponto de vista operacional seria complicado uma extensão da linha 3-vermelha (tanto em sua parte leste quanto oeste), devido a lotação da linha, em especial em sua parte leste (Sé-Itaquera). Uma eventual expansão da L3, em ambas as pontas poderia colapsar a linha. Tanto é que nos anos 90, desistiu-se de levar a linha até Guaianazes no extremo leste, justamente temendo um possível colapso da linha (o trecho foi repassado a CPTM, que seria atualmente o trecho que era conhecido como “Expresso Leste”, que liga Luz a Guaianazes.

    A linha 3 do metrô precisaria ser desafogada urgente. À oeste de Água Branca, vejo como possibilidade as linhas da CPTM (7 e 8), e até mesmo se fosse possível levar a linha 9 – Esmeralda até Barra Funda (ou criação de um serviço com trens partindo de Barra Funda da P2) para Grajaú, acessando a linha 9 a partir de CEASA (desafogaria consideravelmente as linhas 4 e 5 do metrô, sendo mais uma alternativa aos usuários da linha 9). Também acharia bacana se desse para levar a linha 10 até Barra Funda e o leito Barra Funda-Água Branca pudesse ser aproveitado também pelas linhas 11 e 13 (se possível a 10 também).

    Dessa forma o trecho Barra Funda-Água Branca, poderia ser atendido por 6 linhas (7, 8, 9, 10, 11 e 13), não havendo necessidade de expansão da linha 3-Vermelha até Água Branca. Neste caso, penso que o TIC poderia ter a parada alterada para Água Branca (ou então tirar a L7 de Barra Funda e passar para Água Branca (em uma nova estação, como era no projeto original, que possa agregar as linhas 7,8,9,10,11 e 13).

    Dessa forma o usuário do TIC/L7 teria fácil acesso a vários pontos da cidade, e várias linhas.
    linha 8 para Alphaville/Osasco/Barueri/Centro
    Linha 9 para região da Marginal Pinheiros
    As linhas 10 e 11 poderiam ser utilizadas para chegar ao centro da cidade ou zona leste. No caso da L10 ela poderia ser utilizada como “ponte” para acessar as linhas 2 e 15 em Tamanduateí e Ipiranga (e possivelmente a 5, caso a mesma chegue até lá), bem como a linha 13 que atenderia também ao Aeroporto de Guarulhos. Neste cenário, Barra Funda ficaria com as linhas (8, 9, 10, 11 e 13). Se possível a linha 7 também poderia atender a estação (e ir além, até Luz ou Júlio Prestes) com uma integração à estação da Luz possibilitando o acesso da linha 1 e 4 sem depender da L3, aliviando a L3, pelo menos em seu trecho oeste.

    1. A linha 7 está integrada a linha 10 ela vai de Jundiaí até rio grande da serra, na minha visão temos que desafogar essa linha integrada, pois esse trem vindo de muito longe dos dois lados fica extremamente cheia, no caso da água branca acho que teria que fazer uma obra gigantesca pois é muito antiga a estação, seria mais viável levar até a barra funda a 9 esmeralda ligando pessoal do Grajaú sem precisar passar pela linha 8 diamante.

      1. Concordo de fato quanto a linha 9 tem um ótimo potencial de demanda e atende a vários polos de emprego (Pinheiros, Berrini, Vila Olímpia, Santo Amaro). Apesar disso acho ela relativamente mal conectada em relação ao resto da rede (só é possível acessá-la através das linhas 4, 5 ou 8). Mais legal que isso seria se desse para levá-la até Júlio Prestes (mediante um compartilhamento de vias com a L8) ou vias para ela até a estação, o que possibilitaria uma nova conexão com o sistema (diretamente com a linha 1-Azul, sem depender da linha 4 ou 5 para alcançá-la o que desafogaria Pinheiros e Santo Amaro que são caóticas no horário de pico. Tanto que nesta última a ViaMobilidade ficou incumbida até de construir uma nova ligação, para melhorar o fluxo em Santo Amaro – aquela obra que desabou).

        Mesmo reconhecendo as vantagens de Barra Funda, temo que a estação possa vir a impactar a linha 3 – Vermelha no pico da tarde. Se os trens saírem lotados de Barra Funda no pico da tarde, o embarque pode se tornar complicado de República em diante, agravando o problema de superlotação da linha 3 (daí a importância da linha 11 chegar lá junto com a linha 13). Como citei, uma expansão da linha 3 – Vermelha em ambos os lados (oeste ou leste é impossível e poderia levar ao colapso da linha). Caso tivéssemos uma ligação entre Lapa e Brás ferroviária bem a linha 3 seria desafogada entre Barra Funda e Brás, sendo necessário oferecer alternativas eficientes em relação a linha 3. Infelizmente essa linha não tem mais como ser expandida.

        O que poderia ser feito era a linha 10 – Turquesa passar a ir até a estação Barra Funda também. Vale lembrar que considerando-se as integrações futuras a linha 10 terá integração com as linhas 1, 2, 3, 4, 11, 12 e 13. Se considerarmos também uma eventual expansão até Barra Funda a mesma ganharia a linha 7 e 8 como conexão, bem como em Ipiranga teria a integração com a linha 15 e 5, caso a 5 venha de fato a ser expandida até Ipiranga. Se a linha 9 fosse desviada para a região da Barra Funda a 10 poderia ganhar ainda uma conexão direta com a 9. Neste caso as linhas 9 e 10 seriam úteis para desafogar as linhas do metrô que passam pela região central.

  3. Se todas estas sugestões forem acatadas pelo governo, estas obras seriam concluídas no mínimo em 150 anos.

  4. O governo não consegue reformar direito uma estação, os caras querem uma linha q liga SP a lua kkk

Comments are closed.

Previous Post

Rodrigo Garcia volta atrás e agora diz que Linha 17-Ouro chegará à Paraisópolis

Next Post

Tatuzão da Linha 6-Laranja que foi inundado por esgoto aparece fora do túnel

Related Posts