Destaques Linha 2 Linha 4

Veja como será o novo túnel de ligação entre as estações Paulista e Consolação

Passagem será construída para aliviar fluxo de passageiros entre as estações da Linha 4-Amarela e 2-Verde, mas prazo de entrega ainda é desconhecido

Novo túnel terá sentido estação Paulista apenas (Reprodução)

O Metrô publicou nesta terça-feira (31) um pedido de manifestação de interesse, espécie de convite para que empresas participem de uma consultoria que fará o projeto executivo do túnel de ligação entre as estações Consolação (Linha 2-Verde) e Paulista (Linha 4-Amarela). É o primeiro passo para que o novo espaço seja enfim construído e assim aliviar a complicada transferência de passageiros entre as duas paradas na região da Avenida Paulista.

Além de comprovar experiência no serviço, essas empresas terão de cumprir outros requisitos até o dia 17 de novembro quando os dados terão de ser enviados para o Metrô. Como se trata de um financiamento do Banco Mundial, caberá a ele ratificar a lista de consultorias habilitadas. A partir desse projeto então o Metrô e a concessionária ViaQuatro deverão decidir qual será o método de construção do túnel.

No material disponibilizado aos interessados, o Metrô adiantou algumas características do túnel. Ele começará à direita do atual túnel usado pelos passageiros, logo após as esteiras rolantes (sentido Linha 4). O sentido perpendicular logo fará uma leve curva para a esquerda de forma a ir de encontro ao principal acesso da estação Paulista (veja ilustração). A ideia é que a nova ligação seja usada com exclusividade pelos passageiros que vierem da Linha 2-Verde. Com isso, o atual túnel terá sentido exclusivo para a estação Consolação.

Além disso, a companhia decidiu retirar duas das três esteiras rolantes que existem no túnel que sai da estação Consolação. A esteira restante será utilizava pelas pessoas que estiverem subindo o túnel de forma a abrir espaço para o deslocamento de tanta gente. Atualmente, em horários de pico o movimento de passageiros é tão grande que causa o efeito “zombie walk”, como ficou o problema conhecido nas redes sociais.

Interdição

Embora ainda não existam detalhes sobre o prazo para construção do túnel, o Metrô prevê interditar a calçada e a parte das pistas da Avenida Paulista para construir o poço de ataque, ou seja, por onde a ligação será escavada. Ele ficará no último quarteirão da avenida e tomará parte do asfalto, o que deve deslocar a ciclovia para o outro sentido e permitir apenas a faixa de ônibus no local. O estudo da companhia também alerta sobre a dificuldade em mapear as fundações de três edifícios que estarão no caminho do túnel cujas plantas não forneceram dados conclusivos para o projeto.

O Metrô acredita que o tempo de deslocamento em horário de pico caia de mais de 8 minutos para cerca de 4 minutos – passavam por ali cerca de 22,5 mil pessoas por hora em 2016, número que deverá subir nos próximos anos.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Leave a Comment