Destaques Linha 18 Linha 2 Linha 5 Linha 6 Metrô de São Paulo

Baldy utiliza o Instagram para delinear novos projetos sobre trilhos em 2020

Secretário dos Transportes Metropolitanos volta a responder seguidores e promete novidades no Metrô para “breve”
O secretário Alexandre Baldy: seu Instagram tem se tornado na prática a fonte de informações da pasta dos Transportes Metropolitanos (Marcia Alves)

Na semana passada, com os problemas na Linha 15-Prata, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, utilizou seu perfil pessoal na rede social Instagram para responder usuários do transporte público. Foi em uma dessas interações que ele confirmou o início de operação plena nas três novas estações do monotrilho na segunda-feira, 06, o que de fato ocorreu. Curiosamente, o próprio Metrô só assumiu de fato que as três paradas abririam às 4h40 quando já estavam funcionando anteontem.

Não se sabe se a utilização das redes sociais é uma atitude proposital ou circunstancial, mas fato é que o canal está cada vez mais ativo, ao contrário da via, digamos, tradicional, a assessoria de imprensa da pasta. Este site, por exemplo, enviou questionamentos para dois assuntos importantes nos últimos dias, primeiro sobre a causa da interdição da via da Linha 15, e nesta semana, sobre a previsão de apresentação dos detalhes do projeto do coredor de ônibus BRT, que substituirá a Linha 18-Bronze de metrô.

Em nenhum dos casos houve uma resposta apropriada – sobre o BRT até o momento nenhum contato. Mas novamente, o secretário Baldy deu pistas do que o governo Doria pretende fazer nos próximos meses no transporte sobre trilhos…no Instagram. Em novas respostas na rede social, o executivo antecipou alguns anúncios, inclusive sobre o polêmico corredor de ônibus que, seis meses após seu anúncio, ainda é um mistério, como mostrou o site nesta terça-feira.

A um leitor que levantou o fato de o projeto ainda não ter sido apresentado, Baldy respondeu que “ainda estamos nos estudos e análises dos trâmites legais. Queremos e vamos executar com responsabilidade e gestão. Nos próximos dias será apresentado a população“.

Sobre as obras de extensão da Linha 2-Verde até a estação Penha, o secretário afirmou que “a previsão de início das obras da Linha 2-Verde até Penha é no primeiro trimestre de 2020!“.  Já sobre o imbróglio da Linha 6-Laranja, “no final de 2019 a empresa espanhola Acciona apresentou uma proposta de assumir a construção/operação da Linha 6-Laranja. Em breve anunciaremos os próximos passos“, prometeu.

Outro leitor lembrou o secretário que em visita à região do Jardim Ângela, o governo havia garantido que os estudos para extensão da Linha 5-Lilás na região seria concluído. Baldy então explicou: “dedicamos para concluir estes estudos, mas ainda não foram conclusos, pois não é somente a obra da Linha, existem obras de canalizações e adequações de reurbanização na eventualidade de escolher o trilho na superfície. Desta forma, os estudos comparativos ainda continuam“.

Até mesmo um assunto relacionado, o aumento de bicicletários na CPTM, contou com uma previsão do secretário, que admitiu que esse serviço pode se concedido no futuro.

Uma das respostas do secretário no Instagram: transparência seletiva (Reprodução)

Transparência total

Utilizar as redes sociais como canal de comunicação é algo natural hoje para empresas e personalidades, inclusive políticos. Tem-se a oportunidade de um contato direto com o público, o que é um sinal de transparência. No entanto, não dar respostas claras à imprensa e formadores de opinião tem sido um erro da gestão Doria. Muitas das perguntas que estão sendo feitas nas redes sociais certamente foram balizadas por sites como este, uma forma de conscientizar a população sobre a importância do transporte público de qualidade.

Ou seja, ao esclarecer as dúvidas levantadas pela imprensa, o governo também comprova o argumento de transparência, tão ressaltado pela atual gestão. Não é, no entanto, com respostas vazias como a que foi dada para a Folha de São Paulo nesta terça-feira que isso vai se resolver. Quatro meses depois, jornal repetiu a mesma abordagem feita em primeira mão por este site questionando a baixa de demanda do serviço Airport Express, que liga as estações da Luz e Aeroporto Guarulhos e cujos trens partem com cerca de 30 pessoas a bordo.

Para o governo, “a demanda está crescendo” quando na realidade é um serviço inviável não porque seria ruim (o que não é), mas por conta da impossibilidade de ser oferecido da forma adequada, ou seja, com mais partidas diárias que permitam aos usuários se programar de forma mais eficiente. Isso não ocorre por várias razões, entre elas, indisponibilidade de vias, sistema de sinalização e trens.

Não custava ser realista sobre esses assuntos mais espinhosos e responder de acordo. Caso contrário, vamos ter que esperar por novo posicionamento do secretário em seu Instagram para saber de fato o que está ocorrendo.

Plataforma do Airport Express na estação Luz: quatro meses da matéria deste site, a Folha abordou o mesmo assunto e teve resposta lacônica do governo

 

 

 

Leia no Lulica
O que esperar ao mudar-se para a “terra da rainha” 26/8/2020

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment
  • A lonha roxa e rosa (cerro cora- Sao judas) e desnecessaria assim como aquela do Cambuci ate sapopemba

    Eles prometem as nao vao cumprir

  • Essa promessa do metrô jardim Ângela é igual as promessas de estádio quando o Corinthians queria construir primeiro nas eleições prometem e depois que ganham os votos somem na seguinte eleição aparecem novamente para enganar o povo da região novamente

  • Isso não violaria o princípio da impessoalidade na administração pública? Na Assembléia Legislativa essa Secretaria dos Transportes Metropolitanos age de forma diferente quando recebe pedidos de informações de deputados:

    – Se for deputado da coalização do governo, recebe todas as informações desejadas;

    – Se for deputado da oposição,toma chá de cadeira e em alguns casos o pedido é sumariamente ignorado até estourar o prazo de resposta;

    Para quem duvida, é só consultar no site da Alesp os pedidos de informações.

    Isso também ocorre com alguns sites que divulgam notícias sobre o tema. Temos aqui o relato do Metrô CPTM ser ignorado apenas por fazer indagações questionamos, análises e críticas construtivas, enquanto que outros sites/blog’s que se limitam a publicar conteúdo inofensivo/favorável ao governo ganham atenção e informações.

    Baldy é um político profissional acostumado a fazer marketing de suas ações em cargos eletivos (o que não tem nada demais, diga-se de passagem), mas esse cargo de secretário exige uma discrição e imparcialidades maiores que o de um cargo eletivo.

    Se esse “boicote” a certos sites e políticos continuar, cabe acionar o Ministério Público.

Airway