Bolsonaro anuncia concessão do metrô de Belo Horizonte

Presidente da República esteve em Minas nesta quinta-feira (30) para sancionar a liberação das verbas. Concessão deve ter edital lançado em março de 2022
Metrô Belo Horizonte., Fonte: Wikipedia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou nesta quinta-feira (30) a concessão à iniciativa privada do metrô de Belo Horizonte, que hoje é operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

Na última segunda (27) foi aprovado um projeto de lei que prevê a abertura de crédito especial de R$ 2,8 bilhões para expandir o metrô da capital mineira.

Desse valor, R$ 1,6 bilhão deve ser utilizado para quitar as dívidas da atual administração e para parte da construção de uma nova estação e modernização da Linha 1 (Novo Eldorado). A verba restante, de R$ 1,2 bilhão, será utilizada para a implantação da Linha 2 – o governo do estado deve entrar com outros R$ 428 milhões para o projeto.

A Linha 2 em sua fase inicial prevê a construção de sete estações entre o Barreiro e o Calafate, com 10,5 km de extensão. O investimento estimado pelo BNDES, no entanto, é maior do que a verba já liberada: R$ 3,8 bilhões.

O edital para a concessão do metro de Belo Horizonte deve ser lançado até março de 2022.

Promessa de mais de 20 anos, a Linha 2 ainda não tem um cronograma de início de obras nem de entrega.

Total
1
Shares
6 comments
    1. O presidente da CCR disse certa vez, numa entrevista, que eles não querem construir nada, já querem pegar operante e com receitas, pra ganhar dinheiro logo. Então talvez essa linha não vá de presente para a CCR. (Que deve estar financiando várias campanhas país afora)

      1. tem uma apresentação, da CCR day, que eles querem quase tudo que for de trilhos no Brasil. CBTU, trensurb, CPTM. só não querem a supervia kkkk

        mas segundo a noticia, o governo federal e o governo MG vao financiar a construção da expansão.

  1. Não gosto do regime de concessão prefiro o de autorização que está em vias de ser regulamentado, mas o poder executivo atual está utilizando da ideia de o concessionário em vez de pagar à união, investir em expansões do sistema em troca de renovação, gostaria de saber se essa concessão terá o mesmo princípio.

    Se tivesse, poderíamos plantar para o futuro um novo tipo de certame de concessão, onde os concorrentes apresentam projetos completos para concorrer.

    Por exemplo, eu quero concorrer e vou “pagar” 1 bi na linha atual, sabendo disso, vou modelar uma nova linha que irá que irá também me trazer lucro, mostro isso para um banco e ele concorda e acredita no projeto e me garante mais 1,6 bi de empréstimo. Faço isso novamente com outros bancos. No final tenho um projeto de 4 bi, com cinco linhas de expansão em um consórcio formado por mim e esses bancos.

    Nesse caso concorro com outros consórcios que tem seus projetos também, aquele que apresentar o melhor projeto, ou seja, aquele que conseguiu a maior negociação no mercado, ganhará o certame. Nisso, teríamos uma rede em franca expansão sem as interferências políticas.

    As linhas seriam lucrativas, pois as linhas foram desenhadas pelo próprio concessionário e o risco assumido por este. E o governo pode construir linhas onde não há interesse, geralmente linhas onde há baixa densidade demográfica para tal.

    Nesse caso também, os projetos devem seguir regras para poderem participar, como limite de tarifa, grau de nacionalização, entre outros que os políticos acharem pertinentes.

    Desta minha ideia, leitores do site, o que vocês acham?

  2. Essa mirreca de 1,2 bilhão não constrói nem 2 km de linha…..já que os custos são veiculados em dolar.

    Mas não é novidade alguma do bolsomerda, só quer saber de vender tudo para seus amigos empresários financiadores de campanha….

Comments are closed.

Previous Post

Em oito meses, governo Doria investe menos de R$ 750 milhões no Metrô

Next Post

Com média de 177 usuários por dia, estação Mendes-Vila Natal ganha mais uma hora de funcionamento

Related Posts