A CPTM e a Secretaria dos Transportes Metropolitanos anunciaram nesta quarta-feira, 1º de julho, que a Linha 12-Safira, que liga a estação Calmon Viana, no extremo leste da Grande São Paulo, à estação Brás, no centro, teve seu tempo total de viagem reduzido em 10 minutos. O trajeto, que era feito em média em 62 minutos agora é realizado em 52 minutos, graças a obras concluídas em alguns trechos e a melhoria na sinalização, afirma a empresa.

“As intervenções que vêm sendo realizadas na Linha 12 têm o empenho da equipe da CPTM para atender uma reivindicação antiga dos passageiros pela redução do tempo de viagem. Hoje, a redução de 10 minutos já é uma realidade. Outras obras estão sendo feitas, outros projetos estão sendo pensados para que a gente consiga reduzir ainda mais”, afirmou Alexandre Baldy, executivo da pasta.

Segundo o gerente de manutenção de via permanente e estrutura civil da CPTM, Sérgio Luís Silva, “desde 2019 fizemos diversos estudos que mostravam que, com a modernização dos trens que circulam na via, seria possível aumentar a velocidade em alguns trechos”.

Um dos grandes gargalos do ramal se localizava próximo à futura estação Tiquatira, porém, uma obra da prefeitura de São Paulo no córrego de mesmo nome permitiu o aumento da velocidade no local, que fica entre as estações Engenheiro Goulart e Tatuapé. Segundo a CPTM, a expectativa é que o tempo de viagem caia ainda mais já que há outras obras próxima a São Miguel Paulista e Calmon Viana que permitirão aos trens circularem com maior velocidade.

Média de velocidade baixa

A Linha 12-Safira é a segunda menos movimentada da CPTM, à frente apenas da Linha 13-Jade, que hoje tem intervalos bastante altos e um sistema de sinalização ainda incipiente. Mas o ramal circula com trens lotados devido à baixa oferta de trens, o que tornava a viagem ainda mais cansativa com as constantes reduções de velocidade em certos trechos.

A modernização nas vias, no entanto, ainda pode ser melhorada. A companhia tem uma licitação em andamento para reduzir o intervalo médio dos trens para 3 minutos, o que permitirá que os passageiros fiquem bem menos tempo esperando pela próxima conexão.

Originalmente chamada de “Variante de Poá”, a linha foi construída pela Estrada de Ferro Central do Brasil há um século, como um caminho alternativo para o eixo principal da ferrovia, que hoje se tornou a Linha 11-Coral. São apenas 13 estações no trecho, muitas delas modernizadas e mas algumas de aspecto bastante simplório como Manoel Feio.

Ou seja, os trens da Linha 12 deveriam manter uma velocidade média alta, afinal a distância entre as estações é de cerca de 3 km, também em média. No entanto, até antes da anunciada redução, as viagens no ramal tinham uma velocidade média de apenas 37 km/h, similar à Linha 5-Lilás, que possui 20 km e 17 estações – e portanto, mais tempo desacelerando e parando. Com as melhorias, agora a Linha Safira passa a ter uma velocidade média de 45 km/h.

A expectativa é que o ramal passe a receber mais composições à medida que a CPTM introduza os oito trens da Série 2500 na Linha 13 e libere os 9000 para outras linhas.

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020