CPTM apresenta novas locomotivas para a operação

Novas locomotivas serão as mais potentes da companhia e deverão atuar no apoio á manutenção de Via Permanente e Rede Aérea
Nova locomotiva da CPTM, a PR22 (Paparazzi Ferroviário)

A CPTM recebeu na quarta-feira (28) a primeira das duas novas locomotivas que foram encomendadas junto à Progress Rail. Os novos trens foram fabricados na cidade de Hortolândia, na região de Campinas, e deverão atuar nos serviços de manutenção da companhia.

As duas novas locomotivas são as primeiras adquiridas pela CPTM. O restante do parque de tração é composto por locomotivas herdadas das antigas operadoras como a Fepasa e a CBTU. Os trens chegam em substituição a dois modelos que foram recentemente desativados devido a avarias severas.

Entre as principais características técnicas dos novos trens está sua potência de 2200 hp, se tornando o modelo mais potente da empresa, sistema de motorização utilizando motores de corrente alternada, capacidade de carregar até 50 toneladas de carga e tanque de combustível de 6.200 litros.

Os novos trens serão utilizados principalmente em serviços de via permanente e rede aérea que geralmente necessitam do transporte de cargas pesadas como trilhos, brita, bobinas de cobre, entre outros.

Em relação ao ciclo de trabalho existem grandes benefícios para a operação e a manutenção. O operador do trem terá à sua disposição um console moderno com o monitoramento de diversas funções vitais do trem, de forma que a operação possa ser otimizada. O isolamento acústico promove maior conforto ao maquinista ao mesmo tempo que reduz o risco de doenças ocupacionais. O sistema de tração AC promove grande economia com relação à manutenção do equipamento aumentando a confiabilidade e a disponibilidade do equipamento.

Outro ponto importante a ser destacados é o alto índice de nacionalização do projeto. Com exceção dos motores de tração que foram importados, todo o restante do projeto, incluindo o sistema de monitoramento e os sistemas eletrônicos de tração foram elaborados por engenheiros brasileiros, consolidando de forma gradativa a expertise na fabricação de tecnologia ferroviária.

A locomotiva também foi pensada para atender os mais altos padrões de sustentabilidade. Apesar de ser um equipamento diesel-elétrico, onde o motor diesel movimenta um gerador elétrico que fornece energia aos motores, o tipo de combustível utilizado é o Diesel S10. Esse combustível polui menos o ambiente por conter menor índice de enxofre em sua composição. A página do Paparazzi Ferroviário fez imagens aéreas pelo local mostrando uma visão geral da nova locomotiva.

Primeira unidade da locomotiva PR22 (Paparazzi Ferroviário)

Em âmbito geral, a compra é muito boa e veio em um excelente momento. A CPTM realizou a reforma de trens mais antigos que garantem uma sobrevida maior aos materiais, mas a aquisição de novas locomotivas garante a estabilidade e a melhoria da rotatividade dos trens de forma que um alto índice de disponibilidade possa ser alcançado. Esse índice de disponibilidade afeta a empresa de forma positiva fazendo com que os planos de serviço possam ser cumpridos sem eventuais interferências.

Total
10
Shares
6 comments
  1. Tudo novinho para a CCR. Quem deveria comprar esses materiais é a futura concessionária. Usam dinheiro público, para entregar em poucos meses pra iniciativa privada.

    1. Concordo, mas não dá pra cancelar um contrato assinado anos atrás, mas essas locomotivas vão ficar por enquanto nas linhas operadas pela estatal

  2. Falando em locomotiva diesel-elétrica e em trens regionais aquí nos comentários, gostaria de fazer uma observação:
    Poderiam investir na tração diesel-elétrica para os trens regionais, já que nosso país é autosuficiente em petróleo, e utilizando este tipo de tração, permitirá que os projetos das linhas saiam mais rápido do papel por serem mais baratos.

    A eletrificação ferroviária além de onerosa em sua implantação, esbarra no problema energético que passa nosso país, com hidrelétricas operando no limite de sua capacidade. Sem dizer no problema de roubos de cabos elétricos que poderá ocorrer como acontece com a CPTM.

    Devidos às leis ambientais e a pressão da bancada ambientalista, o Brasil tem enormes dificuldades em construir mais usinas hidrelétricas. (Belo Monte é um exemplo)

    É bom saber que hoje os motores diesel são mais eficientes, silenciosos e com 80% menos emissão de gases.
    Este modelo de locomotiva aí apresentado é um exemplo.
    Trens regionais com tração diesel-elétrica é comum no Canadá, Austrália e Estados Unidos, países com dimensões continentais semelhantes ao Brasil.

  3. A pura verdade como falou o Luccas acima, compra com o dinheiro público pra dar de graça pra CCR usufruir. PSDB está acabando com o estado de São Paulo e o povo não vê isso. Depois a CCR vem pedir mais subsídios ou aplica mais uma multa igual a que fez aí Estado e recebeu mais de 1 bilhão usando esse dinheiro pra adquirir as linhas 8 e 9. Ou seja dinheiro nosso que usaram pra conseguir a concessão fraudulenta como todas as outras concessões.

Comments are closed.

Previous Post

Audiência pública do Trem Intercidades ocorrerá no dia 16 de agosto

Next Post

Mendes-Vila Natal abrirá no dia 10 de agosto e João Dias, em setembro, diz secretário

Related Posts