Uma das mais movimentadas estações da Linha 9-Esmeralda, Vila Olímpia pode se transformar na primeira estação sustentável da CPTM. É o que pretende uma empresa privada (ainda não revelada), que apresentou uma manifestação de interesse no dia 12 de novembro, oferecendo a reforma e manutenção da parada por cinco anos, sem custos para a companhia.

Como é praxe nesses casos, a CPTM precisou lançar um chamamento público para que outras possíveis interessadas façam propostas semelhantes. Segundo o edital, a empresas que quiserem participar terão até a próxima segunda-feira, 30 de novembro, para apresentar suas ofertas.

Entre os trabalhos que serão realizados para adaptar a estação estão a instalação de jardins verticais, com sistema de reuso de água para mantê-los, utilização de energia solar, substituição do mobiliário por itens com materiais sustentáveis e disponibilização de equipamentos para recarga de celular. Além disso, a empresa que assumir a manutenção da parada irá instalar um novo acesso para bicicletas e melhorias no bicicletário, que incluem carregadores para modelos elétricos.

Ao final do contrato, essas melhorias deverão ser doadas à CPTM. Não está claro como a empresa selecionada usufruirá da execução dessas melhorias, mas tudo leva a crer que ela contará com algum tipo de divulgação a respeito dessa “adoção” da estação.

Transformação da Usina da Traição, ao lado da estação da CPTM (GESP)

Requalificação da Marginal Pinheiros

Embora não esteja aparentemente conectada às iniciativas do governo do estado, a transformação de Vila Olímpia numa estação sustentável vai de encontro com outros projetos da gestão Doria na região. O tucano concedeu semanas atrás a Usina da Traição para a iniciativa privada, que transformará o local, vizinho à linha da CPTM, num centro de lazer e gastronomia batizado de “Usina São Paulo”.

O governo também promete limpar o rio Pinheiros até 2022, espera-se, eliminando o odor característico nas suas margens e que afeta de sobremaneira a Vila Olímpia. Além disso, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente lançou também nesta semana um chamamento público com vistas à implantação de um parque linear na margem oeste do rio Pinheiros. O projeto contempla várias ações de lazer, culturais e esportivas no eixo entre as pontes João Dias e Cidade Jardim.

Sua implementação, no entanto, depende do fim das obras da Linha 17-Ouro na ciclovia da margem leste afim de liberar o trecho provisório do outro lado do rio.