Em jornal, Baldy sugere atraso nas inaugurações previstas para 2022

Secretário afirmou ao O Estado de São Paulo que ocorrerão 12 inaugurações “nos próximos dois anos”. Reportagem cita abertura da Linha 17-Ouro apenas em 2023
Trecho da Linha 17-Ouro do Metrô (iTechdrones)

Ao contrário das previsões oficiais divulgadas até pouco tempo atrás, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, afirmou ao jornal O Estado de São Paulo em reportagem publicada nesta sexta-feira (17) que algumas inaugurações de estações, antes programadas para 2022, deverão ocorrer apenas em 2023.

O executivo-chefe da STM não esclarece quais dessas inaugurações serão postergadas, mas relata que 12 estações terão a abertura “nos próximos dois anos”, ou seja, até meados do segundo semestre de 2023. Três das estações estão na reta final de obras – João Dias, Jardim Colonial e Vila Sônia -, portanto, restariam as oito estações da Linha 17-Ouro e a parada Varginha, da Linha 9-Esmeralda.

Mas o artigo do ‘Estadão’ é mais claro ao citar diretamente a Linha 17, de monotrilho, que, segundo o jornal, “pode, enfim, ter o primeiro trecho concluído em 2023, quando o sistema deve começar a operar, com oito estações”.

Durante cerimônia que oficializou o reinício do lançamento de vigas-trilho no ramal do Metrô, o governo Doria voltou a afirmar que fase prioritária da Linha 17 será entregue até o final de 2022. Já o presidente do Metrô, Silvani Pereira, por outro lado, repetiu a possibilidade de uma abertura parcial no ano que vem em evento nesta semana.

Obras da estação Varginha (Linha 9) em setembro: ritmo de trabalhos aumentou, mas panorama é ainda bem aquém do esperado (iTechdrones)

Sem inaugurações em 2022?

Como o site pontuou recentemente, a gestão Doria corre o risco de não entregar qualquer estação de metrô ou trem metropolitano no ano que vem. Isso porque, além da Linha 17, a obra de construção da estação Varginha encontra-se num estágio bastante inicial para um projeto que deverá ficar pronto em até 15 meses.

Já a Linha Ouro depende não apenas de que as obras civis restantes sejam concluídas, como sobretudo todos os contratos de sistemas possam ser minimamente cumpridos nesse curto espaço de tempo.

Além dos 14 trens de monotrilho em fabricação pela BYD, há diversos outros aspectos importantes como sistemas de sinalização, controle de portas de plataforma, comunicação, alimentação elétrica e operação dos track-switches, aparelhos que permitem a mudança de via.

Retomado no primeiro semestre, o contrato ainda não teve qualquer informação sobre seu andamento compartilhada pelo governo do estado até aqui.

Total
1
Shares
1 comment
  1. Boa tarde.
    Qual a razão do MP ou moradores que insistem em barrar a obra do Complexo Rapadura, Linha 2 Verde Expansão conforme o noticiário tendencioso de ontem na SP2 Globo, pelo mesmo repórter das vezes anteriores, só escutando os Inimigos do METRÔ?
    A obra está andando em todas as estações e no Complexo caminha lentamente.
    Como mudamos a situação? para melhor…
    O que precisa para abrir a vala ?

Comments are closed.

Previous Post

Em transporte, programa Pró SP é ‘requentado’ de projetos em andamento e promessas antigas

Next Post

Quais são os desafios para a Acciona entregar a Linha 6 dentro de 4 anos

Related Posts