Escavações no Complexo Rapadura devem começar em setembro

Canteiro de obras da Linha 2-Verde servirá de primeiro emboque para o ‘tatuzão” que construirá os 8 km de túneis da extensão até Penha
O canteiro de obras do Complexo Rapadura: escavações em setembro (iTechdrones)

Apesar de ter sido liberado para instalação dos canteiros, o Complexo Rapadura, parte da extensão da Linha 2-Verde até Penha, continua sem obras. O consórcio responsável por escavar um poço no local para entrada do ‘tatuzão’ ainda depende da licença ambiental fornecida pela Cetesb para iniciar os trabalhos.

A boa nova é que isso deverá ocorrer em setembro, segundo sugeriu o presidente do Metrô, Silvani Pereira, em resposta no Instagram. A informação foi confirmada pelo site com uma fonte ligada ao projeto.

Se tudo correr como previsto, as escavações no local finalmente terão início, pouco mais de um ano depois de o projeto ter sido suspenso após protestos de moradores. O atraso deve se refletir nas metas do governo de entregar a extensão de 8 km entre 2025 e 2026. Oficialmente, o prazo permanece valendo.

Localizado entre as estações Santa Isabel e Vila Formosa, o Rapadura também servirá como estacionamento de trens de estratégia, composições que são inseridas no carrossel durante os horários de pico.

Obras deveriam ter começado há um ano (iTechdrones)

Antes disso, a vala a céu aberto (VCA) que será construída a partir do mês que vem servirá de base para o emboque da tuneladora da Herrenknecht, fabricante alemã contratada pelo Consórcio CML2, para iniciar escavações até o poço Falchi Gianini.

Empréstimo com o CAF ainda não foi assinado

Com exceção do Rapadura, outros canteiros têm mostrado evolução contínua. A estação Vila Formosa, a primeira que será visitada pelo shield, atingiu 22,5 metros de profundidade, ou seja, pouco mais da metade do poço.

Orçadas em cerca de R$ 5,5 bilhões pelo governo, as obras de expansão da Linha 2-Verde dependem de um financiamento de US$ 550 milhões junto ao CAF, Banco de Desenvolvimento da América Latina, valor que convertido para reais chega a cerca de R$ 2,8 bilhões.

Aprovado no final de julho pelo CAF após liberação pelo Cofiex, órgão ligado ao Ministério da Economia, o empréstimo ainda está pendente de assinatura, de acordo com o painel publicado pelo governo federal.

Poço da estação Vila Formosa chega a 22,5 metros de profundidade (iTechdrones)

Até julho, o desembolso com o projeto da Linha 2-Verde havia atingido R$ 143,5 milhões, ou 40% dos R$ 360 milhões previstos pelo Metrô para 2021. O avanço físico do empreendimento era de 16,3%, segundo relatório da companhia.

Total
11
Shares
Previous Post

Estudo do TIC mostra cenário diferente para a expansão da malha sobre trilhos em SP

Next Post

Com tema ‘Trilhos para um futuro sustentável’, 27ª Semana de Tecnologia Metroferroviária ocorrerá em setembro

Related Posts