Abertas às pressas no sábado, 27, a estação São Paulo-Morumbi passa a levar a Linha 4-Amarela mais próxima da periferia da capital e da divisa com o município de Taboão da Serra – distante quase 4 km de lá. Embora não fosse a linha de trem mais “central” da cidade – título que cabe à Linha 2-Verde que na sua maior extensão fica a 6,5 km do marco zero – o ramal operado pela ViaQuatro percorria até então um trecho caracterizado por pólos geradores de emprego.

Até Butantã, então a estação mais afastada do centro (8 km), a Linha 4 tem mais um papel distribuidor do que pendular. A exceção é justamente Butantã que concentrava todo o fluxo de passageiros vindo da região e de outros municípios vizinhos graças ao seu terminal de ônibus. Com isso, nada menos que 80 mil pessoas utilizam essa estação diariamente, parte delas que deverá descer em São Paulo-Morumbi – 12 linhas devem ser deslocadas para lá.

Mas o terminal de ônibus da nova estação ficou para depois. Segundo o governo, ele será inaugurado em cerca de 45 dias, portanto, em dezembro. Com ele concluído, a previsão é que São Paulo-Morumbi movimente 26,5 mil pessoas por dia, assumindo provisoriamente um papel que foi pensado para ele inicialmente. Nos primeiros projetos do Metrô, a estação seria terminal da Linha 4, mas a supressão da estação Três Poderes fez o governo planejar uma nova estação, Vila Sônia, ao lado do pátio de manutenção.

Dotada de um terminal de ônibus construído por cima do pátio, a futura estação deverá ficar pronta em 18 meses, segundo a estimativa mais recente. Portanto, até meados de 2020 São Paulo-Morumbi servirá como terminal, distante pouco mais de 10 km do centro de São Paulo. Já sobre a futura ampliação até Taboão da Serra, que acrescentará duas novas estações à linha, nenhuma novidade afinal a decisão caberá ao novo governador João Dória, que assumirá em 1º de janeiro de 2019.

Bloqueios

Estação ampla

Além do papel social de levar um transporte de alta capacidade para uma região com mobilidade complicada, a nova estação também foi comemorada pela torcida do São Paulo Futebol Clube. O clube de futebol era o único da capital a não contar com uma estação de metrô ou trem próxima ao seu estádio. Agora, São Paulo-Morumbi assumirá uma função importante para os frequentadores do estádio do Morumbi, distante cerca de 1,5 km da linha. E o primeiro teste para os são-paulinos ocorrerá no próxima domingo, 4 de novembro. O governo e a ViaQuatro ampliarão o horário de funcionamento nesse dia, de 10h às 21h em vez de 15h para que a torcida possa usufruir da nova estação.

Os torcedores (e usuários comuns) que visitarem a nova estação encontrarão uma estrutura bastante ampla e não tão profunda quanto outras da linha. Com pouco menos de 28 metros de profundidade, São Paulo-Morumbi possui quatro pisos subterrâneos. Além da plataforma, há um mezanino metálico como em outras estações do ramal. De lá o passageiro caminha por um curto corredor lateral até o primeiro lance de escadas. Mais um piso intermediário e subimos até o andar onde se encontram a bilheteria, o túnel de ligação com o acesso secundário e a longa linha de bloqueios, necessária para dar conta do movimento vindo do terminal de ônibus.

Certamente será uma estação onde a ViaQuatro poderá instalar vários quiosques e lojas, mas que carece de uma iluminação natural maior. Apesar da enorme cobertura metálica, ainda incompleta, a luz do sol só chega ao interior pelo acesso principal e por uma pequena fresta no centro do terminal de ônibus e que está fechada por conta das obras. O acesso secundário, todo revestido de vidro no térreo, prevê uma futura ligação com a Linha 17-Ouro de monotrilho, mas que está suspensa no momento.

A viagem entre Butantã e São Paulo-Morumbi leva cerca de 2 minutos e 45 segundos e percorre 2,4 km, uma das maiores distâncias entre estações do Metrô de São Paulo – tudo por culpa da ausência da estação Três Poderes. Os usuários que desembarcarem de ônibus no corredor da avenida Francisco Morato precisarão que a CET altere o tempo de abertura do semáforo de pedestres, hoje extremamente favorável aos carros. Além do terminal e do estádio do Morumbi nas proximidades, a estação também dará acesso ao Shopping Butantã, do outro lado da avenida Jacobe Salvador Zveibil.

O horário de operação reduzida das 10 às 15 horas deve durar pelo menos 15 dias quando possivelmente a ViaQuatro já passe a abrir a nova estação em horário pleno. Com mais essa inauguração, a rede metroferrroviária soma 19 estações abertas em 2018, maior expansão de sua história. São cerca de 370 km de trilhos, contando a CPTM (273 km) e Metrô/ViaQuatro/ViaMobilidade (96 km).

Veja também: Uma comparação entre o serviço expresso para Guarulhos e outros aerportos do mundo