Estação Varginha continua a mostrar lento avanço em abril

Futura parada final da Linha 9-Esmeralda tem canteiro de obras mais movimentado, porém, segue distante do prazo de entrega em 2022, prometido pelo governo Doria
Estação Varginha (Linha 9) em abril de 2021 (iTechdrones)

As obras da estação Varginha da Linha 9-Esmeralda têm avançado nos últimos meses após um impasse entre o governo do estado e a construtora Engibrás, mas que não foi esclarecido até o momento. No entanto, o ritmo continua aquém do que se espera de um empreendimento desse porte, ainda mais porque a gestão Doria insiste em prometê-lo para 2022.

Em nova visita do canal iTechdrones ao canteiro de obras na semana passada, ficou claro que a estação não apresenta qualquer chance de ser entregue no ano que vem. Seria preciso uma mudança brutal no número de funcionários e equipamentos para que os trabalhos fossem acelerados, mas não é isso que se vê até o momento.

A construtora, de fato, já mostra mais atividades sendo realizadas na área como a concretagem da cobertura da plataforma, que teve mais um módulo executado, assim como nas fundações de um prédio auxiliar, mas têm sinais tênues de normalidade.

Além da estação em si, é possível notar o descarregamento de material de construção como ferragens , além de movimentação de terra em alguns pontos. Um viaduto ferroviário logo após a estação teve uma estrutura lateral concretada, mas não havia funcionários no local no dia da gravação.

Na encosta de um muro de contenção que servirá para as vias, estranhamento se vêem barracas improvisadas de finalidade desconhecida. Todo o trecho onde serão instalados os trilhos encontravam-s sem trabalhos, com moradores circulando livrevemente pelo local.

O avanço na plataforma após um mês (iTechdrones)

Prazo vencido

A situação da obra de Varginha, parte da extensão da Linha 9-Esmeralda em direção ao extremo sul da capital paulista, é bastante incomum até para os “padrões de atraso” da CPTM. Assinado em abril de 2019, o contrato previa apenas 18 meses de vigência além de outros 12 meses de “operação assistida”. Ou seja, a estação em tese deveria ter sido concluída em outubro do ano passado mas, como se vê, está muito longe disso.

O atraso, por outro lado, não ensejou nenhum aditivo ao contrato, seja de extensão do prazo ou mudança de valores, como é comum nesses casos em que há algum tipo de descompasso.

Também causa espanto que o secretário Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) tenha afirmado em seus perfis em redes sociais que acompanha a obra diariamente por meio de fotos enviadas do canteiro.

Se fosse o caso de um novo contrato, com todo o tempo necessário para mobilização de pessoal, maquinário e materiais talvez fosse até compreensível não esperar grande velocidade no começo, mas nesse caso a empresa já está instalada há tempos no local. Resta saber quando enfim o governo Doria admitirá que há algo errado com a estação Varginha.

Total
3
Shares
1 comment
  1. Com essa quantidade de funcionários, apenas se eles fossem o “the flash” para terminar em 2022. Infelizmente, as autoridades fazem o povo de trouxa.

Comments are closed.

Previous Post

Metrô completa contratação de sondagens para a Linha 19-Celeste

Next Post

Projeto de modernização do CCO do Metrô é alvo de pedido de impugnação

Related Posts