Instalação da passarela da estação João Dias é concluída

Estrutura metálica da futura estação da Linha 9-Esmeralda foi içada nesta madrugada pela construtora Telar. Obra deve ser concluída em outubro
A passarela da estação João Dias (iTechdrones)

A construtora Telar, em conjunto com a CPTM, realizou com sucesso o içamento da passarela da futura estação João Dias nesta madrugada, aniversário de São Paulo. A estrutura, com cerca de 50 metros de comprimento, havia sido montada sobre a plataforma da estação e precisou de um longo período para ser preparada para instalação em suportes no acesso e no corpo principal da parada.

Para realizar o içamento, foi preciso interditar a Marginal Pinheiros desde o final da noite do domingo. Um enorme guindaste foi posicionado na alça de acesso da Marginal enquanto carretas receberam a estrutura, transferida da plataforma. Vídeo do canal iTechdrones mostra a passarela instalada (veja abaixo).

Proposta pela empresa Brookfield, dona do conjunto corporativo onde está o acesso, a estação João Dias, da Linha 9-Esmeralda, é uma doação da empresa, que pretende melhorar o acesso ao seu empreendimento. O custo do projeto foi todo bancado pela companhia, que contratou a Telar para realizar a obra. Coube à CPTM assinar o convênio de doação e fiscalizar o projeto e execução da obra, além de realizar serviços nas vias.

Com demanda prevista para mais de 10 mil passageiros por dia, a nova estação da Linha 9 deverá ser concluída em outubro, segundo documento da CPTM. Mas a companhia prevê abrir a parada apenas em 2022, segundo recentes declarações.

Com um projeto que privilegia as estruturas metálicas, a nova estação terá um visual mais moderno que as atuais paradas do ramal, com uso de vidros espelhados, que de certa forma irão seguir o projeto do edifício. As obras começaram no ano passado e têm apresentado uma evolução acima das expectativas, confirmando que a ação da iniciativa privada, quando bem balizada pelo poder público, pode render frutos inestimáveis para a população.

Agora, a Telar deve concluir a construção das plataformas e áreas de acesso como elevadores e escadas, além de salas técnicas no acesso, entre outros serviços. A obra tem custo estimado de R$ 60 milhões, bancados pela Brookfield.

Total
36
Shares
3 comments
  1. Olha a rapidez dessa obra, é ridículo. Varginha não tem condições.
    Aliás, já há algum movimento por lá?

    1. Essa obra está sendo paga pela dona do condomínio em frente… tanto que está sendo utilizado o terreno deles… trabalho lá.

  2. Olha , o outro lado do rio sempre deixado de lado.
    O certo mesmo, seria esta estação da acesso aos moradores da região do JD. São Luiz e adjacência, cadê os políticos da região que não ver isso e só aparessem para pedir votos na época de eleições

Comments are closed.

Previous Post

Licitação do Trem Intercidades até Campinas pode ficar para 2022

Next Post

BNDES detalha condições para apoio aos investimentos na concessão das Linhas 8 e 9 da CPTM

Related Posts