Linha 17-Ouro tem novo acidente com queda de viga-trilho

Estrutura de concreto desabou após uma falha durante o içamento perto da Ponte do Morumbi. Embora não tenha afetado as vias da Linha 9, acidente interrompeu operação no início da terça-feira
A treliça lançadeira onde o acidente teria ocorrido e o trem da Linha 9-Esmeralda (iTechdrones)

Nesta madrugada (11 de janeiro), a Linha 17-Ouro voltou a ter um acidente com o içamento de vigas-trilho. O Consórcio Monotrilho Ouro, responsável pelas obras complementares do ramal, tentava instalar mais uma dessas estruturas no trecho da Marginal Pinheiros quando um problema na treliça lançadeira provocou a queda da peça de concreto.

O trecho afetado fica próximo da Ponte do Morumbi mas, apesar do problema, não afetou as vias da Linha 9-Esmeralda, da CPTM. Apesar disso, a companhia acabou interrompendo a operação dos trens no início da madrugada no trecho, acionando o serviço Paese, com ônibus ligando as estações Morumbi e Berrini.

Por volta de 6h30, no entanto, os trens voltaram a circular pela Linha 9, embora com intervalos mais altos do que o normal e velocidade reduzida próximo à Ponte Octávio Frias.

A viga despencou da treliça, permanecendo pendurada por uma dos lados até despencar, como mostra o vídeo acima, que circula nas redes sociais. Mais tarde, imagens aéreas do jornal mostraram a viga-trilho tombada ainda na área de obras, mas bem perto das vias da Linha 9.

A viga-trilho tombada após o acidente e no alto os trilhos da Linha 9 (Reprodução/TV Globo)

A operação de lançamento das vigas-trilho no trecho da Marginal começou em setembro utilizando um método diferente do usual, com içamento por guindastes. Por conta do difícil acesso, o Metrô decidiu criar dois pontos de acesso aos pilares por meio das treliças lançadeiras, que recolhem as vigas e então deslizam sobre as vias até o ponto de encaixe.

O trabalho evoluía bem até então, com boa parte das vigas instalada, como mostrou o canal iTechdrones na semana passada.

Este não foi o primeiro acidente que envolveu a queda de uma viga-trilho nas obras do monotrilho. Em junho de 2014, uma estrutura semelhante despencou dos pilares após ser instalada perto do Aeroporto de Congonhas, vitimando um funcionário. Na época, o episódio motivou o Ministério do Trabalho a suspender os trabalhos até que ficassem claros os motivos do acidente.

O site questionou o Metrô a respeito de possíveis atrasos. A companhia enviou a seguinte resposta:

Na madrugada desta terça-feira (11), por volta das 03h, uma viga-guia da L17-Ouro caiu ao ser transposta na marginal do Rio Pinheiros. A CPTM/ViaMobilidade operou de 4h às 5h18 com o sistema Paese entre às estações Berrini e Morumbi, da Linha 9-Esmeralda, enquanto avaliava possíveis danos. As equipes do Metrô e da construtora envolvidas na obra da L17-Ouro se reuniram e uma perícia técnica foi contratada para identificar a origem do incidente. Paralelamente, as demais atividades prosseguem normalmente, sem afetar o atual cronograma“.

Nota do editor: atualizado às 9:40 do dia 12 de janeiro para inclusão da resposta do Metrô.

Vigas do monotrilho da Linha 17: luz no final do túnel?
A primeira queda de uma viga-trilho ocorreu em 2014 próximo ao Aeroporto de Congonhas
Total
29
Shares
2 comments
  1. Está um parto de quadrigêmeos construir essa linha. Agora o Ministério Público vai cair em cima pra suspender a obra até um laudo completo.

Comments are closed.

Previous Post

Governo Doria volta atrás em redução de horário de transferência nas estações Tatuapé e Itaquera

Next Post

Confira o avanço das obras da CPTM no mês de dezembro de 2021

Related Posts