Linha 3-Vermelha do Metrô volta a transportar mais de 1 milhão de pessoas por dia

Ramal mais lotado de São Paulo teve média de 996 mil usuários em dias úteis durante março, marca mais alta desde o começo da pandemia do Covid-19
Trem da Linha 3: de volta aos sete dígitos (Jean Carlos)

Dois anos após as restrições sociais para conter a pandemia do Covid-19, o Metrô de São Paulo voltou a experimentar uma demanda bastante elevada em suas linhas. Em março, por exemplo, a Linha 3-Vermelha, mais lotada do sistema sobre trilhos, voltou a registrar dias em que mais de 1 milhão de passageiros circularam por suas 18 estações.

Na média, a Linha 3 recebeu 996 mil usuários em dias úteis, mas atingiu 1,048 milhão de passageiros durante o pico, cuja data não é divulgada pelo Metrô. A demanda é 66% mais alta do que em março de 2021 e 13% superior ao mês de fevereiro deste ano.

Em percentual, no entanto, a Linha 2-Verde foi a que mais cresceu em um ano. O movimento em suas 14 estações aumentou 82%, chegando a 560 mil usuários diários contra 308 mil há 12 meses. A Linha 15 seguiu próxima, com aumento de 79% enquanto a Linha 1-Azul subiu 76%.

É o nível mais alto de lotação nos ramais operados pelo Metrô de São Paulo desde o início da crise sanitária, mas ainda assim o patamar segue bem abaixo dos níveis pré-pandemia. A Linha 3-Vermelha, por exemplo, chegava perto de receber 1,5 milhão de passageiros diariamente enquanto a Linha 1-Azul chegou a passar essa marca em 2019 em alguns meses. Já a Linha 2-Verde mantinha uma demanda diária acima de 800 mil usuários com regularidade.

Evolução da demanda na Linha 3

Mesmo a Linha 15-Prata ainda não voltou a bater seu recorde, obtido em fevereiro de 2020 (116 mil usuários), quando houve o incidente do estouro de um pneu e que fechou o ramal de monotrilho por meses. No mês passado, a linha chegou a 104 mil passageiros diários com pico de 109 mil pessoas. Ainda assim, a melhor marca após sua reabertura, em junho de 2020.

Crescimento nas linhas 8 e 9

Os dados da CPTM corroboram a tendência de recuperação da demanda verificada após a suspensão de várias medidas de isolamento social. A Linha 7-Rubi, por exemplo, movimentou 9,7 milhões de pessoas em março, volume superior ao obtido em 2019, enquanto a Linha 13-Jade bateu seu recorde histórico, com 363 mil usuários durante todo o mês.

Divulgados pela ViaMobilidade, os dados de demanda das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, assumidas por ela em janeiro, também revelam um forte crescimento. A média diária dos dois ramais chegou a 317 mil passageiros (Linha 8) e 362 mil passageiros na Linha 9, que também teve seu melhor mês desde o início da pandemia, com 9,5 milhões de passageiros transportados.

Apenas as linhas 4-Amarela e 5-Lilás não tiveram suas estatísticas disponibilizadas até a publicação deste artigo, impedindo uma análise completa do panorama.

Total
3
Shares
1 comment
  1. A humilhação de enfrentar essa linha voltou a rotina do Paulista e o descaso prestado voltou a ser como era antes da pandemia.

    Essa linha deixa a população exausta, doente, machucada. Não tem imunidade que resista pegar essa linha em horário de pico.

Comments are closed.

Previous Post

Veja como estão as obras de sinalização na Linha 10-Turquesa

Next Post

Perto de operar Vila Sônia em tempo integral, Linha 4-Amarela voltará a ser parcialmente fechada

Related Posts