Metrô de SP investiu mais de R$ 1,5 bilhão em expansão e modernização em 2021

Companhia ampliou investimento em 49% comparado à 2020. Obras da Linha 2-Verde tiveram o maior valor despendido, com mais de R$ 620 milhões
Estação Santa Clara, da Linha 2 (CMSP)

O Metrô de São Paulo voltou a ampliar os investimentos na expansão e modernização das suas linhas em 2021. A companhia chegou ao final do ano com um desembolso de R$ 1,53 bilhão, alta de 49% em relação a 2020, quando havia sido investido pouco mais de R$ 1 bilhão.

O total também é superior a 2019, primeiro ano sob a gestão do governo Doria, em que o Metrô investiu R$ 1,2 bilhão em seus projetos de expansão e recapacitação de linhas.

Apesar disso, o valor ficou bastante abaixo da meta original, que previa um desembolso de mais de R$ 2,7 bilhões no ano passado. A principal culpada por isso é a Linha 17-Ouro, que novamente ficou muito aquém das previsões.

O ramal de monotrilho deveria ter recebido quase R$ 838 milhões durante o ano, mas somente R$ 286 milhões (34%) foram gastos, segundo a empresa. O montante, entretanto, é bastante superior aos anos de 2019 e 2020, quando o Metrô investiu pouco mais de R$ 160 milhões nas obras.

A Linha 2-Verde foi de longe a que mais recebeu investimentos em 2021 (clique para ampliar)

Contribuíram para isso o atraso no contrato de sistemas, que prevê a fabricação de 14 trens pela BYD, e que passou boa parte do ano parado na Justiça. Por outro lado, o consórcio Monotrilho Ouro, que tem a responsabilidade de concluir as obras civis, apresentou um ritmo bastante modesto nos trabalhos.

Na outra ponta está a Linha 2-Verde, cuja expansão até Penha consumiu quase R$ 630 milhões em 2021, uma alta expressiva em relação a 2020 quando foram gastos R$ 103 milhões. O ramal deve dominar os investimentos nos próximos anos, por conta de sua magnitude que envolve 8 km de vias subterrâneas e oito estações.

Funcionários do consórcio Monotrilho Ouro: obras da Linha 17 decepcionaram mais uma vez (CMSP)

A Linha 15-Prata, por sua vez, tem mantido um ritmo constante de investimentos, embora tenha havido ligeira queda no ano passado. Este ano, porém, caso o Metrô consiga dar sequência à licitação de construção das estações Boa Esperança e Jacu Pêssego, esse total deve voltar a subir.

Ainda na expansão, as linhas 4-Amarela e 5-Lilás continuam a ver os recursos caírem por conta de terem chegado à reta final de seus projetos. O ramal gerenciado pela ViaMobilidade só tem pendente a instalação das portas de plataforma em Santo Amaro enquanto a linha administrada pela ViaQuatro teve a estação Vila Sônia entregue em dezembro passado.

ProjetoOrçamento 2021Realizado em 2021Real vs. Previsão
Expansão da Linha 2-Verde até Penha R$ 741.335.000,00 R$ 623.227.000,00 84,1%
Expansão da Linha 4-Amarela até Vila Sônia R$ 159.965.000,00 R$ 107.337.000,00 67,1%
Expansão da Linha 5-Lilás (portas de plataforma) R$ 146.796.000,00 R$ 96.484.000,00 65,7%
Expansão da Linha 15-Prata R$ 333.815.000,00 R$ 245.472.000,00 73,5%
Implantação da Linha 17-Ouro R$ 837.735.000,00 R$ 286.008.000,00 34,1%
Projeto da Linha 19-Celeste R$ 47.762.000,00 R$ 3.068.000,00 6,4%
Projetos da expansão metroviária R$ 21.176.000,00 R$ 1.426.000,00 6,7%
Modernização da Linha 1-Azul R$ 29.517.000,00 R$ 11.492.000,00 38,9%
Modernização da Linha 2-Verde R$ 5.421.000,00 R$ 1.066.000,00 19,7%
Modernização da Linha 3-Vermelha R$ 28.540.000,00 R$ 3.971.000,00 13,9%
Operação das linhas metroviárias R$ 375.439.000,00 R$ 154.342.000,00 41,1%
Portas de plataforma R$ 267.000,00 R$ – 0,0%

Linha 19-Celeste começa a aparecer

O Metrô também investiu mais nos projetos relacionados à Linha 19-Celeste, que ligará Guarulhos ao centro de São Paulo. Foram quase R$ 48 milhões dispendidos, volume que subirá este ano por conta de novos contratos em execução. A companhia também destinou R$ 21 milhões para outros projetos como a Linha 20-Rosa.

Por fim, nos projetos de modernização das três linhas mais antigas do Metrô, houve uma queda bastante grande nos investimentos que, somados, atingiram apenas R$ 16,5 milhões contra R$ 35 milhões em 2020 e R$ 94 milhões em 2019. As linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha passam pelo processo de implantação do sistema de sinalização CBTC e instalação de portas de plataforma em algumas estações, e que já estão quase concluídos.

Total
9
Shares
Previous Post

Obras da Linha 17 voltam a apresentar lenta evolução

Next Post

Linha 13-Jade é a primeira na CPTM a ter operação de trens automatizada

Related Posts