Metrô dá início aos estudos mercadológicos da Linha 19-Celeste

Com um investimento na ordem de R$ 690 mil, o estudo deverá trazer um detalhamento do potencial mercadológico e imobiliário na região das estações
Estudos deverão ampliar receitas na Linha 19-Celeste (Jean Carlos)

O Metrô de São Paulo firmou recentemente mais um contrato para estudos da Linha 19-Celeste que atenderá o município de Guarulhos. Serão realizados levantamentos mercadológicos ao longo da área de influência da nova linha.

Segundo o Metrô, o estudo mercadológico se justifica pela potencialização de espaços comerciais e imobiliários na zona de influência do novo tramo metroviário. As informações levantadas servirão como subsídio para etapas distintas do desenvolvimento do projeto da Linha 19-Celeste.

Trajeto prioritário da Linha 19

Entre os serviços estão os projetos de inserção urbana e a concepção de arquitetura a ser adotada nos novos empreendimentos do Metrô. “Estes elementos são essenciais para garantir a implantação de diretrizes de comercialização durante as fases de concepção e durante o ciclo de vida dos empreendimentos”, diz documento da companhia.

O Metrô espera obter um estudo de vocação mercadológica com estimativas de receita potencial em suas estações. O foco será nos centros comerciais integrados aos acessos das estações e nos empreendimentos de médio e grande porte adjacentes às paradas.

Para isso, espera-se obter os principais aspectos de desempenho técnico e desempenho comercial, bem como o detalhamento da legislação pertinente sobre o assunto.

Os estudos deverão ser entregues em quatro etapas com 45 dias para cada uma delas. Os três primeiros estudos irão focar nos centros comerciais próximos às estações, enquanto o quarto estudo abordará os empreendimentos de médio e grande porte.

Acesso da Estação Guarulhos (CMSP)

O contrato foi fechado com o Consórcio Geribello Quanta SMF, composto pelas empresas Geribelo Engenharia Ltda., Quanta Consultoria Ltda. e pela SMF Serviços Metroferroviários Ltda. 

O prazo contratual é de 240 dias, sendo 180 dias dedicados para a execução dos estudos. O investimento do Metrô será de R$ 690 mil.

Espera-se que com o desenvolvimento dos estudos mercadológicos a companhia possa trazer maiores adaptações as estações que deverão estar preparadas para receber, além dos passageiros, áreas comerciais que irão, no longo prazo, amortizar o investimento de implantação e manutenção do novo trecho.

Total
33
Shares
5 comments
  1. O governo de SP , querendo enganar o povo com este papo furado de nova estação.

  2. Eleições se aproximando e o assunto “metrô para Guarulhos” volta a tona.
    Passado o período eleitoral, tudo volta para a gaveta, aguardando o próximo ano que teremos eleições.
    Eu ouço falar em metrô para Guarulhos a mais de 30 anos, quando comecei a trabalhar no centro de São Paulo, mas, sinceramente, duvido que venha nos próximos 20 anos.
    Existe um lobby muito grande por parte das empresas de ônibus que servem Santa Isabel, Arujá, Guarulhos e outras cidades que fazem a ligação com a estação Armênia.
    Basta ver o sub-aproveitamento da estação Cecap do trem da linha aeroporto.
    Poderia haver um bom terminal de ônibus para atender todas essa linhas, além de outras linhas municipais de Guarulhos.
    Imaginem a quantidade de ônibus que deixariam de circular pela Dutra e marginal Tietê.
    Mas as coisas são feitas para não funcionar. Dou como exemplo a minha situação: Moro no BOM Clima e trabalho no Anhangabaú.
    Três vezes tentei ir com o trem do Cecap, e todas elas fiquei mais de 50 minutos esperando um ônibus para ir até a estação de trem.
    Isso é inadmissível para uma cidade do porte de Guarulhos.

  3. SE sair, é coisa pra daqui, 30, 40 anos. Mas pros fundões da zona leste, área com maior densidade populacional da cidade, não se fala nem em projeto.

Comments are closed.

Previous Post

Em segundo leilão, estação Penha recebe propostas pelos direitos de renomeação

Next Post

ViaMobilidade divulga vagas de emprego na área de manutenção

Related Posts