Por R$ 52 milhões, CPTM vai adequar as estações de Utinga e São Caetano do Sul

As obras serão executadas pelo mesmo consórcio que é responsavel pelos serviços em Capuava e Prefeito Saladino. A previsão é que os serviços sejam executado em 18 meses
Obras deverão melhorar as condições dos passageiros nas estações de Utinga e São Caetano (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

As estações de trens gerenciadas pela CPTM são responsáveis pelo transporte de milhares de pessoas todos os dias. Na Linha 10-Turquesa boa parte das paradas não atende plenamente às normas de acessibilidade, o que pode resultar em dificuldades para passageiros com mobilidade reduzida ou alguma deficiência que implique em limitações. Para proporcionar melhor conforto para este público, além de maior segurança, a CPTM fará obras de adequação de acessibilidade em algumas de suas estações.

Obras

Duas das estações que entraram no radar de obras são as de Utinga e de São Caetano do Sul. Elas foram inauguradas pela São Paulo Railway e durante os anos 60 e 70 foram remodeladas para melhorar o atendimento ao público. A acessibilidade certamente não era um ponto forte destas estações no momento que foram construídas, o que faz com que a CPTM precise retrabalhar as estruturas para atender melhor os seus passageiros.

As reformas visam adequar as estações dentro das normas de acessibilidade e conforto laboral previstas na NR 24, obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que comprova a segurança da edificação quanto a possíveis incêndios.

As estações também contarão com novas passarelas. No caso de São Caetano do Sul, a passarela será responsável por promover a integração entre as plataformas, já em Utinga o foco é na remoção da passagem em nível existente em um dos acessos, já que o local recebe movimentação de trens de carga da MRS Logística.

Outros pontos a serem destacados são a instalação de 6 novos elevadores, sendo dois na estação de Utinga e quatro na estação de São Caetano do Sul. As plataformas deverão ser reajustadas em relação à altura e ao vão existente entre o trem e a plataforma. Serviços adicionais como pintura, acabamento, serviços na parte elétrica, hidráulica e comunicação visual também devem dar uma cara nova para as duas estações

Trens precisam usar estribos para vencer parte do vão (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Preço e prazo

O contrato foi adjudicado para o Consórcio Lopes Kalil-Leman que é formado pelas empresas Lopes Kalil Engenharia e Comercio Ltda., e a Lemam Construções e Comércio S.A. As empresas também são responsáveis pela adequação das estações Prefeito Saladino e Capuava. O custo do contrato para a readequação das estações de São Caetano do Sul e Utinga foi de  R$ 52.184.996,70, uma redução de 14% do valor estimado no orçamento, que era de R$ 60,7 milhões. O prazo contratual é de 30 meses, sendo 18 meses para obras e 12 meses para a operação assistida.

Estações em obras na Linha 10 (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

Conclusão

A reforma das estações de São Caetano do Sul e Utinga mostram a preocupação constante com a qualidade da viagem e o conforto do passageiro. As estações da Linha 10 geralmente são as mais antigas e necessitam de reformas e melhorias urgentes, algo que depois de tanto tempo está acontecendo.

Com a assinatura do contrato, que deverá ocorrer em breve, teremos quatro estações na Linha 10-Turquesa em obras simultaneamente. Espera-se que mais estações possam fazer parte das reformas e adequações que certamente trarão maior conforto e segurança ao passageiro, além de fidelizar novos clientes.

Total
26
Shares
9 comments
  1. Uma reconstrução seria mais inteligente, mas uma reforma com a construção de um mezanino com escadas rolantes e elevadores seria melhor para os passageiros.

    1. Jean, com todo respeito, mas seus textos, embora excelentes, são meio cansativos de ler. Essa introdução inicial acaba e a separação “por tópicos” descaracterizam um pouco em relação ao formato de texto que o site costumeiramente publica. Não leve a mal, é só uma sugestão de melhora. 🙂

  2. Como estas estações são pequenas e sem conexões previstas, uma modernização já é de bom tamanho, diferente de estações como Santo André e Ipiranga, que terão conexões futuramente com monotrilho e metro, respectivamente. Estas duas últimas, com certeza, merecem projetos mais arrojados.

  3. A lei federal é de 2000 e tinha originalmente sido acordado que todas as estações, assim como todos os prédios públicos deveriam ser adaptados até 2008. Um pequeno atraso tratando-se das administrações do psdb, no último tac (2012) foi definido que em 2020 já deveriam todas estações estarem prontas, agora sabe-se que ainda não há prazo para todas estações além do fato de algumas estações já adequadas descumprirem as normas na distância entre o trem e a plataforma e estamos no segundo semestre de 2021 somando até hoje um atraso total de 13 anos na acessibilidade de idosos e pessoas especiais

  4. As estações desta linha são sucateada, sem o menor conforto , segurança ou respeito a população que utiliza…. vergonha!

  5. Sucateadas só porque algumas são antigas e não possuem escadas rolantes? A CPTM está modernizando todo o sistema e as obras nesta linha são questão de tempo.

Comments are closed.

Previous Post

Trem Intercidades até Campinas contará com 15 trens de média velocidade

Next Post

Metrô pede ressarcimento de R$ 200 milhões a consórcio afastado das obras da Linha 17-Ouro

Related Posts