Prefeitura de Campinas autoriza estudos do People Mover até o Aeroporto de Viracopos

Consórcio, instituto e fabricante que fez a primeira proposta foram selecionados pela administração a apresentarem conjunto de informações que serão usadas para modelo projeto de implantação do Modal Ferroviário Urbano
O SkyShuttle (BYD)

A prefeitura de Campinas publicou no Diário Oficial do município nesta semana as autorizações para que três interessados no projeto do People Mover entre o centro da cidade e o Aeroporto de Viracopos apresentem estudos e levantamentos para embasar sua implantação.

A primeira autorização envolve a BYD Brasil, empresa que havia entregue em abril uma Manifestação de Interesse Privado para criar a ligação de 18 km de extensão. A empresa chinesa pretende implementar o SkyShuttle, um sistema automatizado com trens movidos a bateria e que circulam sobre vias pré-moldadas.

Segundo a BYD, o modal é capaz de transportar 12.000 passageiros/hora por sentido e vencer inclinações de até 12%, ou três vezes um trem comum. Os trens do SkyShuttle são recarregados por meio de um sistema retrátil no teto dos vagões, que se conecta à rede durante as paradas nas estações.

Outro participante autorizado pela prefeitura é um consórcio formado pelas empresas TS Infraestrutura e Engenharia, Aerom Sistemas de Transportes, FBS Construção e Pavimentação e Jofege – Pavimentação e Construção.

A Aerom deve fornecer outro People Mover paulista, para Guarulhos (AeroGRU)

Embora liderado pela TS, o grupo deve propor uma solução baseada no Aeromovel, sistema desenvolvido pelo engenheiro Oskar Coester no Rio Grande do Sul e que hoje é candidato a fornecer o People Mover do Aeroporto de Guarulhos.

Por fim, o último participante da fase de estudos é o Instituo IDESTRA, formado por profissioanis experientes do setor de transporte.

Segundo a prefeitura do município, os três indicados terão 90 dias para apresentar “projetos, levantamentos, investigações e estudos para modelagem técnica, operacional, econômico-fi nanceira e jurídica referentes à implantação de Modal Ferroviário Urbano interligando o Centro do Município de Campinas ao Aeroporto de Viracopos, nos termos das diretrizes estabelecidas
no Edital de Chamamento Público PMI n° 001/2021″.

Apenas o projeto vencedor da concorrência, caso seja utilizada numa futura licitação, será ressarcido pelo custo dos estudos, diz o edital.

Aeroporto de Viracopos: ligação ferroviária pode facilitar acesso ao local (ABR)

Concorrência com o Trem Intercidades

O projeto tocado pela prefeitura de Campinas pode acabar concorrendo com o Trem Intercidades do governo do estado. Em diversas ocasiões, a gestão Doria tem dado a entender que o serviço regional de trens poderá ser estendido até o Aeroporto de Viracopos.

Embora isso possa dar surgimento a um traçado alternativo distante do centro de Campinas será importante considerar se a demanda para o terminal aeroportuário justificará um investimento desse porte. Caso o People Mover saia do papel e ofereça uma ligação eficiente talvez o TIC até Viracopos perca o sentido.

Total
24
Shares
7 comments
  1. Mas seria muito importante o TIC ligando capital direto com Viracopos. Mas não façam a estação longe do aeroporto igual Guarulhos.

  2. Pra mim é questão de eficiência. Uma linha de metrô ou trem de superfície de alta capacidade devia servir à uma rota de alta demanda e um trem menor ligaria a um aeroporto, estádio, zoológico ou outro empreendimento (seja público ou privado) para ter acesso, assim o custo de operação ficaria compatível com a demanda, gerando prejuízos menores.

    Outro fator é a eficiência energética, um veículo de pneus não terá a mesma eficiência que um veículo de trilhos, pois neste mundo, o atrito ele gera impactos, quanto menor, menor o gasto.

    São detalhes como este que podemos ter, construir uma malha eficiente.

  3. Olá á Todos!
    O melhor sistema para esta ligação é o Maglev Cobra desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
    O Maglev Cobra apresenta velocidades entre 70 e 100 KM/h, por não ter rodas e graças a sua levitação ele pode superar rampas de 15%.
    Seu custo de implantação é equivalente a metade do custo de implantação de um VLT.
    Também apresenta baixos custos de operação e manutenção por operar automaticamente consumindo pouca energia e sem a necessidade de trocas de trilhos, dormentes, rodas, e pastilhas e discos de freios.

    Mais informações:

    http://www.maglevcobra.coppe.ufrj.br/

  4. Mais um monotrilho ou people mover e uma quantidade de problemas. O povo da zona leste sofre com problemas.

  5. Tenho certeza q Campinas tem todas as condições de receber a implantação de um sistema de metrô subterrâneo. Creio mesmo, inteiramente privado! Será que não existem mentes capazes nesse país de pensarem nisso???

Comments are closed.

Previous Post

Sem acordo por Consolação, concessão de naming rights das estações do Metrô termina de forma frustrante

Next Post

Anunciada há 15 anos, nova estação de Rio Grande da Serra volta a ser prometida

Related Posts