Destaques Linha 5

Primeiras estações da expansão da Linha 5-Lilás abrem no dia 30 de agosto

Secretário de Transportes Metropolitanos confirmou nesta segunda-feira (31) intenção de inaugurar estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin dentro de um mês

Reprodução

Estruturas das portas de plataforma (à direita) começaram a ser instaladas (Reprodução)

Depois de vários adiamentos, a abertura das primeiras estações da expansão da Linha 5-Lilás agora tem uma data definida, dia 30 de agosto, uma quarta-feira. O secretário dos Transportes Metropolitanos do estado, Clodoaldo Pelissioni, divulgou vídeo no Facebook confirmando a informação, que já circulava internamente há alguns dias.

No vídeo é possível ver que as portas de plataforma (PSD) começaram finalmente a ser instaladas na estação Brooklin. Segundo o Metrô, a importação do equipamento atrasou por conta do desembaraço na alfândega e por isso as estações Borba Gato e Alto da Boa Vista abrirão sem o recurso de segurança que será instalado nos próximos meses durante a operação assistida.

A Bombardier segue fazendo testes para aprimorar o sistema CBTC, de sinalização, a fim de incluir o novo trecho – pelo terceiro domingo, a Linha 5 parou durante a manhã para permitir esses testes. Já as obras seguem aceleradas no Lote 2, mas visivelmente será uma corrida contra o tempo já que há bastante trabalho de acabamento a fazer.

Sem funcionários suficientes

Apesar da boa notícia, os passageiros que se beneficiarão da linha nesse novo trecho de cerca de 3 km ainda vão esperar alguns meses até poder usá-la plenamente. Isso porque é natural que essas estações sejam abertas apenas em horário limitado, fora do pico e com poucos trens circulando. A medida é comum para testar sistemas e toda infraestrutura antes de ampliar o serviço.

Ao mesmo tempo, a gestão Alckmin está prestes a conceder a Linha 5 em conjunto com a Linha 17 para a iniciativa privada. O leilão ocorreria em 5 de julho mas foi adiado para 28 de setembro. É com esse operador privado que será possível ampliar o funcionamento do ramal já que o Metrô não dispõe de quadro suficiente para abrir todas as estações da expansão, embora tenha aberto cerca de 293 vagas na semana passada, incluindo aí a função de operador de trens, pessoal de manutenção e seguranças.

Caso tudo dê certo, a concessionária privada deve assinar contrato por volta do final do ano, mas só assumir de fato em meados do primeiro semestre de 2018. Só então será possível ampliar o serviço.

 

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

1 Comment

Leave a Comment