Projeto polêmico e que dividia opiniões, o da ambientação de trens com músicas será descontinuado pelo Metrô. A playlist começou a tocar nas composições desde julho de 2018, e agora está sendo aos poucos retirada das frotas operacionais das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

Segundo o portal G1, a companhia afirmou em nota que o projeto era experimental e será descontinuado por não ser viável.

Em reuniões com usuários e blogueiros que cobrem o setor, funcionários da empresa chegaram a afirmar que existiam pesquisas que mostravam que grande parte dos passageiros apoiava a ideia. No entanto, os dados não foram divulgados, e o que sobravam eram reclamações nas redes sociais, muitas delas pelo alto som das faixas.

CPTM testou duas vezes sem sucesso

Não foi a primeira vez que o sistema metroferroviário contou com músicas. Em pelo menos duas vezes a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM testou as faixas.

No início dos anos 2000, o Expresso Leste da Linha 11-Coral contava com música ambiente nos trens. Mais tarde, em 2006, as estações das então chamadas linhas A e D, hoje 7-Rubi e 10-Turquesa respectivamente, contaram com as faixas. Na ocasião, eram transmitidos sons de emissora FM, sintonizada no Centro de Controle Operacional (CCO) da Luz.

Também a Linha 9-Esmeralda teve seu período musical com direito a compositores clássicos. Na época, os operadores de trens eram questionados pelos passageiros se não era possível mudar o gênero para algo menos sonolento.

Em nenhum dos casos o projeto prosperou. Em conversas com dirigentes das empresas, um deles contou ao blog que foi grande o número de reclamações por conta das faixas, e a CPTM tratou de cancelar o projeto sem maiores explicações.