Contrato de supervisão das obras da Linha 13-Jade até Barra Funda é homologado

Com o último dos três contratos fechados existe maior segurança que as obras possam ocorrer dentro do prazo. A expansão também beneficiará os passageiros da Linha 11-Coral
Linha 13-Jade poderá atingir um publico ainda maior (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

A CPTM fechou o último dos três contratos que viabilizam a expansão da Linha 13-Jade até a estação Palmeiras-Barra Funda. As obras poderão viabilizar uma  nova ligação entre as regiões leste e oeste de São Paulo, além de criar uma ligação direta entre o Aeroporto e o maior terminal intermodal de São Paulo.

Foi homologada a licitação para a supervisão das obras da Linha 13-Jade até a estação Palmeiras-Barra Funda que também contemplará a expansão do serviço da Linha 11-Coral até esta mesma estação.

A supervisão das obras é um serviço de gestão de grande importância para que seja feito o monitoramento constante do contrato de forma que o mesmo prossiga dentro dos padrões de qualidade exigidos pela CPTM.

A licitação sofreu uma série de recursos administrativos ao longo da fase de apreciação de documentos técnicos. Três consórcios se manifestaram contra o julgamento das propostas técnicas, o que levou a CPTM a suspender a licitação até a apreciação dos recursos. Todos foram negados, não havendo alterações no certame.

O critério de julgamento para essa licitação é diferente das que geralmente são vistas. Foi adotado o sistema de média ponderada entre as propostas técnicas e propostas comerciais, de forma que a proposta técnica tivesse 70% do peso na nota final, enquanto a proposta comercial ficava com os 30% restantes da nota final.

Apesar de o Consórcio Supervisor S2CA ter obtido pontuação máxima na sua proposta comercial, sua proposta técnica foi a terceira colocada, impossibilitando uma nota final elevada. Desta forma o consórcio que se sagrou vencedor da licitação foi o Consórcio Supervisor Linha 13-CEM formado pelas empresas Cobrape – Cia. Brasileira de Projetos e Empreendimentos, Nova Engevix Engenharia e Projetos S.A. e Metroeng Engenharia Ltda. Este consórcio obteve maior nota em sua proposta técnica

O valor do contrato foi fechado por R$ 23,5 milhões e foi homologado no dia 14 de outubro. O prazo para a realização dos serviços é de 36 meses. Desta forma, o último dos três contratos que viabilizam as obras de expansão das linhas 11 e 13 está assinado, aumentando as chances de que as obras possam sair do papel e de que os serviços possam ser de fato ampliados.

Trens da Linha 11 – Coral deverão chegar até Barra Funda em meados de 2024 (Jean Carlos/SP Sobre Trilhos)

O contrato de apoio técnico especializado em engenharia e arquitetura foi vencido pelo Consórcio SPL13 formado pelas empresas Planservi Engenharia Ltda, Progetto Engenharia Ltda e Empresa Brasileira de Engenharia de Infraestrutura Ltda. A licitação foi fechada pelo valor de R$ 9,5 milhões.

O contrato para a realização das obras foi vencido pela Telar por R$ 158 milhões e prevê melhorias na via permanente, rede aérea e energia de tração. O site fez um artigo sobre as principais mudanças que virão com as obras de extensão da Linha 13-Jade até Palmeiras-Barra Funda.

Total
19
Shares
1 comment
  1. Eu ainda não entendi como vai ser essa redistribuição da CPTM. Num futuro próximo muito provavelmente a linha 710 vai deixar de existir e a linha 7 vai ter a estação Barra Funda como ponto inicial/ final, já as linha 11 e 13 vão até a Barra Funda, e como fica a linha 10 nesse cenário? Não vejo a estação Luz como um bom ponto final para a linha, a estação realmente não foi projetada para receber várias linhas, no máximo duas. Talvez seja melhor a linha 10 ter ponto final no Bras mesmo, que é uma estação que foi projetada para receber dezenas de milhares de pessoas diariamente.

Comments are closed.

Previous Post

Estação Engenheiro Manoel Feio ganhará elevadores em obras de melhoria

Next Post

Portas de plataformas em todas as estações do Metrô apenas no final de 2023

Related Posts