Portas de plataformas em todas as estações do Metrô apenas no final de 2023

Afirmação foi feita pelo secretário dos Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy em seu perfil em rede social. Governo Doria trabalhava com meta de instalar fachadas na rede metroviária até o fim de 2022
Portas de plataforma da Samsung Tech, sócia do consórcio Kobra

O fim das plataformas sem fachadas de proteção foi postergado pela gestão Doria. Antes prometida para o final de 2022, a instalação das portas de plataforma em todas as estações do Metrô agora é esperada para o fim de 2023.

A nova data foi informada pelo secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em seu perfil em rede social. “O processo de implantação foi judicializado e permaneceu paralisado por mais de 12 meses. Deveremos ter portas de plataforma em todas as estações, no final de 2023”, disse em resposta ao questionamento de um seguidor.

Baldy se referia ao contrato com o consórcio Kobra, assinado em 2019, mas que tem sido contestado por vários processos na Justiça. Ele envolve a instalação de 88 fachadas de portas em 38 estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

Na primeira seleção, o Metrô de São Paulo desclassificou o consórcio PSD-SP por argumentos técnicos que mais tarde foram derrubados por decisão judicial. A companhia teve de reabrir a licitação, mas desta vez voltou a excluir o consórcio, desta vez alegando que um dos seus sócios estava impedido de assinar contratos públicos por conta de pendências federais.

Já o consórcio Kobra é formado pelas empresas Husk Eletrometalúrgica, MG Engenharia e Construção, Samjung Tech e Woori Technology e foi o segundo colocado no certame com uma proposta de R$ 342 milhões.

Mapa de instalação de portas de plataforma nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha (CMSP)

Um dos sócios, a MG Engenharia, havia sido fundada meses antes da licitação por um ex-diretor da OAS que foi acusado pelo Ministério Público de desvios no Rodoanel Sul. Logo após vencer o leilão, o diretor se afastou da sociedade da MG Engenharia, sendo substituído por seu filho, então com 18 anos. Consultado na época pelo site, o Metrô não viu motivo de irregularidades nesse fato.

Em maio, o Metrô retomou a execução do contrato com o Kobra após meses de paralisação. No entanto, não há um cronograma atualizado divulgado pelo governo. No mais recente relatório de projetos da empresa, o projeto consta como “em reprogramação”.

Apesar da afirmação do secretário, há ainda algumas estações da Linha 2 que não estão incluídas no contrato do consórcio Kobra. Não se sabe se elas serão objeto de um aditivo ou de uma nova licitação.

Total
18
Shares
1 comment
  1. Espero que haja um aditivo para instalar em todas as estações da linha 2, não sei se isso é previsto no contrato ou não é necessário uma cláusula dizendo isso, mas é fato que o Metrô precisa ser modernizado.

Comments are closed.

Previous Post

Contrato de supervisão das obras da Linha 13-Jade até Barra Funda é homologado

Next Post

Alexandre Baldy deixa o cargo de secretário dos Transportes Metropolitanos

Related Posts