EMTU oficializa preferência por entregar BRT do ABC para a Metra

Em reunião do conselho gestor de parcerias público-privadas, companhia apresentou solução que envolve entregar corredor de ônibus que substitui a Linha 18-Bronze para grupo empresarial que domina o transporte no ABC Paulista
Ônibus da Metra (GESP)

Os planos que culminaram com a extinção da Linha 18-Bronze do Metrô pela gestão Doria ganharam mais um capítulo esclarecedor nesta sexta-feira (18), quando o governo do estado publicou a ata da reunião do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas e do Conselho Diretor do Programa de Desestatização, realizada no dia 10 de dezembro. Na ocasião, foi abordada a extensão do contrato de concessão do Corredor ABD, operado pela empresa Metra, que vence em 2022.

Como solução preferencial apontada pelo assessor da presidência da EMTU (empresa que gerencia as linhas de ônibus intermunicipais e está em vias de ser extinta), Manoel Marcos Botelho, está um aditivo que permitiria à Metra operar o corredor de ônibus entre o ABC e São Paulo por mais 25 anos mediante a cessão das linhas alimentadoras da chamada Área 5 e também da construção e operação do ‘BRT ABC’, o controvertido corredor de 17,3 km proposto pela atual gestão para substituir o ramal de monotrilho. A ideia já constava de um plano de metas deste ano divulgado em janeiro.

Para isso, a Metra terá de assumir 85 linhas intermunicipais que hoje estão funcionando por meio de permissões precárias, renovar 50% da frota do Corredor ABD, além de implantar o BRT com 20 paradas, 3 terminais e ônibus elétricos com ar-condicionado. Segundo o executivo, a alternativa seria “o encaminhamento mais interessante ao Poder Público, dada a vantajosidade da prorrogação do contrato em relação a nova licitação”. A outra opção seria licitar os três modais em conjunto, o que, de acordo com Botelho, teria pontos negativos, expostos na reunião, mas não transcritos na ata.

Pela visão da EMTU, “todos os investimentos ficariam a cargo da Concessionária, os desequilíbrios da atual contratação seriam equacionados, e o Aditivo iria incorporar as inovações de aspecto jurídico e regulatório das recentes concessões celebradas pelo Estado de São Paulo, assim como ficariam a cargo da concessionária o risco e a responsabilidade por todas as desapropriações necessárias”.

Linha 18-Bronze: real motivo para cancelamento do ramal metroviário cada vez mais claro (VEM ABC)

Sem justificativa técnica para extinção da Linha 18

Os argumentos da EMTU reforçam, portanto, a ideia de que o fim do contrato de Parceria Público-Privada da Linha 18-Bronze com a concessionária VEM ABC não teve qualquer justificativa técnica. Trata-se, pelo visto, de acomodar diversos interesses completamente desconectados com a qualidade do serviço prestado aos passageiros. Em vez disso, agrada ao governo por eliminar a necessidade de investimentos elevados em desapropriações e no projeto do ramal metroviário (condição básica numa PPP) ao mesmo tempo em que entrega uma enorme infraestrutura interligada ao grupo empresarial que controla praticamente todo o transporte coletivo por ônibus na região.

De quebra, a Metra, controlada pela Auto Viação ABC, da família Setti Braga, deixaria de ganhar um concorrente no Corredor ABD (o monotrilho) e integraria uma grande rede de corredores no ABC Paulista, que se estenderia pelos municípios do ABC Paulista e da capital paulista. Mais conveniente que isso, impossível.

A proposta agora será submetida a pareceres técnico, econômico-financeiro e jurídico além de análise do chamado Termo Aditivo ao Contrato, antes que o Conselho concorde com a prorrogação da concessão. Pela pressa do governo, que prevê cumprir essa etapa ainda em dezembro graças a uma já anunciada reunião extraordinária, a decisão (favorável) está mais do que encaminhada.

Total
29
Shares
17 comments
  1. Isso é um absurdo! O que a população pode fazer pra entrar com uma ação contra mais esse retrocesso da gestão Dória/Baldy?

    É inacreditável como isso está acontecendo com SP e com o povo do ABC Paulista.

    Esse governador capacho de empresários apresentou durante sua candidatura o Metrô, agora vem com essa de corredor de ônibus da Metra, que não aferece nem transferência gratuita?

  2. se nosso MP e poder judiciario fossem serios, isso nao aconteceria.

    esse governo tucano, é o governo das atrocidades e da impunidade. todo mundo rouba, ninguem faz e fica por isso mesmo.

    o governo exclui uma linha de monotrilho, vai pagar 1 bilhao de multa e simplesmente coloca no lugar um corredor de onibus para que mafiosos do transporte publico possam controlar.

    mais sujo que isso, impossivel

    que o eleitor do estado de SP aprenda a votar e ter mais cosciencia politica. 30 anos de PSDB nao dá. precisa de renovaçao. precisa tirar as amarras q esse partido tem com o poder judiciario, que nao engaveta tudo.

  3. sobre as desapropriaçoes, isso nao pode ser feito por nenhuma empresa privada, só pelo governo. nao entendi essa parte. a nao ser q se entenda por desapropriaçao a empresa comprar o local como uma compra de imovel qualquer, só que aí vai ter q negociar e nao vai poder judicializar. mas do jeito q nesse país ninguem anda respeitando a constituiçao e rasgando leis (vide o STF se reunir para discutir a reeleiçao do presidente da camara, para simplesmente decidir o q está na CF), nao duvido de nada.

    1. Concordo AND se respeitassem a Constituição Bolsonaro já teria sofrido Impeachment, já que quase todos os dias esse senhor comete algum crime de responsabilidade.

  4. ABC não tem pra ninguém, a magia do transporte de lá ganha todas, visto que a licitação da região não acontece a muitos e muitos anos, pois eles não deixa.

  5. Ou seja:
    O tão sonhado transporte sob trilhos para São Bernardo do Campo simplesmente acabou com a Metra monopolizando, e com esse tipo de contrato proposto pelo governo estadual.

    1. Esse partido nao ganha mais nada e esse irresponsavel do doria, que começo idolatrava o Bolsobaro, so para ganhar a eleicao em Sao Paulo, agora sério critico de quem o elegeu. Que a Metra melhore seu serviço no corredor ABD e aceite p monotrilho. Esperamos que o MP seja responsável e nao permita desse descalabro.

  6. Como morador do ABC, em especial de São Bernardo do Campo isso é no mínimo revoltante, e infelizmente, apesar de amar a cidade só me mostra que a saída dessa selva que ama um carro e um ônibus é ir pra capital. Pra quem tem uma vida no ABC isso provavelmente não faz diferença, mas pra quem não pensa se limitando nessa região é frustrante…
    Enfim mais um capitulo vergonhoso pra essa Detroit brasileira :/

  7. Isso estava claro que aconteceria desde a eleição do auto intitulado ” gestor”. Era óbvio que o mesmo faria tal pilantragem, mesmo ele prometendo a população que entregaria a Linha 18 em sua campanha eleitoral, afinal a palavra de um cafajeste do pior nível como ele não vale absolutamente. Um governador que mantém um bandido como secretário de transportes porcaria nenhuma, amaria ver esses 2 malditos apodrecendo atrás das grades, mas como o Brasil tá longe de ser um país sério isso nunca acontecerá.

  8. Depois de postergadas as Linhas 14-Onix, 18-Bronze, Arco Sul, Metrô de superfície para Linha 10-Turquesa, Trens intercidades para Santos, eis anunciado o início da Linha 20-Rosa em mais um uso político demagógico para as próximas eleições, e novamente a população do ABC é ludibriada com o aval e cumplicidade dos prefeitos da região principalmente os do PSDB.
    Mesmo demonstrando em uma planilha “Cronologia do cancelamento da Linha 18-Bronze”, assim como já havia sido feita uma outra detalhada de todas as linhas de Metrô pendentes, inconclusas e postergadas, inclusive incluindo vídeo de campanha política em que aparece o Dória prometendo sua realização da linha, fazendo lembrar o que levava o deputado federal cacique Mário Juruna PDT-RJ, que por não confiar nas voláteis palavras dos homens sempre vinha acompanhado de um gravador de voz, não bastasse isto o atual prefeito de São Bernardo Orlando Morando PSDB enquanto era deputado juntamente com sua esposa também deputada que chegou a posar em inumeráveis “Out doors” pelas cidades do ABC em que apoiava o Monotrilho resolveu debandar para o BRT da Metra em uma atitude irresponsável, e novamente é a população que vai arcar com essa indenização daquele consórcio extinto, por uma decisão de um gestor “show business” irresponsável, pois não existe garantia nenhuma caso não seja reeleito, o próximo dará prosseguimento nas obras.

    1. Ué, mas não íamos ter transporte metroferroviário de primeiro mundo em SP? Isso na sua opinião se traduz num corredor de ônibus?? Ah, esses bots tukanos…

  9. Enrolação, parece que nunca vai ter BRT nenhum. Logo o Doria vai abrir o jogo, como no monotrilho. Mas já falam em linha do metrô passando em Santo André e São Bernardo, nisso tudo quem sai perdendo é o morador de São Caetano

  10. “Para isso, a Metra terá de assumir 85 linhas intermunicipais que hoje estão funcionando por meio de permissões precárias”
    Para mim este é o trecho mais preocupante. Basta ver o que a Publix (empresa do mesmo grupo), fez com as linhas que ela assumiu. Praticamente acabou com todas.
    Vão acabar com um monte de linhas.

  11. Boa noite amigos não obstante da Real fato de quantas vezes foi repetido pelos paulistanos ,não adianta um só falar, o certo e parar todos e procurar as suas reidivincacoes ,quem paga as passagens somos nós paulistanos Serás que 30 anos de tucano não é o suficiente?

Comments are closed.

Previous Post

Porque a Linha 17-Ouro do Metrô pode não ser inaugurada até 2022

Next Post

Grupo estrangeiro apresenta proposta surpreendente de concessão das linhas 2 e 20 do Metrô

Related Posts