Estação Bom Retiro volta aos planos com concessão das linhas 11, 12 e 13 da CPTM

Futura parada entre Luz e Barra Funda apareceu em apresentação do governo. Há 12 anos, planos previam integração com quatro linhas de trem e conexão entre os dois lados do Bom Retiro
Projeto Funcional Estação Bom Retiro (CPTM)
Projeto Funcional Estação Bom Retiro (CPTM)

A Estação Bom Retiro voltou a constar nos planos de expansão da malha metroferroviária de São Paulo. Em uma apresentação da atual gestão, a futura parada foi incluída no projeto de concessão das linhas 11, 12 e 13.

Segundo a Secretaria de Parcerias em Investimentos, Bom Retiro será uma das três novas estações previstas para a Linha 11-Coral, juntamente com Lajeado e César de Souza, em Mogi das Cruzes.

A nova estação no centro da capital paulista ficará localizada entre Barra Funda e Luz, fornecendo um acesso mais fácil para a região de compras do tradicional bairro paulistano.

Siga o MetrôCPTM nas redes: WhatsApp | Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Os detalhes sobre o estudo que incluiu a estação ainda serão conhecidos, mas a tendência é que se trate de um projeto mais modesto do que o que a CPTM desenvolveu há cerca de 12 anos.

Estação Bom Retiro volta a aparecer nos planos do governo
Estação Bom Retiro volta a aparecer nos planos do governo

Na época, a ideia era desafogar a estação da Luz em um cenário em que a companhia de trens metropolitanos ainda detinha a operação de todos os ramais herdados da Fepasa e CBTU.

Agora a situação é diferente já que a estratégia da gestão Tarcísio de Freitas é fatiar as linhas para concessão à iniciativa privada. A seguir relembramos um pouco do projeto funcional elaborado pela CPTM

Bom Retiro como novo hub ferroviário no centro

Segundo os dados do projeto elaborado em 2012 pela CPTM, a nova estação teria demanda entre 20 mil a 40 mil passageiros por dia e deveria integrar as linhas 7, 8, 10 e 11.

Devido a concessão da Linha 7-Rubi para a iniciativa privada, o projeto novo possivelmente poderá contemplar menos linhas do que o previsto. Também ainda não se sabe se a Linha 8-Diamante estaria incluída nesta nova estação de integração.

A proposta da CPTM era de que a estação Bom Retiro fosse um instrumento de completa requalificação urbana na região. A área onde hoje está alocada uma antiga estrutura fabril e a Favela do Moinho seriam completamente desapropriadas.

A estação teria três níveis diferentes e alto uso das áreas disponíveis para obtenção de receitas não tarifárias, incluindo um shopping com estacionamento.

As plataformas da estação seriam totalmente subterrâneas em dois níveis distintos. No primeiro subsolo seriam alocadas as linhas 10-Turquesa e 11-Coral, além de uma via para trens de carga. Um nível abaixo estariam as linhas 7-Rubi e 8-Diamante.

Alternativas de projeto

O projeto funcional destacava três estratégias para a implantação da estação. A Proposta A contemplava a implantação da estação com vias em nível e mezanino superior.

A Proposta B previa que o mezanino da estação fosse subterrâneo enquanto as vias permaneceriam em nível. A Proposta C alocava algumas das vias em nível e outras em subterrâneo, minimizando os espaços na superfície.

A última alternativa era a de rebaixamento total das vias ferroviárias, permitindo assim uma conexão plena entre as duas regiões cortadas pela ferrovia.

Projeto simplificado?

Apesar do projeto apresentado pela CPTM prever o melhor dos mundos, incluindo a possibilidade de integração com inúmeras linhas férreas, além da requalificação urbana do Bom Retiro, dificilmente um projeto dessa magnitude poderá sair em um projeto de concessão.

O primeiro dos pontos é a possibilidade de integração com várias linhas, que é algo mais complexo com com fatiamento das operações ferroviárias e seu seccionamento, como o que ocorrerá com a Linha 7-Rubi que fará terminal em Barra Funda.

Investimento na Linha 11-Coral
Investimento na Linha 11-Coral

Possivelmente o projeto será mais humilde, prevendo integração com as linhas 11-Coral e 13-Jade, já dentro das vias férreas, e talvez com a Linha 10-Turquesa que poderia ser prolongada.

Uma integração com a Linha 8-Diamante, apesar de bem vinda, exigiria algum tipo de acordo de cooperação com a ViaMobilidade. Essa baldeação adicional poderia permitir uma melhoria no fluxo dos passageiros, tirando a grande carga de passageiros na estação Barra Funda.

Vale lembrar que até aqui a concessão das linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade está em um estágio de estudos para definir sua modelagem e com isso o projeto final pode sofrer alterações.

Total
0
Shares
Antes de comentar, leia os termos de uso dos comentários, por favor
19 comments
  1. Nem o Haddad, que tem carta branca da mídia, conseguiu tirar a favela de lá. Imagina o Tarcísio.

    1. Eu aposto q consegue. Se não me engano, serão construídas moradias para essas pessoas no centro da Já há a construção de dois prédios, um na estação Brás e outro na Bresser.

  2. Tudo lindo e maravilhoso! Eu quero ver como vão fazer com o todas aquelas famílias que estão hoje ali na favela do moinho. No final da década de 90 o local era vazio. Agora virou uma mini cidade. Nada tira da minha cabeça que parte das drogas que abastecem a Cracolândia partem dali.

  3. Mini cidade eu não digo, mas um pequeno condomínio. Vi em jornais que eles conseguiram a posse por uso capião. Acho que quem propõe estes projetos não conhece a região.

    1. kkkkk

      o termo é usucapião.

      usucapião não é simples assim. e morador de favela não tem direito a usucapião, pois nem moradia regular é.

      o povo acredita mais na desinformação que informação…

  4. A ideia é muito boa. Luz e Júlio Prestes poderiam se tornar estações de partida para os TIM/TIC, já que possuem um apelo arquitetônico muito bom, deixando a Bom Retiro para os trens de subúrbio.

    1. O problema é que a Luz oferece conexão com o Metrô, deixar sem os trens só sobrecarregaria República e principalmente Sé.

    2. Barra Funda tem seus encantos, mas incluir Júlio Prestes no TIC Campinas (e no hipotético de Sorocaba) seria ótimo para incluir um acesso ao centro histórico e dar alguma utilidade àquele galpão.

      Com a Rota patrulhando duramente, a praça da Júlio Prestes serviria como grande ponto de táxi para distribuir os passageiros do TIC.

  5. pessoal que eu me lembre bom retiro é um pouco mais para trás da luz mas dá para tirar construir apartamento para construir a estação. sobre estação da Luz e Júlio Prestes serem fim de Tim e tic esquece não dá por causa do pátio luz e a saída de Júlio Prestes e 5 km por hora

  6. Embora este projeto sempre foi ótimo pois além de ser a última grande área Metrô Ferroviária estratégica, integraria e redistribuiria a demanda de ~45 mil usuários dia na região central das linhas 7, 8, 10 e 11 entre outras com custo e prazo de execução razoáveis, não existe a menor chance deste projeto prosperar assim como estas novas linhas nas próximas décadas, tratando–se de uma falácia!
    “O retrato e a diretriz das concessões em nome do “Estado Eficiente” tem se notabilizado pelo governo investindo bilhões do dinheiro público para em seguida fatiar as linhas para concessão à iniciativa privada e ceder para concessionária lucrarem e ainda repassarem lucro aos acionistas em cima do dinheiro público investido”

    Já existiam fortes indícios que foi prometido nas fantasiosas campanhas eleitorais não seriam concretizadas, uma delas foi a conclusão do Ferroanel porém finalmente ficaram explícitas mostrando suas verdadeiras intenções em matérias neste site e estas mudanças do terminal da Linha 13-Jade para Barra Funda, com a Estação da Luz voltando a ser terminal da Linha 10, extinguindo o Serviço-710 prejudicando TODAS as Linhas da CPTM, principalmente a superlotada Linha 11-Coral, com a falácia de melhorias.

    1. Nada a ver, uma estação bem localizada (como a eterna promessa Bom Retiro) é ótimo para a concessionária faturar com exploração comercial e publicitária e ainda atrair mais passageiros.

      O problema é a Favela do Moinho, cuja remoção e realocação dos moradores honestos é de inteira responsabilidade do Estado. E este, em nenhuma das esferas, conseguiu resolver esse imenso abacaxi encravado na ferrovia.

      1. exploração comercial e publicitária não paga conta do sistema metropolitano. só olhar a porcentagem minúscula de receitas acessórias no balancete das empresas do grupo CCR.

      2. Felipe. Não acredito que este projeto tenha como finalidade faturar com exploração comercial e publicitária, e sim uma finalidade mais nobre de se permitir desafogar a Luz sem trechos subterrâneos Bom Retiro como novo “Hub” ferroviário central, aliviaria simultaneamente as Estações Júlio Prestes, Água Branca e Luz sendo mais econômica que as opções da construção da Nova Luz e construções em subterrâneo na Luz.

        1. A menos que Linha 7 e 10 fizessem terminal ali, faria pouquíssima diferença na Luz, sendo que a maior parte usa ou Linha 11 ou os dois Metrôs.

  7. Seja como for, o concessionamento das Iinhas a diferentes empresas NÃO PODE ser um impedimento pra que tais linhas se integrem entre si.
    De que maneira será feita a contagem dos passageiros em uma estação integradora (pra que se remunere os diferentes concessionários das linhas que ali passa), é uma solução que cabe aos mesmos planejadores que formularam as concessões das linhas e o consequente fatiamento da CPTM.
    Não se pode desmantelar a integração de um gigantesco sistema de transporte publico, apenas porque tal integração “atrapalha” a contabilidade financeira do concessionaro.
    Já estão extinguindo o excelente serviço 710, por ele “não ser compativel” com a concessão da Linha Rubi. O que mais virá depois???

Comments are closed.

Previous Post
Trem A18 visto em operação na Linha 8-Diamante

Trem da Série 8900 inicia operação assistida na Linha 8-Diamante

Next Post
Linha 20-Rosa

Projeto básico da Linha 20-Rosa tem consórcio escolhido pelo Metrô

Related Posts