Destaques Linha 6

Estação da Linha 6-Laranja será a mais profunda da América Latina

Estação Higienópolis-Mackenzie, na rua da Consolação, terá profundidade equivalente a um prédio de 14 andares
Estação Higienópolis-Mackenzie da linha 6 terá quase 70 metros de profundidade
Estação Higienópolis-Mackenzie da linha 6 terá quase 70 metros de profundidade

Se muita gente reclama de descer e subir vários lances de escada na estação Pinheiros da Linha 4-Amarela é melhor se preparar. A Linha 6-Laranja, hoje em construção, terá a estação mais profunda da América Latina, de acordo com informação da concessionária Move São Paulo, responsável pela sua construção e operação.

Para chegar até o nível onde os trens passarão na estação Higienópolis-Mackenzie serão nada menos que 69 metros de profundidade, o equivalente a um edifício comercial de 14 andares. Para se ter uma ideia, a Pinheiros possui 31 metros da superfície à plataforma de embarque.

Ela não será a única a ser escavada bem abaixo do nível do solo. Estações como a nova São Joaquim (45 metros) e Cardoso de Almeida (58 metros) também passarão bem longe da superfície.

A razão é clara: o subsolo da cidade está tomado por grandes edifícios e outras interferências que dificultam o projeto de um metrô nos moldes do que foi a Linha 1, a primeira de São Paulo. Construída entre o final da década de 60 e início da década de 70, a então ‘Linha Norte-Sul’ teve boa parte da sua extensão instalada logo abaixo da superfície num método de escavação chamado de ‘cut-and-cover‘ em que se abre uma vala, faz-se a estrutura e volta-se a fechar com uma laje.

Estação Higienópolis-Mackenzie da linha 6 terá quase 70 metros de profundidade
Estação Higienópolis-Mackenzie da linha 6 terá quase 70 metros de profundidade

Relevo variado

Além de causar vários dissabores aos moradores por onde passa, esse sistema de construção só pode ser feito em terrenos mais planos e onde a linha segue uma avenida, por exemplo.

No caso da Linha 6, há outro fator que fez com que as estações fossem projetadas em níveis muito profundos. Como ela corta um relevo muito variado da cidade foi preciso que o trajeto passasse abaixo dos trechos em depressão. Como um trem não pode percorrer trechos muito íngremes, as estações no alto de morros acabaram sendo muito profundas.

Não é à toa que a nova linha, com previsão de inauguração em 2020, será a que mais terá elevadores em seus 15 km de extensão: serão 87 equipamentos do gênero além de 310 escadas rolantes.

Veja também: conheça a Linha 6-Laranja

 

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment

Posts mais compartilhados

Veja em AUTOO

AUTOO