Destaques Linha 1 Linha 2 Linha 5

Estações Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin da Linha 5-Lilás abrem nesta sexta, 28

Em vistoria do governador do estado às obras, Secretaria dos Transportes Metropolitanos confirmou inauguração das três paradas
O totem ainda com o logotipo do Metrô e sem fazer menção à Linha 1-Azul

A espera está chegando ao fim: nesta sexta-feira (28) as estações Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin da Linha 5-Lilás serão inauguradas pelo governo. A informação, que era comentada por funcionários envolvidos com a obra e a operação, acabou ganhando uma “confirmação informal” por um convite digital compartilhado nas redes sociais e revelado pelo site ViaTrolebus nesta quarta-feira (26).

A informação foi confirmada pelo governo durante visita às obras do governador Márcio França (PSB) e candidato à reeleição nesta quarta-feira – assim como em AACD, ele não pode participar do evento principal e a saída é “vistoriar” a obra. Segundo um funcionário ouvido pelo site, hoje também era o prazo final de entrega da estação Santa Cruz, a mais complexa e atrasada das três.

Vídeos e fotos publicados nos últimos dias mostram que as estações estão prontas, com os últimos ajustes sendo realizados. Uma surpresa negativa é a ausência de portas de plataforma em Chácara Klabin, que haviam sido confirmadas pelo Metrô. Com isso, apenas Santa Cruz recebeu o equipamento, considerado importante para evitar acidentes em estações lotadas.

Em nota, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos afirmou que as estações abrirão das 10 às 15 horas em todos os dias da semana e com cobrança de tarifa, mesmo padrão utilizado em AACD, e que posteriormente terão seu horário estendido até chegar ao padrão da rede.

Pelos testes realizados pela ViaMobilidade desde quinta-feira passada, os trens devem circular em horário reduzido de forma direta, ou seja, sem necessidade de troca de composição. Composições com o letreiro Chácara Klabin foram vistos em alguns dias da semana, assim como o uso da plataforma 2 de AACD-Servidor. Apesar disso, houve dificuldades com os testes, segundo o site Ferroviando, por conta de problemas com equipamentos de via.

A abertura das três estações, sobretudo de Santa Cruz e Chácara Klabin, promete causar uma “reviravolta positiva” na mobilidade sobre trilhos em São Paulo. Ao se conectar às linhas 1 e 2, o ramal será o caminho natural para a Zona Sul da cidade, além de possibilitar o acesso das regiões de Moema, Campo Belo e Brooklin para milhares de passageiros que hoje utilizam ônibus ou automóveis.

Para se ter um tamanho da demanda das três, são esperadas 19,6 mil pessoas por dia em Hospital São Paulo, 85,3 mil em Chácara Klabin (ligação com a Linha 2-Verde) e 138,4 mil pessoas em Santa Cruz (ligação com a Linha 1-Azul). Ao todo, o movimento na Linha 5-Lilás deverá chegar a 855 mil passageiros por dia. Serão 20 km de extensão e 16 estações (apenas Campo Belo permanece em obras até o final do ano).

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

21 Comentários

Click here to post a comment
    • Podia é não existir esse partido tucano que já está há 30 anos no poder e só entregar obras inacabadas em ano de eleição. Ainda bem que essa praga está terminando. Adeus tucanos-pcc da vida!

  • Enfim , depois de 50 anos, acaba o maior erro do transporte urbano na zona sul que foi a retirada dos bondes de Santo Amaro…

    • Estamos pagando caro por ter sucateado o transporte sobre trilhos e praticamente só investido em transporte sobre pneus. Espero que isso nunca mais ocorra.

  • Agora sim, meus elogios, meus parabéns! Afinal, uma definição, com data e hora!!!! Bravo! Estava aguardando isso.

  • Esse “posteriormente até chegar no horário padrão” para operação das estações seriam quantos dias, mais alguns meses de espera ?

    • Claudio, não é possível estimar. Cada operação em fase de testes leva um tempo diferente. Por exemplo, a estação AACD-Servidor foi a que teve o menor período – apenas 15 dias. Mas a anterior, Moema, levou mais de quatro meses. Como a ViaMobilidade é uma empresa privada é provável (mas não garantido) que esse período seja curto, afinal ela ganha por passageiro transportado e quanto mais rápido a linha poder levar mais gente melhor para ela.

      • Somente lembrando que sao 3 estaçoes de uma paulada so e que tem uma quantidade grande de equipamentos que vao ser ativados de uma so vez !! Com certeza vai demorar um pouco mais !

  • Apesar da RMSP responder sobre 70% do total de pessoas transportadas sobre trilhos no país, dos 92% de arrecadação que nosso estado envia ao governo federal, recebemos apenas migalhas. Ainda assim, com quase nada de ajuda federal, construímos aos poucos nossa malha metroferroviaria com modernidade e qualidade.

  • Vai me ajudar tanto…
    Eu ia até Pinheiros pra depois ir para a Luz para chegar na Linha 1. Agora, chegar em menos de 25 minutos na Linha 1. Parece um sonho que está se tornando realidade! Agora vamos torcer para que a VIA MOBILIDADE consigam inibir os problemas que a linha possuí, pois todos os dias que venho da faculdade, pego o trêm lotado às 22:30 com enorme intervalo de 5/6 minutos. Espero que MELHORE e não PIORE. Diminuir o intervalo entre os trens deve ser a primeira tarefa após a inauguração da estação, já que a quantidade de passageiros vai mais que triplicar.

  • Um absurdo divulgar em diversos meios q as novas linha circulariam às 10:00, sendo q dezenas de pessoas em busca de outra opção, pois 10:50 ñ tinha circulação. Vai saber qd começará. Ainda a empresa viamobilidade se diz seria.

  • Muito bom pra ser verdade…
    Minha esposa foi toda feliz e quando chegou na estação AACD os funcionários estava retirando todos do metrô por causa de problemas! Não está funcionando!!!!

Posts mais compartilhados

AUTOO