A Cetesb, companha ambiental do estado de São Paulo, recebeu nos últimos o pedido de licença ambiental de operação para a nova estação Francisco Morato, da Linha 7-Rubi. A solicitação, encaminhada pela CPTM, é um indício que a obra está na reta final, como o governo tem adiantado, inclusive. Segundo declarações da atual gestão, a previsão é que o novo espaço seja aberto no dia 31 de agosto, portanto, dentro de pouco mais de 50 dias.

Como tem mostrado com frequência incomum pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, a nova estação está na fase final de acabamento nas últimas semanas. Em recente atualização, inclusive, o governo revelou que Francisco Morato passou a receber as placas de sinalização, além de já revelar o paisagismo das áreas comuns da futura parada.

Com 6 mil m² de área e três plataformas, a nova estação deve receber diariamente cerca de 60 mil pessoas. A obra está sendo realizada pelo consórcio Telar-Spavias, que venceu a segunda concorrência lançada pela CPTM oferecendo R$ 114,9 milhões para construí-la. A promessa de melhorar o serviço no munícipio é antiga: a obra chegou a ser licitada, porém, em 2015 a empresa contratada se recusava a seguir com os trabalhos, entrando com uma liminar na Justiça. Só após rescindir o contrato e promover outra licitação, o projeto foi retomado.

Placas de sinalização em Francisco Morato (STM)

Obras paradas ou sem previsão

Com a entrega de Francisco Morato, a CPTM terá então apenas as estações Varginha e Mendes-Vila Natal (Linha 9-Esmeralda) em obras e que devem ser entregues em 2022 e 2021, respectivamente. Além delas, um grupo privado toca a construção da estação João Dias, também da Linha 9, mas sem praticamente recursos do estado.

A CPTM, no entanto, tem outras paradas cotadas, mas que não têm previsão como finalizar a segunda plataforma da estação Suzano (Linha 11), que permitirá a extensão da Linha 12 até o munícipio. A companhia também espera tirar do papel da estação Pirelli, da Linha 10, porém, depende da prefeitura de Santo André e de parceiros privados.

Se conseguir conceder as linhas 8 e 9 e o Trem Intercidades, que inclui a Linha 7, a CPTM então poderá viabilizar a reforma e construção de várias outras estações por meio das futuras concessionárias. Entre elas estão a unificação das duas estações Lapa. O governo espera lançar os editais dos dois projetos até 2021.

Paisagismo e iluminação adiantados (STM)

Leia no Lulica
Insônia, aumento de apetite, problemas de visão 29/9/2020