Futura conexão entre as linhas 6-Laranja e 20-Rosa, estação Santa Marina é flagrada do alto

Canteiro de obras já conta com guindaste movimentando equipamentos que parecem pertencer aos tatuzões da Linha Laranja
Futura estação Santa Marina (iTechdrones)

Após quase dois meses desde que foram oficialmente reiniciadas, as obras da Linha 6-Laranja ainda estão longe de mostrarem o movimento que se espera de um projeto dessa magnitude. No entanto, já é possível flagrar alguns trabalhos em certos canteiros como da futura estação Santa Marina, localizada nas proximidades das avenidas Ermano Marchetii e Marquês de São Vicente.

Imagens aéreas do canal iTechdrones flagraram um guindaste realizando movimentações em equipamentos que estavam armazenados no local desde 2017. Ao que parece, as estruturas e materiais pertencem aos dois tatuzões construídos na China e que serão usados para escavar os 15 km do ramal subterrâneo. Um possível indício são as bobinas vistas numa das áreas do canteiro e que podem pertencer às esteiras que retiram o material escavado pelas tuneladoras.

Há também uma ponte rolante desmontada e que poderá ser usada no poço da própria estação. A concessão da Linha 6 foi assumida pela construtora Acciona, que para isso criou uma SPE (Sociedade de Propósito Específico) para construir e operar o ramal, a Linha Universidade S.A. Ela substituiu a Move São Paulo, cujas sócias eram as construtoras Odebrecht, Queiroz Galvão e UTC.

Em declarações recentes, o presidente da Acciona afirmou que as obras de fato devem começar no primeiro trimestre de 2021, quando a mobilização dos canteiros, com contratação de funcionários e entrega de materiais e equipamentos estará mais adiantada. Por contrato, a Linha Universidade deverá inaugurar a Linha 6-Laranja em 2025.

Corte da futura estação Santa Marina (MoveSP)

Futuras conexões

O sobrevoo do drone do canal também mostrou os terrenos desapropriados ao lado da estação Água Branca, da CPTM. Assim com Santa Marina, essa parada se tornará no futuro uma importante conexão para outros ramais.

Será em Água Branca que os passageiros das linhas 7 e 8 da CPTM e 6-Laranja poderão seguir viagem para outras regiões de São Paulo. A princípio, a estação receberia também o Trem Intercidades, transformando-se numa verdadeira “Gare” (termo usado para estações de trem regionais na França). Porém, a gestão Doria preferiu bancar um projeto mais simples, o de aproveitar plataformas ociosas em Palmeiras-Barra Funda para esse fim.

Terreno da estação Água Branca da Linha 6, ao lado da homônima da CPTM (iTechdrones)

Já Santa Marina ainda está distante do dia em que terá uma função bastante importante, a de conectar a Linha 6-Laranja à Linha 20-Rosa. Segundo documentos recentes do Metrô, será em Santa Marina que a Linha 20 terá uma de suas pontas. Como se sabe, o ramal seguirá para a Lapa, Pinheiros, percorrerá o eixo da avenida Faria Lima, cortará Moema, cruzando com a Linha 5, tomará o rumo da avenida Indianópolis quando então seguirá em direção ao ABC Paulista, terminando seu trajeto no centro de Santo André.

O projeto, no entanto, está apenas no começo, com a contratação do projeto funcional e de arquitetura. Ou seja, o início das obras ainda é uma possibilidade distante, mas assim como outros locais outrora ermos, Santa Marina e Água Branca um dia deverão passar por uma mudança brutal.

Total
237
Shares
1 comment

Comments are closed.

Previous Post

Brasileiro Aeromovel será implantado como ‘people mover’ do Aeroporto de Guarulhos, afirma site

Next Post

Em novo formato, Expresso Aeroporto da Linha 13 estreia nesta terça-feira

Related Posts