Lançado em 2014, megaempreendimento Parque Global, ao lado da Marginal Pinheiros, na Zona Sul de São Paulo, prometia transformar um enorme terreno no Panamby num complexo residencial, corporativo e de comércio e serviços. Porém, logo após iniciar as vendas de suas torres residenciais, o projeto foi embargado pela Justiça após ações de moradores da região que alegavam danos ambientais. No ano passado, após acordos celebrados com o grupo Bueno Netto, dono do empreendimento, o Parque Global está sendo retomado e com seu projeto atualizado.

Material recente do complexo disponível no site do projeto confirma que a futura estação Panamby, da Linha 17-Ouro, continua fazendo parte dos planos da construtora, que pretende interligar o shopping center com 50 mil m² de área locável e um conjunto de edifícios que inclui espaço para coworking, consultórios médicos e hotel ao ramal de monotrilho. Como se sabe, o Metrô de São Paulo tem focado nos últimos anos em finalizar o primeiro trecho, chamado de priotário, e que está em obras desde 2012.

Já a estação Panamby faz parte da chamada 3ª fase, que levará o ramal da estação Morumbi até São Paulo-Morumbi, da Linha 4-Amarela, passando por bairros como Panamby, Paraisópolis e Morumbi. No entanto, trata-se do trecho mais polêmico e que enfrentou protestos por utilizar parte do terreno de um cemitério e o eixo da avenida Jorge João Saad, o que motivou movimentos de bairro a pedir pelo cancelamento do projeto.

No entanto, a estação Panamby ficará localizada próximo à Marginal Pinheiros, dentro do terreno do complexo, que precisou ser alterado no início da década por conta de desapropriações. A Bueno Netto, entretanto, viu na Linha 17 uma oportunidade para ampliar a atratividade do empreendimento e decidiu incorporá-lo ao projeto, inclusive alterando o estilo da estação para seguir os traços do complexo.

A estação Panamby em projeto preliminar do Parque Global (Bueno Netto)

Em ilustração publicada pela construtora nos últimos meses, a estação Panamby voltou a ser mostrada, inclusive com passarelas conectando o shopping e o conjunto corporativo. Não se ainda se a intenção da Bueno Netto é oferecer algo semelhante ao que fez a Brookfield à CPTM ao propor a construção da estação João Dias, mas parece bastante óbvio que isso é o caminho natural do projeto.

Para reforçar essa preocupação com mobilidade urbana, o projeto do Parque Global também contempla uma enorme passarela de pedestres e ciclistas que atravessará o Rio Pinheiros e permitirá uma ligação entre o empreendimento e a estação Granja Julieta da Linha 9-Esmeralda, assim como o comércio e serviços existente na outra margem.

Fato é que, em tese, levar a Linha 17 por mais algumas centenas de metros no sentido do Panamby não chega a ser um desafio técnico ou financeiro. Prova disso é que já existem cerca de 900 metros de vias em obras após a estação Morumbi, restando aproximadamente outros 350 metros e a transposição do rio para chegar ao local da estação Panamby. Um complicador, no entanto, é a suposta ausência de aparelhos de mudança de via na região, necessários para que os trens possam retorna no sentido do aeroporto.

Caso evolua e incorpore a estação Panamby, o Parque Global pode ser mais um exemplo bem sucedido de parceria entre a iniciativa privada e o estado para viabilizar a expansão sobre trilhos, mesmo que a gestão Doria mostre-se contra o monotrilho.

Estação João Dias: iniciativas como a da Brookfield podem se multiplicar (Divulgação)