Há dois anos governo do estado tenta liberar financiamento de R$ 2,8 bilhões para a Linha 2-Verde

Empréstimo de US$ 550 milhões já foi aprovado por banco latino-americano, mas continua parado no governo federal. Secretário do Tesouro estadual cita razão política
Obras da Linha 2-Verde (CMSP)

As obras da extensão da Linha 2-Verde do Metrô tem andado num ritmo bastante rápido e tem previsão de entrega em 2026. Mas isso caso um imbróglio seja de fato resolvido envolvendo o governo do estado e o Tesouro Nacional, órgão federal vinculado ao Ministério da Economia.

Trata-se de um financiamento de US$ 550 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões) solicitado pelo governo no início de 2020 e que foi concedido pela Corporação Andina de Fomento (CAF), banco desenvolvimento latino-americano. Embora as condições do acordo tenham sido aprovadas entre o governo estadual e o banco, o dinheiro só pode ser liberado com aval federal. E é isso que anda emperrado na Cofiex, a Comissão de Financiamentos Externos, que tem a atribuição de avalizar os empréstimos dos entes federais.

A razão é que qualquer endividamento de estados e munícipios tem a União (governo federal) como avalista, daí a necessidade de contar com essa aprovação. Mas, segundo o novo secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, Felipe Salto, o governo Bolsonaro estaria travando esse e outros empréstimos por questões políticas. “Isso não é a área técnica, conheço todos lá (no Tesouro), que são excelentes. Só posso concluir que é um problema político”, disse ao jornal Estadão.

Segundo Salto, estão parados os empréstimos para a Linha 2 e também para a Linha 6. O financiamento do CAF consta no painel do órgão como “aguardando assinatura”. Em novembro do ano passado, o site questionou a assessoria de imprensa do Ministério que não informou qualquer prazo para que o processo fosse aprovado.

Concepção da antiga estação Guilherme Giorgi, agora Santa Isabel

Além do acordo com o CAF, o governo paulista também deu entrada em uma nova autorização para empréstimo, desta vez com o BIRD, também conhecido como Banco Mundial, no valor de US$ 430 milhões (quase R$ 2,2 bilhões) para aquisição de material rodante (trens), sistemas e estudos. Segundo o painel do Cofiex, o pedido consta como “recebido” apenas.

Os recursos são fundamentais para viabilizar a implantação dos cerca de 8 km de vias e oito estações da expansão até Penha da Linha 2-Verde. Até o momento, o Metrô tem utilizado o caixa do governo para manter as obras, mas a fonte é limitada, portanto um atraso ainda maior na liberação dos empréstimos fatalmente afetará o cronograma de entrega.

Total
3
Shares
13 comments
  1. Esses informativos sao interessantes, mas as referências de cor de linhas, pra quem não conhece bem ou tem o mapa do metrô à mão; é vago.
    Seria interessante a localização por bairros ( sentido, destino), pra melhor posicionamento da obra. Obrigado !

    1. Não, jamais, identificar por cores é mto melhor do que bairros, quem utiliza todos os dias conhece rapidinho, e quem não utiliza entende rápido pra aonde tem que ir, muito mais simples dizer que tenho que pegar linha vermelha até itaquera do ter que pegar linha barra funda-itaquera, nada prático.

      1. Em qualquer lugar do mundo é assim. Nada a ver essa ideia aí. E mesmo quem não tem o mapa do metrô na mão, ele está exposto inúmeras vezes em TODOS os trens e estações (embora alguns sejam bem desatualizados, mas serve de base)

  2. SENTIDO LESTE ,AMIGO , POREM O GOVERNO DO ESTADO ANDA PROMETENDO DEMAIS E NÃO CUMPRINDO OU INAUGURA OBRA PELA METADE , CHEGA DISSO O POVO QUE SOFRE COM ISSO,OTIMA DESCULPA ESTA DE PROBLEMAS POLITICOS

  3. Nao é novidade o governo federal boicotar as obras de mobilidade paulistas. No desgoverno da quadrilha petista, por 14 anos o estado de São Paulo não foi contemplado em nenhum projeto. A presidAnta ainda teve o descaramento de cancelar o que era previsto pelo PAC, aquela nuvem de fumaça. Mesmo assim, o estado continuou com suas obras. E o bozo ainda quer voto de paulistas para seu fantoche miliciano, que acha que o Tatuapé é na zona sul de São Paulo e Ribeirão Preto é uma cidade da baixada Santista…

    1. todas as compras de trens da CPTM e METRO tiveram financiamento do BNDES. quem boicota o estado de SP é o próprio partido que governa desde 1993.

      1. Deixe de burrice. O BNDES concede empréstimos. O estado de São Paulo tem que bancar de qualquer jeito.

        1. burrice é quem nao entendeu quando eu escrevi “financiamento”.

          de qualquer forma, houve ajuda do governo federal. o periodo q mais se investiu em ferrovia foi justamente com ajuda federal e do partido q vc nao gosta. daí pessoas como vc colocaram o q está lá hoje por causa do PT, e agora ficam aí chorando isso e aquilo do presidente.

          1. Só pode ser piada achar que a quadrilha petista enviou dinheiro para São Paulo enquanto esteve no poder para ferrovias. Desde quando? Fake news não é somente com os malucos de direita, mas desmiolados de esquerda também. A burrice continua achando que o fato de ser financiamento não será o estado que vai pagar de qualquer jeito. Só rindo… E rindo muito em ter gente que acha que quem não vota em um é porque votou no outro. Não voto em presidiário e nem miliciano… Chorando sao aqueles que reclamam do presidente porque perderam bolsa família…

    2. A culpa é do PSDB, pesquise sobre os repasses da Dilma para o governo Alckimin realizar obras de mobilidade antes da Copa de 2014. Foram bilhões que o Estado recebe da Federação e ele usa onde bem entender. A culpa é do PSDB.

      1. Deixe de burrice e fale news. As verbas daquela fanfarronice chamada PAC foram canceladas pela presidAnta para o estado de São Paulo. Se nao sabe melhor ficar calado. A quadrilha petista preferiu construir estádios inúteis a obras de mobilidade urbana, cujos projetos naufragaram no país todo, a maioria por denúncias de corrupção com a própria quadrilha petista, como o monotrilho de Manaus e o VLT de Cuiabá. São Paulo tem bancado o seu sistema metroviario sozinho. A quadrilha petista nem sabe o que é mobilidade urbana. Ficou 14 anos no poder e nada fez pela mobilidade urbana no país. Imagine no governo de São Paulo. Vai, no máximo, pintar os trens de vermelho…

        1. o VLT de cuiabá é uma obra estadual, de um governador do PMDB, cujo aprovação de financiamento junto ao ministerio das cidades se deveu por propina paga pela CAF, a mesma q esteve envolvida no trensalão tucano e financiou o PSDB em varias eleiçoes. isso está documentado no inquerito.

          sobre as obras para a copa do mundo, aqui em SP tudo foi acordado entre governos municipal, estadual e federal.

          é só gastar um tempinho e ler as noticias da epoca.

          1. Durante administação federal da quadrilha petista, a maioria dos casos de corrupção envolveu políticos petistas e do PMDB. Tem farto material sobre isto. Avançaram como ratos sobre o dinheiro público. A quadrilha petista insistiu na construção do estádio de Itaquera mesmo com o Allianz Park praticamente pronto apenas para ter uma ideia. Quem tem memória sabe que tanto a quadrilha petista quanto o PMDB estavam juntos na corrupção daquele período. Basta pesquisar.

Comments are closed.

Previous Post

Semana começa com possível greve no Metrô na quarta-feira dia 18

Next Post

Com greve adiada, Metrô funciona normalmente nesta quarta, dia 18

Related Posts