Destaques Linha 13

Imagem do viaduto estaiado da Linha 13 Jade aparece nas redes sociais

Obra de arte é atualmente o maior gargalo do projeto e deve ficar pronta apenas na metade de 2018
Montagem com imagem do suposto viaduto da Linha 13 Jade: estaiada com 530 metros
Montagem com imagem do suposto viaduto da Linha 13 Jade: estaiada com 530 metros
Montagem com imagem do suposto viaduto da Linha 13 Jade: estaiada com 530 metros

Uma das poucas obras em bom ritmo na expansão metroferroviária de São Paulo, a Linha 13-Jade já aguça a imaginação de quem passa pela região de Guarulhos. Estações que surgem no horizonte, vias suspensas por boa parte do caminho e obras aceleradas, porém, nem tudo é otimismo. Há uma ‘pedra’ no caminho dos planos de inaugurá-la em 2018 e ela se chama “viaduto estaiado”.

Como o blog antecipou em post anterior, a CPTM precisou alterar o projeto dos viadutos que passarão por sobre as rodovias Ayrton Senna e Hélio Smidt. Segundo ouvimos, os órgãos envolvidos não permitiram que o tráfego ali fosse interrompido e a solução para evitar isso foi redesenhar o conjunto e substituí-lo por um viaduto estaiado com estais duplos.

Graças a essa técnica de construção é possível vencer grandes vãos como vemos nas pontes estaiadas Octávio Frias de Oliveira, na Zona Sul de São Paulo, ou a ponte Orestes Quércia, próximo ao Anhembi. Em vias férreas, hoje temos dois exemplos, a estação Santo Amaro da Linha 5-Lilás, que é uma ponte com um estal simples, e a recém concluída ponte estaiada da Barra da Tijuca, no Rio, que faz parte da Linha 4 do metrô carioca.

Mas o viaduto estaiado da Linha 13 promete superá-las em algumas dimensões: 530 metros de comprimento e três vãos, que passarão por cima das duas rodovias. Como esse projeto ficará, no entanto, ainda é um mistério. A CPTM não divulgou nenhuma projeção do viaduto e o blog precisou desenhar um infográfico para mostrar como ele ficará (veja abaixo).

Obra de arte deve ser semelhante ao desenho acima
Obra de arte deve ser semelhante ao desenho acima

No entanto, uma imagem que parece ser do viaduto foi publicada nas redes sociais nas últimas semanas. O desenho, de baixa resolução, mostra um formato semelhante ao descrito pelos engenheiros da obra, inclusive, com a curva que se espera dele e os pilares posicionados em pontos onde estão sendo feitas fundações. Para ajudar a entender sua concepção, mostramos o conjunto sobre uma imagem do Google Earth.

Tudo leva a crer que o viaduto estaiado,  com dois estais, começará a tomar forma durante a metade do ano que vem e que deve ser concluído no final do primeiro semestre de 2018. Até lá, a Linha 13 deverá estar pronta, esperando apenas a ligação entre as duas pontas pelo agora não tão misterioso viaduto.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway