Destaques Linha 7

Linha 7-Rubi deve terminar 2017 com 19 trens novos

Para comportar novas composições, CPTM tem focado em melhorar infraestrutura da antiga linha
Trem da Série 9500: primeiro de 30 unidades (CPTM)
Trem da Série 9500: Linha 7-Rubi se prepara para operar 19 composições novas até o final do ano (CPTM)

O tão aguardado fim dos trens antigos da CPTM na Linha 7-Rubi está perto de ocorrer, mas apenas em 2018. Os usuários da linha, no entanto, já estão notando a presença de várias composições novas em serviço – 14 unidades até outubro -, total que deverá chegar a 19 trens até o final do ano, conforme prometido pela empresa no início do ano.

Com eles, a presença das séries herdadas da CBTU e Fepasa e que não possuem ar-condicionado além de serem mais lentes, deve ficar restrita a algumas viagens e a extensão entre Francisco Morato e Jundiaí. Isso porque graças ao desempenho superior das novas séries 8500 e 9500 é possível percorrer a longa linha Rubi mais velozmente e com isso substituir mais trens antigos.

No entanto, para que isso ocorra não basta apenas ter composições novas, é preciso que a infraestrutura da Linha 7 suporte os novos trens. Por essa razão, nos últimos dias a CPTM promoveu a substituição de cabos do sistema de energia de alimentação entre as estações Jaraguá e Vila Aurora. Os passageiros que utilizaram o ramal entre os dias 9 e 13 de outubro tiveram que enfrentar intervalos bastante longos de até 34 minutos, conforme informado pela CPTM.

A interrupção, porém, é necessária porque os novos trens precisam de mais energia para ter um desempenho adequado – sem ela, eles são obrigados a operar de forma mais lenta para consumir menos o que tira parte do seu diferencial. Espera-se que a modernização esteja próxima do fim com isso.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway