Metrô dá luz verde para construção e conclusão de cinco estações da Linha 15-Prata

Assinatura do contrato e ordem de serviço foram emitidas nos últimos dias e preveem a conclusão das estações Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus além do início da construção de Jardim Colonial
Estação Sapopemba: promessa é concluí-la até dezembro(Reprodução/Consulgal)

Como anunciado há algumas semanas, o Metrô assinou dois contratos no dia 2 de abril e emitiu a ordem de serviço que retomam as obras das estações da Linha 15-Prata, além do início da construção da estação Jardim Colonial. Com isso, as obras nas cinco estações devem começar nos próximos dias.

O primeiro contrato foi assinado com a STER Engenharia, empresa que venceu a licitação para conclusão das obras das estações Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus abandonadas pela empresa Azevedo & Travassos em setembro do ano passado. Segundo o Metrô, os canteiros estão com 90% dos serviços executados e expectativa é que as quatro paradas sejam concluídas até o final deste ano.

Das quatro, Jardim Planalto é a mais adiantada e pode ser entregue antes, já as demais estão num estágio que requer mais tempo para conclusão. A ordem de serviço foi emitida no dia 4 de abril e com ela o prazo de entrega da obra passa a contar oficialmente.

O outro contrato, cuja ordem de serviço foi emitida na segunda-feira, 8, prevê a construção da estação Jardim Colonial, a 11ª parada da Linha 15. Localizada após São Mateus, a nova estação deverá ser entregue em 2021 e será construída pela empresa Somague Engenharia. Ao final dessas obras, o ramal terá 15,3 km de extensão e capacidade de transportar cerca de 400 mil passageiros por dia.

Em março, o consórcio ViaMobilidade – Linha 15 arrematou a concessão da Linha 15-Prata e passará a operá-la por 20 anos. A empresa, cuja sócia principal é a CCR, deve assumir a operação nos próximos meses.

O percurso da nova etapa da Linha 15
Total
13
Shares
Previous Post

Doria promete portas de plataformas em todas as estações da CPTM

Next Post

Doria precisa viabilizar soluções, não procurar paliativos ao transporte sobre trilhos

Related Posts