Destaques Linha 15 Linha 17 Linha 4 Linha 5

Veja quais serão as próximas estações do Metrô a serem inauguradas

Com atrasos, primeira nova estação do Metrô de São Paulo só deve ser entregue no segundo semestre de 2017
Vista aérea da estação Chácara Klabin
Vista aérea da estação Chácara Klabin
Vista aérea da estação Chácara Klabin
Vista aérea da estação Chácara Klabin

Tentar cravar com certeza quando o Metrô ganhará sua próxima estação é um trabalho difícil tamanha a quantidade de imprevistos, adiamentos e problemas de gestão que a empresa tem passado nos últimos anos. No entanto, algumas obras chegaram a um ponto onde já é possível ter uma ideia próxima quanto a isso.

As previsões fornecidas pelo Metrô e, sobretudo, a Secretaria de Transportes Metropolitanos do estado, indicam que o primeiro trecho da expansão da Linha 5-Lilás é o mais próximo de ficar pronto, em julho de 2017, mas a data é um pouco otimista já que há muito trabalho ainda pela frente. Por outro lado, a complicada fase 2 da Linha 4, que teve sua licitação realizada há algumas semanas, pode recuperar o tempo perdido e entregar sua primeira estação, Higienópolis-Mackenzie, também no segundo semestre do ano que vem. Confira as previsões do governo e a opinião do blog.

Estação Borba Gato
Estação Borba Gato

Estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin (Linha 5) – julho de 2017

O secretário Clodoaldo Pelissioni tem reafirmado a data em encontros com a imprensa. As três estações são as mais adiantadas da Linha 5 e já encontram-se em acabamento. Internamente, os consórcios trabalham com o final deste ano para entrega da obras, restando depois detalhes de equipamentos e sistemas.

O que pode comprometer a previsão é o sistema de sinalização CBTC que começou a ser testado apenas nas últimas semanas. O governo trabalha com o mês de agosto para iniciar os testes em horário comercial. Caso isso ocorra, serão ao menos 10 meses para deixar o sistema preparado para operar o novo trecho. O problema é que o CBTC na Linha 2 demorou anos para funcionar e só entrou em serviço total este ano. É verdade que o sistema da Linha 5 é de outro fornecedor (Bombardier), mas fica no ar a pergunta: terá ela menos dificuldades de entregar o serviço numa linha em funcionamento também?

Chance de inauguração no prazo: média

Estação Higienópolis-Mackenzie deve ser a primeira a se entregue
Estação Higienópolis-Mackenzie deve ser a primeira a se entregue

Estação Higienópolis-Mackenzie (Linha 4) – agosto de 2017

A data é uma estimativa baseada no que o Metrô divulga: assim que a ordem de serviço for assinada, essa estação levará 12 meses para ficar pronta. Como a expectativa é que isso ocorra entre julho e agosto, Higienópolis-Mackenzie deve entrar em operação no começo do segundo semestre do ano que vem.

O que pode atrapalhar os planos é o atraso para anúncio do vencedor da licitação ou algum imprevisto quando esse consórcio assumir a obra – falta de projetos ou problemas não informados pelo Metrô. Em compensação, a estação já tem boa parte das obras civis pronta, o que ajuda.

Chance de inauguração no prazo: média

Estação Oscar Freire da Linha 4 deve ser uma das primeiras a ficar pronta
Estação Oscar Freire da Linha 4 deve ser uma das primeiras a ficar pronta

Estação Oscar Freire (Linha 4) – novembro de 2017

Num estágio um pouco mais atrasado que Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire tem previsão de mais 15 meses em obras. Aqui a situação não parece tão otimista. A não ser que o Metrô opte por abrir a estação com apenas um acesso, o trabalho pode demorar mais já que o segundo acesso ainda não foi nem escavado.

Chance de inauguração no prazo: pequena

Interior da estação Hospital de São Paulo
Interior da estação Hospital de São Paulo

Estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hosp. São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin (Linha 5) – dezembro de 2017

O segundo lote de estações da expansão da Linha 5 serão as paradas que vão do bairro de Moema até a ligação com as linhas 1 e 2, pontos chave para a rede se integre. Essas seis estações estão na fase final de obras civis e aguardando o fim das escavações do ‘tatuzão’ para que a via dos trens comece a ser feita, o que deve ocorrer em junho.

A complexidade de colocar em funcionamento uma linha com demanda tão grande pode causar atrasos no início da operação plena, prevista para o final do ano que vem.

Chance de inauguração no prazo: pequena

Estação São Paulo-Morumbi: apenas um imenso buraco
Estação São Paulo-Morumbi: apenas um imenso buraco

Estação São Paulo-Morumbi (Linha 4) – fevereiro de 2018

A estação, quando inaugurada, encerrará uma grande contradição na rede de metrô paulista, afinal hoje temos alguns quilômetros de linha pronta além de uma estação fantasma que não podem ser utilizados por uma grande população da Zona Oeste da cidade.

Embora tenha plataforma e mezaninos instalados, um acesso quase pronto e parte do poço escavada, a estação São Paulo-Morumbi ainda tem muito serviço pela frente.

Chance de inauguração no prazo: pequena

Vista aérea da estação Campo Belo
Vista aérea da estação Campo Belo

Estação Campo Belo (Linha 5) – primeiro semestre de 2018

Estação mais atrasada da Linha 5, Campo Belo ainda encontra-se na fase de escavação dos poços. A razão do atraso veio de imóveis que demoraram a ser entregues e interferências no solo. Agora, o consórcio corre para deixar a estação em condições para que os trens passem por ela enquanto sua finalização ocorre em paralelo.

Chance de inauguração no prazo: pequena

Futura estação Camilo Haddad (foto: Sergio Mazzi)
Futura estação Camilo Haddad (foto: Sergio Mazzi)

Estações São Lucas, Camilo Haddad e Vila Tolstoi (Linha 15) – maio de 2018

O monotrilho da Linha 15 era para ser a vitrine do governo do estado no ano passado e neste, mas erros de projeto e dificuldades de implantação do modal, o primeiro de grande porte no Brasil, fizeram a linha atrasar demais.

Agora, os principais entraves parecem superados após a conclusão do desvio do córrego da Móoca, que impedia que a obra das três estações citadas acima fosse iniciada. O consórcio responsável pela extensão até São Mateus está centrando esforços para tirar o atraso dessas paradas enquanto segue num ritmo um pouco mais lento nas demais, que haviam sido priorizadas até então.

Ou seja, se tudo der certo, em dois anos elas serão entregues e não muito depois as outras cinco (Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus). A vantagem aqui é que as vias estão praticamente prontas e há trens sobrando no pátio. Até lá, a linha já terá uma operação amadurecida e a expansão deverá ser tranquila.

Chance de inauguração no prazo: grande

Estação da linha 17: trens começarão testes no final de 2016
Estação Vereador José Diniz

Estações Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Ver. José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi (Linha 17) – 2018

É atualmente a linha em obra com situação mais imprevisível. O monotrilho da região do Campo Belo, na Zona Sul, está com a maior parte das obras parada, algo que o Metrô promete resolver até o final do semestre.

A previsão é que em 2018 ela esteja funcionando, mas a chance disso ocorrer é muito pequena. A razão é que há atrasos em pontos cruciais da linha como o pátio de manobras e a produção dos trens. Sem eles, não adianta ter estações e vias prontas, hoje as partes mais adiantadas da obra. Além disso, a importante ligação com a Linha 9 da CPTM aguarda nova licitação, que deve ser anexada ao serviço de içamento das vigas faltantes.

Chance de inauguração no prazo: muito pequena

 

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

4 Comentários

Click here to post a comment
  • Ótimo artigo, pé no chão!!! Acho que você vai acertar todas e as apostas de “pequena chance” vão ser 6 meses de atraso.

  • Tá Faltando Iniciar As Obras das Linhas do Metrô: 18 Bronze do Metrô em Monotrilho & 20 Rosa em Operação e da Extensão Para Guarulhos da Linha 2 Verde, Ambas Com Operação Térrea

  • A verdade é que, na gestão Alckmin, a única coisa que funcionou com invejável qualidade foram os pedágios.
    Gestão Alckmin representou um atraso muito grande para São Paulo e irá representar um atraso sem comparação para o Brasil, caso este se eleja como presidente.

Airway