CPTM Destaques Linha 13 Linha 18 Metrô de São Paulo Opinião

Doria precisa viabilizar soluções, não procurar paliativos ao transporte sobre trilhos

Não há mais o que “estudar” a respeito da Linha 13 no aeroporto e do monotrilho da Linha 18 e sim tomar decisões para torná-las realidade
Monotrilho: é metrô que a população do ABC deseja e que foi prometido. Nada mais que isso

Em visita ao ABC Paulista no sábado (13), o governador João Doria criticou seus antecessores ao afirmar que “o silêncio é a arma dos medíocres, dos covardes que não tomam decisões. O meu governo vai tomar uma decisão. Alguns podem gostar; outros, não”, ao ser questionado sobre a situação da Linha 18-Bronze que há quase cinco anos tem suas obras suspensas sem um desfecho afinal.

Doria garantiu que até junho sairá o resultado de um estudo em que a melhor solução será apontada, seja ele o monotrilho, projeto já contratado, ou um suposto BRT (corredor de ônibus) “de alta velocidade e alta capacidade”, segundo ele. A afirmação complementou uma informação enigmática dada pelo governador na semana passada durante a inauguração da estação Campo Belo, quando disse que haverá uma solução para a Linha 18 que não envolva o gasto de R$ 600 milhões em desapropriações, sem explicar do que se trata a tal solução mágica.

Ao contrário do que o governador afirma, não há absolutamente nada mais a ser estudado e nenhuma outra ação que não seja obter os recursos para iniciar a obra do monotrilho, que já consumiu tempo e dinheiro demais para ser descartada à essa altura. Ou seja, Doria está sendo tão covarde quanto seus antecessores ao não assumir um compromisso do governo do estado (independentemente se de outra gestão) que prometeu um sistema de metrô para a região – e aqui não cabe discutir se o monotrilho é ou não capaz ou se pode ser chamado de metrô, afinal isso é semântica apenas.

A população espera pelo metrô e não por corredores de ônibus. E por metrô quer dizer um sistema fechado, conectado com as demais linhas sem custo extra, com boa capacidade, conforto e que circula por vias sem interrupção. Qualquer outra proposta apontada pelo tal “estudo” é apenas paliativo, se muito. Em outras palavras, Doria precisa viabilizar uma linha de metrô para a região. Ponto.

BRT Transmilenio na Colômbia: impacto de mais um corredor no ABC pode ser desastroso

Propostas pouco críveis

Os 100 primeiros dias do governo Doria no que diz respeito aos trilhos foram de muitas promessas, alguns acertos administrativos e ações herdadas de outras gestões. Embora tenha exaltado como se fosse algo de sua responsabilidade, inaugurar Campo Belo, lançar o serviço direto da Linha 11 até Mogi das Cruzes, os novos horários do serviço Connect ou assinar contratos da Linha 15 só ocorreram porque o trabalho já estava encaminhado. Vale observar sim que foi perceptível o empenho da atual gestão para que esses projetos não atrasassem mais pela inércia natural do ambiente público mas é só.

Já quando o governador fala sobre ações próprias o que mais tem se notado são ideias vagas ou até fora da realidade como implantar portas de plataforma na CPTM em tempo recorde. Ou mesmo prometer concluir a Linha 17-Ouro em cerca de dois anos sendo que a licitação dos trens ainda não tem nem prazo para ser realizada.

Mas é sobre a polêmica história do trem para o Aeroporto de Guarulhos que Doria parece mais perdido. Desde a campanha, o governador do PSDB reclama do absurdo que é a linha não chegar aos terminais, mas desde então surgem ideias mirabolantes como uma imensa passarela para levar os passageiros até o aeroporto.

Há algumas semanas, no entanto, com o vazamento da apresentação da Secretaria dos Transportes Metropolitanos sobre os planos da pasta, a esperança de bom senso ressurgiu. Nela, sugere-se que a Linha 13-Jade deixaria de contornar a área do aeroporto para finalmente seguir próxima aos terminais e ganhar a tão necessária estação Guarulhos – Terminal 2. Trata-se da única solução lógica se o objetivo de conectar o aeroporto à rede metroferroviária permanece válido.

Projeto de estação do People Mover do aeroporto de Guarulhos: Doria diz que GRU Airport vai pagar por ele (ARUP)

Levar uma linha de metrô ou trem metropolitano para dentro da área de terminais é a promessa inicial não cumprida até aqui. E é responsabilidade do estado fazer isso. Se a concessionária do aeroporto cria dificuldades deve-se trabalhar com o governo federal para reverter isso, sobretudo porque as duas gestões hoje são aliadas até certo ponto.

Mas Doria voltou a falar em mais um paliativo. Na sexta-feira, em entrevista à rádio Jovem Pan, o governador ressuscitou o “people mover“, espécie de trem de baixa capacidade que havia sido proposta pela própria GRU Airport na época em que assumiu o aeroporto. Endividada, a concessionária esqueceu de promessa desde então, mas o governador deu a entender que ela teria aceitado novamente a incumbência – questionada, a GRU afirmou apenas que está conversando com o estado em busca de uma solução.

Como se vê, novamente Doria não toma uma decisão clara. Ou a Linha 13-Jade irá de fato ser a “linha do aeroporto” ou melhor esquecer esse slogan e considerá-la um ramal metropolitano focado nos moradores da região, mas acessível para alguns passageiros que eventualmente decidirem se deslocar até a estação Aeroporto Guarulhos.

Seja na Linha 18 ou na Linha 13, as soluções ideais já existem, cabe ao atual governo viabilizá-las sem perda de tempo com mais estudos.

A estação Guarulhos Terminal 2 ressurge em apresentação: única forma de cumprir promessa de ligar aeroporto aos trilhos

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

16 Comentários

Click here to post a comment
  • João Doria é um ridículo, obviamente que a gestão dele seria pautada em interesses da classe empresarial da qual o mesmo faz parte ao invés dos interesses da população.

    A fala dele de BRT de “alta velocidade e alta capacidade” é algo que me deixa enfurecido, pois mostra que ele não entende absolutamente nada de transporte público.

    População deveria fazer protestos contra o tal do BRT, que por mais que ele ainda faça esse joguinho de cena que está estudando sabemos bem que a decisão já está tomada.

    • Concordo Felipe! Tempos atrás tentei um abaixo assinado no change.org e não passei de 700 assinaturas (abaixo assinado encerrado por tempo demandado). Pedi apoio por e-mail para deputados federais e estaduais, prefeito de são bernardo, vereadores das cidades de SBC, SCaetano e Sto André, e não obtive! É uma vergonha. O prefeito de São Bernardo comentou ser partidário e tem como preferencia o BRT ( esse ônibus moderninho que só vai atrapalhar ainda mais o trânsito caótico que temos , poluir e destruir as ruas e avenidas já mal mantidas que vemos todos os dias…) Os interesses são grandes e acham que toda a população ainda pode “engolir” discursos preparados e não tem conhecimento técnico. Parece que o Thiago Auricchio, o Luiz Fernando Teixeira e o Barba queriam fazer alguma pressão na assembleia (lógico que a Carla Morando não vai defender e ir contra o marido… apesar de na campanha declarar que seria uma das primeiras ações que faria…) Temos que enviar e-mail, tentar contato etc, com quem esteja disposto em apoiar a população do ABC. Já passou da hora do ABC ter um transporte mais digno e eficaz interligando as cidades com a capital do estado.

      • Muito bom saber que tem pessoas se mobilizando contra o tal BRT César.

        Hoje não moro mais na região, mas o que precisar em relação a assinatura de abaixo-assinado ou algum envio de e-mail pra cobrá-los pode contar comigo.

  • Alguém que vem a público dizer que não terá dinheiro público no transporte público (que é investimento), apenas demonstra que vê o transporte apenas como despesa, não como investimento.

    Não pode ser levado a sério de jeito algum e seu fim político chegará em 2022, qdo tentará a presidência e perderá de lavada, tal como o Alckmin.

    • Renato, concordo com você. A estratégia do Dória para presidente, é a mesma do Morando – na devida proporção- para governador e da Carla para prefeito … Os interesses do prefeito de SBCampo pelo BRT (ônibus que só trará mais problemas) são declarados e a influencia do Morando junto ao Dória é muito grande devido à articulação política em andamento… Lamentável a forma de tratar a população do ABC. São 400.000 pessoas diariamente que necessitam de um transporte mais digno e eficaz. Já passou da hora!

  • Beira a irresponsabilidade essa decisão, resta saber de quem há efetivamente interesse nesse BRT, porque a população mesmo será prejudicada, tanto com um sistema de menor capacidade, quanto aos custos que envolverá não prosseguir com a licitação.

  • Excelente texto, Meier. O Governo do Estado ficar procurando pelo em ovo é o cúmulo. Além do mais, há profissionais capacitadíssimos dentro de Metrô e CPTM, capazes de saber o que é melhor para a região e para as companhias.

    • Sim Abílio. Pena que a capacitação técnica seja obstruída e calada por interesses políticos, principalmente da prefeitura de SBC e do executivo que comanda o governo do estado de São Paulo. Todos teriam que juntar forças e ir buscar as verbas necessárias para implementação do contrato assinado em 2014 para a Linha 18 Bronze do Metrô. Já passou da hora do ABC ter um transporte digno e eficaz para interligar 400.000 pessoas por dia com a capital do estado.

  • Ricardo,

    Excelente comentário! Obrigado por defender o ABC. Estamos cansados da falta de vontade política para implementação de um transporte mais digno para a população da região. É pena que o governador atual seja influenciado pelo prefeito de São Bernardo que defende o BRT (um ônibus moderninho que só causa estragos no trânsito e no leito por onde passa… e também é lamentável as empresas de ônibus do ABC que já deveriam estar satisfeitas com os contratos que possuem. ) Precisamos fazer de tudo para o modal do contrato, assinado em 2014, seja mantido e implementado, para que as 400.000 pessoas das cidades da região, sejam transportadas diariamente com menos sofrimento e perda de tempo.

  • Exatamente, nada de paleativo, Dória está querendo tapar o sol com a peneira. BRT é investimento inútil e com certeza trará problemas futuros.

  • Que absurdo essa coisa de BRT. São Bernardo não tem um único km de trilho sequer. Estamos falando da quarta maior cidade de SP e a terceira da Grande SP, a qual é uma das que mais contribui com o PIB da região. Aí o que a população recebe em troca? BRT??? Enquanto prefeitos de outras cidades como Limeira, Americana, Piracicaba, brigam pra ter o trem intercidade em suas cidades, o prefeito de SBC Orlando Morando aceita passivamente essa ideia.

  • Do que adianta um BRT, onde com certeza não vai haver integração tarifária com o metrô ?? Outra gambiarra igual o Corredor ABD da Metra.

  • Olha isto Ricardo, fiz uma pesquisa pelo aplicativo Citymapper para 4 percursos de metro (sem trem expresso), todos partindo às 7h30 da manhã de hoje com destino aos seus respectivos aeroportos:
    1) New York: da Times Square para o JFK em 52 minutos (7,75 dólares)
    2) Londres: da Piccadilly Circus para LHR em 54 minutos (5,10 libras)
    3) Paris: da Champs-Elysées para CDG em 57 minutos (10 euros)
    4) São Paulo: do Paraíso para GRU > em 52 minutos (4,30 reais)

    Conclusões:
    1) Independente de resolver o acesso direto aos terminais, não está na hora da CPTM e do Metro divulgarem melhor este serviço ??
    2) Nem uma link sobre a ida para Guarulhos consta de suas páginas.
    3) O mapa do Airport Express na Luz, sequer informa que ao invés de esperar 2 horas pelo intervalo do serviço, basta pegar o trem para o Brás e continuar a viagem pela linha 12+13.

    Com estas ineficiências não há investimento que dê retorno, nem financeiro e muito menos do apoio da população e dos usuários.

    Fico a sua disposição para ajudá-lo, se você quiser claro, para fazer uma matéria sobre isto.

  • Não seria o caso da população apoiar a empresa q deveria tocar o monotrilho para o ABC? Entrar em contato com a empresa e ajudar a fazer pressão?

    • Baccko o metro ja tem todos as informações de origem e destino dos passageiros da grande são paulo e agora so falta organizar os recursos necessarios para viabilizar essa linha sei da necessidade da população o gestor publico tem que ter responsabilidade fiscal para iniciar uma obra porque ele vai responder pelo mal uso do dinheiro publico mais essa linha vai sair

Airway