Metrô publica vídeos de andamento de suas obras em agosto

Companhia mostrou os trabalhos nas linhas 4, 15 e 17, mas continua a ignorar a extensão da Linha 2-Verde até Penha
Acesso principal da estação Vila Sônia (CMSP)

O Metrô publicou na última semana, em suas redes sociais, novos vídeos do andamento de suas obras na cidade de São Paulo datados de agosto de 2020. Confira as principais novidades a seguir:

Linha 4 – Amarela: o vídeo mostra as obras da estação Vila Sônia, única ainda não entregue, mas que tem previsão de finalizar as obras civis no fim deste ano e operação no primeiro semestre de 2021, possivelmente em março. Pelas imagens, é difícil imaginar as obras terminadas até dezembro. As primeiras escadas rolantes já foram instaladas e o início da implantação das portas de plataforma ocorreu nos últimos dias.

Nas últimas semanas, desvios que foram feitos na Avenida Professor Francisco Morato para as obras foram desfeitos, o que indica que as obras já estão em fase final.

Linha 15 – Prata: o vídeo mostra andamento das obras da estação Jardim Colonial que tem previsão de entrega no primeiro semestre de 2021. A gravação ainda não mostra o início da instalação das coberturas da parada que foi feita neste mês (veja aqui). Aparentemente não deve haver atraso na entrega da obra. Além da obra da estação Jardim Colonial, o Metrô está finalizando a nova subestação Iguatemi de energia na região para aumentar a oferta e dar conta da demanda crescente e que deve passar de 400 mil pessoas por dia quando as 11 estações estiverem funcionando a pleno.

Linha 17 – Ouro: linha que deveria ter seu primeiro trecho entregue em 2014 segue como um imbróglio. A única estação em obras e em fase final de acabamento é a estação Morumbi, que fará integração com a Linha 9 – Esmeralda, da CPTM. As demais, bem como o Pátio Água Espraiada, estão com as obras pontuais e aguardando desfechos na Justiça sobre uma nova licitação. A licitação para a compra dos trens e sistema de energia também estão na esfera judicial. A estação Morumbi será um “elefante branco” por alguns anos nas margens do Rio Pinheiros.

Total
7
Shares
2 comments
    1. Pois é, essas pessoas querem preservar essas árvores que podem ser replantadas em outro local com a justificativa de preservar o meio-ambiente, mas devem andar de carro/ aplicativo até pra ir pra esquina. O ganho ambiental com a construção de uma linha de metrô, com muito menos carros nas ruas, é muito maior do que com a preservação dessas árvores. Acho que esse pessoal tá sendo muito desproporcional, pra não falar outra coisa.

Comments are closed.

Previous Post

Metrô e CPTM têm 42 projetos atrasados ou paralisados, diz TCE

Next Post

Disputa entre BYD e Signalling pelos trens da Linha 17 tem julgamento marcado para 05 de outubro

Related Posts