Destaques Linha 2 Linha 4

Metrô trocará conforto por agilidade na ligação entre as estações Consolação e Paulista

Para melhorar os deslocamentos dos passageiros que passam pela interligação das linhas 2 e 4, companhia e ViaQuatro vão retirar quatro das seis esteiras existentes a partir desta quinta-feira, 15
Túnel de ligação entre a Linha 2 e Linha 4: quatro das seis esteiras retiradas no feriado

À primeira vista soa como um retrocesso, mas a retirada de quatro das seis esteiras existentes no túnel que liga as estações Consolação e Paulista, programada para ocorrer a partir desta quinta-feira (15), feriado da Proclamação da República, tem a objetivo de melhorar os deslocamentos dos passageiros que passam pela interligação das linhas 2-Verde e 4-Amarela.

A obra (que foi antecipada em primeira mão pelo blog Ferroviando em 31 de outubro) deverá ser realizada até o dia 20, feriado da Consciência Negra, mas no dia seguinte o espaço já estará disponível para os usuários reconfigurado. O túnel não ficará fechado durante esse período.

Segundo o Metrô, o tempo para percorrer os cerca de 170 metros entre as duas estações cairá de quase 9 minutos para 5 minutos no pico da tarde. Hoje o fluxo de passageiros acaba represado pela presença das três fileiras de esteiras, sobrecarregando o corredor estreito entre elas. Após a retirada dos equipamentos apenas uma fileira de duas esteiras permanecerá à direita de quem segue da estação Paulista (Linha Amarela) para a Consolação (Linha Verde).

Os benefícios esperados pelas empresas estão uma distribuição mais uniforme dos passageiros e também a possibilidade de ampliar o número de trens em circulação na Linha 2. De acordo com o Metrô, as esteiras retiradas serão reinstaladas no ano que vem na estação Clínicas, vizinha do maior complexo hospitalar do país.

Nova realidade na rede metroferroviária

As mudanças na ligação entre as linhas 2 e 4 já fazem parte dos reflexos da série de inaugurações de estações ocorrida nos últimos 14 meses. Com três novas paradas na Linha 4 e a ligação da Linha 5 com as linhas 1 e 2, além do monotrilho e da linha do aeroporto, os deslocamentos dos usuários na rede metroferroviária paulista estão se alterando a cada dia, à medida que as pessoas descobrem novos e melhores caminhos pelos trilhos.

Apesar disso, o projeto de abrir um novo túnel entre Paulista e Consolação deve ocorrer num futuro breve. Embora ele seja implantado após a área das esteiras, sua construção é importante para organizar o fluxo de passageiros dentro da área operada pela concessionária ViaQuatro.

Além das mudanças em Consolação e Clínicas, os usuários da Linha 2 também terão novidades no ano que vem na estação Vila Madalena. O Metrô deu início ao reforço da plataforma para a instalação das portas de plataforma, parte do projeto de implantação do sistema de sinalização CBTC, que está prestes a receber sua versão final.

Veja também: Linha 5-Lilás deve atrair meio milhão de pessoas

Plataforma na estação Vila Madalena recebe reforço para receber as portas de plataforma

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

3 Comentários

Click here to post a comment
  • Boa noite, Ricardo.

    Gostaria de saber o que podemos esperar referente a questão da mobilidade urbana sobre trilhos na gestão João Dória Jr. Quais serão as prioridades desse governo? e na sua opinião o que podemos esperar por ser uma pessoa que conhece sobre o tema? Parabéns pelo seu site acompanho toda semana se tem alguma novidade.

  • Uma esteira a direita de quem desce para a estação paulista. O que vai acontecer é que a maior parte das pessoas vão se aglomerar na entrada da esteira fechando assim a maior parte da passagem do túnel consequentemente represando o fluxo na plataforma. O problema dessas esteiras é que as pessoas param sobre ela para ler, jogar vídeo game no celular, namorar, bater papo, etc, em vez de continuar andando e agilizar o processo de transferência. Pode até ser que essa mudança traga benefícios mas ainda contamos em boa parte com o fator humano. Se as pessoas não mudarem a atitude pode abrir túnel, pode tirar esteira e problema continuará, talvez em uma escala menor, mas continuara.

  • As dificuldades para o usuário, ou seja, tirar as esteiras e tornar mais difícil o trajeto, são para já. As vantagens, que já são abstratas, ou seja, “pode ser” que aumente o número de trens (para mim desnecessário, já é muito bom), e o novo túnel que será construído “em breve”, o que parece até irônico pois foi anunciado há mais de um ano, enfim, as vantagens são para quem sabe um dia desses. Achei o tom da matéria bem chapa branca, ao contrário do que leio aqui em geral, parecia defesa dessas discutíveis decisões do metrô que vão claramente piorar a vida do usuário daquela passagem que já nasceu infame, quase vergonhosa. Um projeto de engenharia de quinta categoria que parece que não tem autores e cujo sofrimento cotidiano imposto a centenas de milhares ficou por isso mesmo. Aliás a principal defesa desse desastre era que inaugurada a linha 5 acabaria a marcha dos pinguins. Diminuiu, mas absolutamente não acabou. Está lá, firme. E agora vão tirar as esteiras. E nada de concreto sobre o novo túnel. O em breve já de dois anos não convence ninguém.

Posts mais compartilhados

Veja em AUTOO

AUTOO