O Metrô de São Paulo lança nesta sexta-feira, 13, uma licitação para elaboração do projeto básico que irá adequar a estação São Joaquim, da Linha 1-Azul, para ser conectada à parada homônima da futura Linha 6-Laranja. Trata-se do primeiro passo da companhia para licitar as obras que permitirão a ligação com a nova estação.

Os detalhes do edital só serão conhecidos amanhã, porém, chama a atenção o fato de essa adaptação não fazer parte do escopo da concessão da Linha 6. Como o ramal é a primeira Parceria Público-Privada plena na área de trilhos, em que a concessionária constrói e também opera o empreendimento, a reforma de áreas de ligação com linhas mais antigas é uma espécie de zona cinza.

A Linha 6 fará conexão com as linhas 7 e 8 da CPTM na estação Água Branca, onde será construída uma nova parada das linhas de trem metropolitanos, e também será ligada à Linha 4-Amarela, operada por outra empresa privada, a ViaQuatro. Nesse caso, a conexão entre as duas estações Higienópolis-Mackenzie será distante mas o túnel já foi previsto no projeto atual.

A estação São Joaquim, ao contrário, está numa situação parecida com Santa Cruz, da mesma Linha 1, que recebeu intervenções significativas para receber a Linha 5-Lilás. Projetada nos anos 60, a parada foi inaugurada em fevereiro de 1975 e não previa qualquer conexão com outro ramal. A solução pensada pelo Metrô foi implantar a nova São Joaquim mais ao sul, a cerca de 100 metros da antiga e a uma profundidade de 54 metros.

Prevista para ser inaugurada em 2025, a Linha 6-Laranja terá 15 estações e São Joaquim será uma das paradas finais. Localizada numa região com várias faculdades e comércio bastante movimentado, ela deverá ser uma das mais movimentadas do novo ramal, ainda por ser futuramente uma das principais ligações com a Zona Sul da capital.

A estação São Joaquim da Linha 1 (na parte superior) ficará cerca de 100 metros distante da homônima da Linha 6 (CMSP)