Destaques Linha 5

Novas estações da Linha 5-Lilás devem ser abertas incompletas

Portas de plataforma estão entre os itens que não devem ficar prontas a tempo caso o Metrô inaugure as três primeiras estações até agosto

Brooklin: estação é a mais adiantada, mas ainda não foi finalizada (Metrô/Divulgação)

Quem vê as obras de duas das três estações da Linha 5-Lilás prometidas pelo governador Geraldo Alckmin para agosto dificilmente acredita que elas estarão prontas a tempo de serem inauguradas. Faltando pouco mais de 50 dias para que a promessa vire realidade, as estações Alto da Boa Vista e Borba Gato ainda têm muito trabalho pela frente.

O blog percorreu o trecho de cerca de 3 km neste domingo (10) e viu alguns trabalhadores nos canteiros, uma prova que a obra está em ritmo frenético, porém, ainda longe de parecerem próximas de serem finalizadas.

A sensação de que elas serão entregues às pressas é reforçada por uma informação não oficial de que as PSDs, portas de plataforma que são item extra de segurança nas novas estações do Metrô, não serão instaladas a tempo. Prova disso é que as plataformas de Alto da Boa Vista e Borba Gato receberam o piso até a extremidade, ou seja, sem deixar um trecho de cerca de 40 cm para que sejam montadas as estruturas das PSDs.

Segundo relato de um funcionário da obra que repercutiu em redes sociais, as portas não estão prontas e ainda a caminho, vindas da Europa. Na estação Brooklin, a mais adiantada da obra, os operários finalizam a instalação de luminárias na praça do térreo além de outros detalhes menores, mas nem sinal das PSDs. Nesse caso, o “degrau” na plataforma foi mantido o que exige que ao menos as estruturas sejam montadas.

Apesar da correria, ainda há muito que fazer em Borba Gato

Acabamento simplório

Parte do lote 2 da expansão da Linha 5, as estações Alto da Boa Vista e Borba Gato foram iniciadas na mesma época de Brooklin e chegaram a estar mais adiantadas que ela. Mas atrasos e o encarecimento da obra, que chegou ao limite de aditivos, obrigaram o Metrô a relicitar a parte final do projeto. O consórcio Galvão-Serveng, que havia começado o trecho, deu lugar ao Contracta-Telar que assumiu a obra no ano passado.

A troca de bastão atrasou ainda mais os trabalhos que deveriam ter sido concluídos em junho. Um dos sintomas do aumento de custo e do atraso é o acabamento dos prédios técnicos, edificações que ficam na superfície. Ao contrário de Brooklin, com vidros fumês, e AACD-Servidor, com placas de alumínio, as duas estações receberam apenas pintura e serão finalizadas com brises metálicos na região das janelas.

Apesar disso, a esperada inauguração das três estações deve seguir o de praxe na estratégia do Metrô: elas funcionarão em horário restrito e com intervalos bem elevados, apenas para avaliar os diversos sistemas e sua infraestrutura até que haja condições de ampliar o serviço.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

7 Comments

  • Apesar do atraso, é um passo fundamental para São Paulo ter um sistema de transporte público descente. Parabéns para o Alckmin-PSDB.

    • Cara… “Parabéns para o Alckmin-PSDB” tem seu mérito mas não é tão correto assim. Não se esqueça que o primeiro trecho dessa mesma linha, de Capão Redondo até Largo 13 foi inaugurada em 2002. São 15 anos!!!! 15 anos que está o mesmo Alckmin empurrando essas obras que a essa altura já estarão defasadas para a quantidade de público que deve atender.
      E esse Alckmin que pretende se eleger Presidente. A atitude se eleito será a mesma… Empurrar e empurrar os compromissos para com o Brasil

    • Parabéns ao PSDB… eu li isso sobre um governo que faz com que tenhamos uma das mais ridículas linhas de metrô do mundo em abrangência, mais caras e cheia de investigações abafadas pelo “Santo”…

      Deus deve sentir vergonha de vocês, lá em cima… acho que nem nascendo de novo.

Leave a Comment