Linha 2

Sistema CBTC já é usado em dias da semana na Linha 2-Verde

Mais moderno e capaz, sistema de controle de trens permite intervalos menores entre cada composição e está em testes há anos
Trem na Linha 2 do Metrô: governo revelou planos para os próximos anos
Trem na Linha 2 do Metrô: governo revelou planos para os próximos anos
Trem na Linha 2 do Metrô: com CBTC, intervalo entre composições cairá
Trem na Linha 2 do Metrô: com CBTC, intervalo entre composições cairá

Esperança para que o Metrô de São Paulo possa transportar mais passageiros com segurança e conforto nas antigas linhas 1, 2 e 3, o sistema de controle de trens baseado em comunicação (conhecido pela sigla CBTC) passou a ser usado durante a semana na Linha Verde, que vai de Vila Prudente a Vila Madalena.

O sistema, que substitui o antigo ATC, era testado há anos apenas nos fins de semana, quando a Linha 2 tem menos movimento. Embora o Metrô não tenha comunicado o fato, foi possível saber da mudança pelo uso da frota J de trens, que está equipada com o CBTC.

A utilização durante todo o expediente comercial significa que o sistema está na fase final de ajustes. Com isso, em breve as linhas 1 e 3 deverão começar a testar o CBTC, justamente as que mais precisam do seus recursos já que com ele em pleno funcionamento é possível reduzir os intervalos entre trens com segurança – hoje o ATC tem uma limitação técnica para isso.

Trem da frota J: equipado com CBTC, ele passou a operar na Linha 2 nesta semana
Trem da frota J: equipado com CBTC, ele passou a operar na Linha 2 nesta semana

Atraso da Alstom

O CBTC usado na linha 2 é fabricado pela Alstom, uma das empresas pivô de supostos desvios em licitações. Ele foi contratado em 2008 e previa a entrada em operação para 2010. No entanto, só funcionou plenamente no trecho entre Vila Prudente e Sacomã, onde foi implantado desde a construção das estações. Em 2013, ele passou a ser testado aos fins de semana em toda a extensão. No ano passado, o Metrô ameaçou cancelar o contrato, mas acabou seguindo em frente.

Segundo a Alstom, foi a primeira vez na história que uma linha de metrô em operação implantou o CBTC, o que justificaria os atrasos – as linhas 4 e 15 do Metrô, que também usam o sistema, já foram concebidas com ele.

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Airway