ViaMobilidade diz aguardar estudo sobre o desabamento de estrutura na estação Santo Amaro

Concessionária voltou a contatar o site para explicar situação do acidente com a passarela de expansão da estação da Linha 5-Lilás
A estrutura da passarela que desabou: situação não esclarecida (iTechdrones)

Quase um mês após desabar no Rio Pinheiros, a estrutura metálica que faria parte da nova passarela da estação Santo Amaro (Linha 5-Lilás) permanece em situação incerta. A obra está sendo tocada pela ViaMobilidade, concessionária responsável pelo ramal, e tinha previsão de entrega em janeiro de 2022.

Em post em rede social, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, afirmou que a ViaMobilidade contratou uma empresa para remover a estrutura, com previsão de início dos trabalhos no final de setembro e conclusão até novembro.

O site enviou cinco questões simples para a concessionária a fim de esclarecer a situação do projeto, mas a ViaMobilidade retornou com a reprodução da mesma informação compartilhada pelo secretário.

No final desta terça-feira, a concessionária voltou a contatar o site para trazer mais explicações sobre o acidente.

“A ViaMobilidade, concessionária responsável pela manutenção e operação da Linha 5-Lilás de metrô de São Paulo, reitera que contratou uma empresa especializada para a remoção da estrutura metálica que está no Rio Pinheiros e que aguarda o resultado dos estudos que estão sendo feitos para essa operação”, diz a nova nota.

“A definição do novo cronograma da obra, tanto para retomada quanto para sua conclusão, só será possível após o término dessa etapa. Sobre as possíveis causas do ocorrido, a concessionária informa que seguem em apuração”, concluiu a empresa.

O site tentou saber junto à ViaMobilidade qual seria a empresa contratada, se a estrutura seria totalmente descartada e o que será feito das demais estruturas já montadas e não afetadas pelo desabamento. Também questionamos se a concessionária sabia o motivo do acidente e se existe alguma perspectiva sobre a retomada dos trabalhos e prazo de conclusão.

A outra parte da estrutura permanece montada (iTechdrones)

Vale esclarecer aos leitores que a ViaMobilidade apenas envia respostas aprovadas pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM), a quem ela está subordinada. A falta de transparência surpreende já que o discurso de Baldy é o de estar sempre disposto a esclarecer os fatos.

A ausência de explicações, no entanto, também ocorre com a grande imprensa. No sábado, o jornal Folha de São Paulo fez uma longa crítica à Linha 17-Ouro, com diversas afirmações errôneas, inclusive. A STM foi consultada pela reportagem para se pronunciar a respeito dos problemas mas não havia respondido qualquer pergunta até a publicação do artigo.

A passarela do lado norte da estação Santo Amaro mal foi iniciada, mas previsão era de conclusão em janeiro (iTechdrones)

Atraso no projeto

O infeliz acidente com a estrutura metálica da estação Santo Amaro ocorreu quando já surgiam dúvidas sobre a real possibilidade de conclusão do projeto, que prevê a ampliação das plataformas e de áreas de ligação com a estação homônima da Linha 9-Esmeralda da CPTM.

A obra faz parte do contrato de concessão e deveria ser entregue dentro de quatro meses. Mas mesmo que o desabamento não tivesse ocorrido, parecia pouco provável que a ViaMobilidade conseguisse concluir a montagem das duas passarelas, além de outras estruturas associadas. Isso porque ainda haveria toda a parte de acabamento e de instalação de sistemas e equipamentos variados.

No final de julho, o site enviou perguntas sobre o cronograma da obra para a ViaMobilidade, que assegurou o cumprimento das metas. A concessionária convidou alguns sites de mobilidade para uma visita ao local menos de dez dias antes do desabamento.

Confira um vídeo do iTechdrones mostrando a estrutura após o acidente.

Nota do editor: o artigo foi atualizado após nova resposta da ViaMobilidade.

Empresa contratada pela ViaMobilidade irá retirar estrutura de dentro do rio até o final do mês (iTechdrones)

Confira a primeira resposta enviada pela ViaMobilidade:

“A ViaMobilidade, concessionária responsável pela manutenção e operação da Linha 5-Lilás, informa que contratou uma empresa especializada para a remoção da estrutura metálica que está no Rio Pinheiros.

Neste momento a empresa está trabalhando em um plano de remoção para que as atividades se iniciem até o final deste mês. Após o início dos trabalhos, a previsão é que a remoção esteja concluída em até 60 dias.

A ViaMobilidade informa que está à disposição para informar cada avanço do trabalho.”

Ampliação e reforma da estação Santo Amaro deveria ser concluída em 2022 (Oliveira Cotta)
Total
61
Shares
5 comments
  1. O papel deste portal é nos manter informados, e cumpre isso com brilhantismo, mas infelizmente o ocorrido não mudará os fatos.

    “Confira as perguntas:… já chegou? E agora? Já chegamos agora?…” ficou parecendo aquela situação de criança impaciente. A ViaMobilidade já respondeu mais que suficiente.

    Certeza que após a retirada das estruturas ela informará um novo prazo de conclusão. Certamente ainda não há, afinal a estrutura continua imersa.

    E o Baldy não é comprometido com discursos de esclarecimentos, basta olhar o silêncio do mesmo, com perguntas sobre a finada Linha 18-Bronze.

  2. o desabamento coloca muitas duvidas sobre a seguranca desta estrutura que estava sendo montada !! se a estrutura desabou sem nenhuma pessoa em cima dela, o que vai acontecer quando esta estrutura receber milhares de pessoas que vao circular diariamente por estas novas estruturas ?? da medo so de pensar e isto precisa ser investigado e respondido, isto nao eh uma brincadeira, sao milhares de pessoas circulando por esta parada todos os dias !! sou engenheiro e nunca gostei da forma como esta obra foi e esta sendo conduzida de forma amadora !! CREA-SP precisa se manifestar bem como o Ministerio publico estadual e federal !!

    1. Já que vc é engenheiro então explica por que a estrutura caiu? … O engraçado que antes da estrutura cair, nenhum engenheiro criticava, agora aparece um monte de engenheiro de teclado.

  3. Imagina quantos engenheiros envolvidos no processo??? Quantas reuniões??? Quanto dinheiro para o bolso?!? Isso é Brasil Sil Sil Sil

    E o metrô que era pra copa de 2014?!? Brasil Sil Sil Sil

Comments are closed.

Previous Post

Extensão da Linha 15 até Jacu Pêssego deve avançar em outubro, diz presidente do Metrô

Next Post

Justiça adia mais uma vez decisão sobre contrato dos trens da Linha 17-Ouro

Related Posts