Estrutura para obras da estação Santo Amaro desaba no Rio Pinheiros

Passarela estava sendo montada ao lado da ponte estaiada que abriga as plataformas da estação da Linha 5-Lilás
Estrutura que cedeu nesta terça-feira.Imagem: Rede Bandeirantes

Uma estrutura que faz parte das obras de ampliação da estação Santo Amaro, da linha 5 – Lilás, desabou no fim da tarde desta terça, 17, no Rio Pinheiros.

“Uma obra que vem sendo realizada pela concessionária que opera a linha 5-Lilás, não é uma obra que foi licitada pelo Metrô e nem conta com recursos públicos. Portanto, é uma obra que está em apuração o ocorrido”, afirmou o secretário ao programa “Brasil Urgente” da Rede Bandeirantes.

A Via Mobilidade confirmou que os dois feridos são colaboradores da empresa responsável pela estrutura metálica. Eles tiveram ferimentos leves e receberam atendimento médico no local.

A obra em questão faz parte do contrato de concessão com a ViaMobilidade, operadora da Linha 5, para ampliação do embarque e desembarque na estação Santo Amaro.

Recentemente o site foi convidado pela ViaMobilidade para acompanhar as obras de perto (veja aqui).

Pelo contrato, a ViaMobilidade deveria entregar a expansão da estação Santo Amaro em janeiro de 2022. A estrutura paralela à ponte estaiada que abriga as plataformas irá ampliar a área de circulação dos passageiros e permitir a instalação de mais escadas rolantes e elevadores.

Total
2
Shares
9 comments
    1. O que tem haver uma coisa com a outra?

      Quando aconteceu aquela tragédia na obra da estação Pinheiros, que era tocada pelo Metrô, ninguém chamou a CMSP de Supervia. Infelizmente acidentes acontecem! Que sejam apurados os fatos e que se pare essa comparação entre SP e RJ que é ridícula.

      1. Bem lembrado da obra da estação Pinheiros. Curiosamente o consórcio que construía a estação na época do acidente era composto, vejam só, por vários acionistas da CCR. Acidentes acontecem, mas devem ser apuradas as responsabilidades.

      2. Tem a ver que é o que vai acontecer com a CPTM com as concessões que o Governo do Estado pretende fazer. Na época do acidente da linha 4 lembro que houve muita pressão contra precariedade nas obras. Que se mantenha essa pressão pra evitar a carioquização do transporte ferroviário de SP.

  1. Graças a Deus nada de pior aconteceu. Mas tem q ser muito bem investigado. Imagina isso acontecendo com a passarela funcionando em horário de pico?

  2. Olá pessoal, tirou as palavras da minha boca And, ele podiam ter optado por uma obra em concreto, no Rio de Janeiro esse tipo de obra teve muitos problemas no estadio do Engenhão e com poucos anos a estrutura ficou comprometida e precisou de uma obra muito grande e cara .

Comments are closed.

Previous Post

Estação Chucri Zaidan recebe primeira escada rolante

Next Post

Sem interessados por Consolação, Metrô encerra nova rodada de concessões de direito de renomeação de estações

Related Posts