Após seguidos atrasos, adiamentos e problemas com construtoras, a nova estação Francisco Morato, da Linha 7-Rubi, pode ser entregue antes do prazo previsto. A atual obra, que teve início em 2018 e deveria durar três anos pode ser entregue no primeiro semestre de 2020, segundo revelou o presidente da CPTM, Pedro Moro, aos sites de mobilidade que o acompanharam em uma visita ao local neste sábado, 21.

De acordo com a companhia, as obras civis já atingiram 60% do cronograma, além de 35% das vias e 40% dos equipamentos. Ao contrário de projetos mais recentes, o novo prédio terá passagem subterrânea entre as três plataformas além de obras para evitar enchentes, comuns na região. Francisco Morato é uma das estações mais movimentadas da Linha 7 e local de baldeação entre parte dos trens que segue até Jundiaí.

Com 6 mil metros quadrados de área, a nova estação deve receber um movimento diário de 60 mil passageiros. Atualmente, passam por ela quase 34 mil pessoas por dia útil, fazendo dela a 16ª mais movimentada da CPTM.

As imagens publicadas pelo presidente da CPTM nas redes sociais mostram as novas plataformas tomando forma e até mesmo estruturas metálicas montadas, mas a previsão de que todo o trabalho seja concluído em até nove meses parece otimista em uma observação à distância.

A obra está sendo realizada pelo consórcio Telar-Spavias, que venceu a concorrência no ano passado oferecendo R$ 114,9 milhões para construir a nova parada. A promessa de melhorar o serviço no munícipio é antiga: a obra chegou a ser licitada, porém, em 2015 a empresa contratada se recusava a seguir com os trabalhos, entrando com uma liminar na Justiça. Só após rescindir o contrato e promover outra licitação, o projeto foi retomado.

Com informações do Diário do Transporte.

Imagens: Instagram do presidente da CPTM.