Destaques Linha 15

Com apenas uma estação, terceira etapa da Linha 15-Prata tem previsão de entrega confirmada para 2021

Enquanto extensão até Cidade Tiradentes segue congelada, estação Jardim Colonial (ex-Iguatemi) tem edital publicado pelo Metrô e leilão marcado para 22 de outubro
Monotrilho da Linha 15: em 2021 uma nova estação (GESP)

Prevista originalmente para ter mais de 26 km e chegar ao distante distrito de Cidade Tiradentes, a Linha 15-Prata do Metrô passará a operar até São Mateus nos próximos meses, ou seja, em metade do percurso. Mas ao menos um alívio os moradores da região terão dentro de cerca de três anos, a entrega da estação Jardim Colonial, anteriormente referida como Iguatemi.

O Metrô publicou nesta sexta-feira o edital de licitação da estação que tem previsão de custar cerca de R$ 92 milhões e ficará localizada a cerca de 1,8 km da estação São Mateus. A abertura dos envelopes com as propostas deve ocorrer no dia 22 de outubro se não houver nenhum adiamento, hipótese bastante provável de ocorrer, no entanto. Caso o processo corra sem sobressaltos, o contrato poderia ser assinado em meados de novembro quando o prazo de construção, de 28 meses, passaria a contar. Com isso, estima-se que a nova parada possa ficar pronta no início de 2021, conforme antecipado pelo governo.

Com Jardim Colonial, a Linha 15-Prata chegará a 15,3 km de extensão, contará com 11 estações e previsão de atender cerca de 400 mil usuários por dia. Significa pouco mais de 70% da capacidade estimada para o trajeto completo, de 550 mil usuários/dia. A partir daí a expansão do ramal permanece em suspense. O projeto até Cidade Tiradentes prevê outras seis estações além de um pátio de manutenção auxiliar, mas esbarra na necessidade de duplicação da avenida Ragueb Chohfi a cargo da prefeitura de São Paulo.

Quando a Linha 15 foi lançada havia a expectativa de a gestão Kassab (alinhada à gestão do estado nas mãos do PSDB na época) promover a duplicação a fim de abrir espaço para a instalação das vias no futuro canteiro central, mas com a eleição de Fernando Haddad (PT) em 2012 o projeto não seguiu adiante. Em paralelo a isso, o governo do estado decidiu congelar o trecho mesmo após declarar 49 imóveis como de utilidade pública na avenida Ragueb Chohfi e Estrada do Iguatemi, por onde o monotrilho passará.

Enquanto o futuro da Linha 15 não é decidido o governo aproveitou o fato de as vias de monotrilho terem sido construídas até a futura estação Jardim Colonial, justamente onde o ramal fará uma curva para percorrer o trecho sem duplicação.

O percurso da nova etapa da Linha 15

Nas mãos privadas

A Linha 15 opera hoje com duas estações em horário integral e mais quatro em operação assistida desde abril. A expectativa é que o novo trecho tenha seu horário de funcionamento ampliado nas próximas semanas além de ganhar mais uma estação, Jardim Planalto, a primeira no eixo da avenida Sapopemba. As demais paradas (Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus) estão previstas para serem entregues no final do ano.

Até lá, deve ocorrer o leilão de concessão à iniciativa privada da linha. Antes previsto para julho, o certame foi postergado para 22 de novembro.

Veja também: Linha 15-Prata passa por “super teste” em fim de semana

About the author

Ricardo Meier

É um entusiasta do assunto mobilidade e sobretudo do impacto positivo que o transporte sobre trilhos pode promover nas grandes cidades brasileiras. Também escreve nos sites Airway (aviação) e AUTOO (automóveis).

Um comentário

Click here to post a comment
  • Acho que essa extensão até Cid.Tiradentes jamais saíra do papel, assim também como a extensão da Linha Verde, bem como a extensão da Linha Amarela até Taboão da Serra.

Posts mais compartilhados

Veja em AUTOO

AUTOO