Com operação integral, Mendes-Vila Natal deve receber 15 mil passageiros por dia

Estação da Linha 9-Esmeralda abrirá das 4h à meia-noite a partir deste sábado, 9 de julho. Movimento diário atualmente é de menos de 200 pessoas
Estação Mendes-Vila Natal: vazio acabará neste sábado (Jean Carlos

De uma estação às moscas para uma das mais movimentadas da Linha 9-Esmeralda. Assim deverá ser Mendes-Vila Natal, nova parada do ramal que foi inaugurada em agosto do ano passado, mas que somente neste sábado, 9 de julho, começará a funcionar em horário integral, das 4h à meia-noite.

Segundo o Secretário dos Transportes Metropolitanos, Marco Antonio Assalve, a nova estação receberá diariamente cerca de 15 mil passageiros, 80 vezes mais do que agora, quando passam por ela menos de 200 pessoas por dia.

Com isso, Mendes-Vila Natal deverá atrair mais gente do que estações bastante movimentadas da Linha 9 como Osasco (13,7 mil passageiros por dia em maio), Berrrini (12 mil), Jurubatuba (12,6 mil) e Primavera-Interlagos (13,4 mil).

Plataforma de Mendes-Vila Natal (Jean Carlos

É justamente esse público que esperou quase um ano pela real inauguração da nova estação. Sem que o serviço funcionasse como esperado, a demanda acabou represada e direcionada para Grajaú, atual terminal do ramal.

A partir deste sábado, no entanto, a região no extremo sul da capital paulista poderá chegar à Linha 9 de forma mais rápida, além de desfrutar de uma estação moderna e espaçosa. Além disso, o tráfego de veículos também ganhou novas vias e sinalização, além de viadutos que facilitam os deslocamentos no entorno – as melhorias foram entregues pelo governo nesta sexta-feira, 8.

Assalve, que assumiu o cargo de Paulo Galli em junho, também prometeu que a estação Varginha, parte do projeto de extensão ficará pronta até o final do ano. Infelizmente, a chance de estar de fato pronta, como ocorre agora com Mendes-Vila Natal, é mínima. Ou seja, vem aí outra longa espera para os usuários.

Viaduto ferroviário inaugurado nesta sexta levará trens até Varginha (Jean Carlos)
Total
3
Shares
5 comments
  1. Me dá uma agonia muito grande quando olho essa obra de cima (no canal do drone) e vejo o bicicletário do lado de fora da estação, num desnecessário prédio anexo.

    Com bastante espaço de sobra na parte mais funda do prédio da estação, onde o relevo é baixo, os caras decidiram destruir a harmonia visual do local na parte alta fazendo um puxadinho (e ainda gastaram mais dinheiro, é claro).

  2. Desconheço o extremo sul da capital mas acredito que essa estação deva ter um movimento bem grande visto que a cidade cresce a olhos vistos, muitos procuram opções mais baratas para viver, com necessidade de locomoção para centros com mais movimento e mais ofertas de trabalho, uma pena que essas obras demoram tanto para serem concluídas, as verbas investidas sai sempre superfaturadas e a entrega das mesmas são por conveniência em períodos pré eleitorais, mais uma forma de “comprar” o voto com os supostos benefícios para o povo tão massacrado por horas dentro de transportes coletivos.

  3. Revejam as informações sobre movimentação de passageiros, assim vocês perdem credibilidade,nunca que Osasco teve um movimento como o informado na reportagem, é com certeza muito mais que 13,7 mil

    1. Olá, Ricardo, tudo bem? A informação é da própria ViaMobilidade. Checamos novamente e lá constam 13.650 passageiros/dia em maio.

  4. Fui conferir hoje, uma boa galera indo direto. O trem roda meio lento, mas tá bem melhor que antes. 2 minutos e 30 entre as duas estações, antes era uns 7.

Comments are closed.

Previous Post

Metrô indeniza consórcio da Linha 17-Ouro em quase R$ 1 milhão

Next Post

Estação Clínicas vê disputa pelos naming rights, mas sem um vencedor

Related Posts